gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 4 de abril de 2017

Faltas de Comparência – AC Fafe

A PROPÓSITO DAS FALTAS DE COMPARÊNCIA
(AC FAFE)

Este texto acerca deste tema só agora é publicado, pois não queríamos intervir no processo relativo a esta situação, e pensamos que neste momento estão ultrapassados todos os prazos para recurso de decisão, o que estranhamos que ninguém o tenha feito.

Dividimos este texto em duas partes, uma na intervenção dos ou do responsável do Clube, e outra na matéria Regulamentar.

Estranhamente, a mesma pessoa ou pessoas que estiveram na origem do alargamento da prova (entenda-se PO01), e na alteração do seu formato, e que na altura em declarações à Comunicação Social, conforme por nós publicado, disseram “que estavam a olhar para o seu umbigo”, e aí não eram amadores pois souberam estar em reuniões para o efeito, agora venham reclamar que a culpa era dos árbitros, dos delegados, por não terem mencionado os factos nos relatórios, e nunca tinham oficializado a Federação, tendo apenas falado telefonicamente com alguém da Federação que lhes tinha dito não haver problemas (mas nunca disseram com quem, no mínimo, estranho…) pois as pessoa do AC Fafe são amadoras, e mesmo assim não iriam reclamar, porquê? Fica a duvida que não é pequena, pois nunca tinham pedido qualquer autorização formal, (ver A bola de 16-03-17, e o Record do mesmo dia). Estranho esta história de sermos amadores, pois esta afirmação é a “passagem de um atestado de incompetência a tudo o que for amador”, mas mais estranho é não se saber que para inscrever a equipa na prova em causa tinha se possuir um técnico qualificado em termos Regulamentares para a mesma, senão a inscrição não era feita, e ela foi e aí já não foram amadores.

Agora falemos das questões regulamentares:

Que tenhamos conhecimento, os clubes não têm acesso aos relatórios dos Delegados, portanto como se pode alegar que os mesmos não alertaram? Ou existiu situação de favorecimento a esclarecer esta situação por parte da entidade responsável.

Como é possível o total desconhecimento do conteúdo do Comunicado N.º 21 (02-09-16), nomeadamente o seu ponto 5. Se houve duplas de arbitragem que não cumpriram com o que se encontra determinado, nomeadamente nas alíneas c), e e), o que lhes aconteceu, pois nunca vimos qualquer sanção acessória ser aplicada, Porquê?

Por que razão os Boletins de jogo, não foram devidamente conferidos? Ou será que alguma vez o são?

Depois de a primeira ocorrência se ter verificado em 14-01-17 (19.ª Jornada da 1.ª Fase), não existindo no registo disciplinar de 20-01-17, qualquer referência ao facto…

Não se entende a razão por que, apenas no Registo Disciplinar N.º 31 de 03-03-17, surge o levantamento de um inquérito ao AC Fafe., para as decisões surgiram, curiosamente passados 12 dias no Registo Disciplinar N.º 33 de 15-03-17. Todo o processo é no mínimo estranho, embora não se duvide da sua validade jurídica.

Agora quando se aplica, o artigo 64-A do regulamento de Disciplina correctamente, já não se entende o motivo da aplicação do ponto 2 do artigo 32 do mesmo regulamento, que na nossa e não só opinião não têm qualquer enquadramento no tema pois a referência do artigo é completamente esclarecedora (Falta de Comparência e abandono da área de competição), por que a aplicação do n.º 2 deste artigo obrigaria à aplicação do n.º 4 do mesmo artigo que diz:

Quando nos termos do número 2 do presente artigo, na mesma época desportiva, e na mesma prova, sejam averbadas a uma equipa duas faltas de comparência, seguidas ou alternadas, o clube será punido com eliminação da prova, inibição de participação em provas federativas da categoria, nas duas épocas desportivas seguintes e multa de € 200,00, e no caso da prova ser obrigatória ou apenas de € 20,00, no caso da prova ser facultativa, sem prejuízo de outras sanções previstas.”

Não foi aplicado porquê?

Também não é referido se foi ou não aplicado o previsto no n.º 8 o mesmo artigo, que diz:

O disposto no número 4 do presente artigo não se aplica ás faltas de comparência dadas em virtude de suspensão do clube por razões administrativas

Será que esta matéria foi aplicada, pelo que assistimos parece que sim pois a equipa continua a participar na prova, mas não existe nenhum esclarecimento, de quem de direito, e apregoam-se defensores da legalidade e do desportivismos.

Outra dúvida está por esclarecer, pois ninguém sabe se o clube esta ou não autorizado a utilizar um técnico de 3.º Nível na prova, embora se saiba que a Federação através da sua regulamentação poderá conceder essa autorização sempre a titulo excecional, mas até ao momento nada foi divulgado sobre o assunto.

Estranho, é que os outros clubes, intervenientes na prova nada tenham feito, Porquê?

Por hoje é suficiente, o texto poderá provocar alguma polémica, mas apenas referimos factos e não escrevemos de cor, e assim cá estaremos à espera dos comentários mais desagradáveis, como é costume nestas situações. Estaremos atentos a estas e outras situações.

O Analista

8 comentários:

Anónimo disse...

está compreendido, estes não descem de certeza

Anónimo disse...

Parabéns Sr. analista pelo artigo.
é um facto que não é amador e se preocupa com os factos e por isso nos deu todos os esclarecimentos.
Penso que por esquecimento não transcreveu o ponto 2 do artigo 32.
Artigo 32.º
Falta de comparência e abandono da área de competição
2. O clube cuja equipa não compareça para disputar jogo regularmente calendarizado,ou inviabilize a sua duração regulamentar, designadamente por abandono da área de competição, será punido com a atribuição de derrota, com a pontuação aplicável à falta de comparência, e multa de € 500,00 a € 1.000,00, sendo, ainda, da sua responsabilidade o pagamento das despesas inerentes à sua organização.(***) (****)

Não sei se está correta a minha leitura mas o sucedido não encaixa no ponto 2 do artigo 32.
Caso encaixe estaríamos a dizer que uma equipa que jogasse com um jogador irregular durante dois jogos, essa mesma equipa teria que descer de divisão.
É um facto que o Fafe compareceu (com um elemento irregular), mas compareceu.
Talvez seja um facto que o seu comentário não seja tão amador... porque os amadores do Andebol fazem a "coisa", com ou sem erros, mas sempre com "amor" pela modalidade.
Francamente espero que tenha cometido um erro de amador e não um acerto de um Profissional, com interesses.
Abraço

Anónimo disse...

Pelo conteudo do texto, parece me claro existir algum interesse em que o ACF deixe a 1º divisão, para beneficiar quem ?
Faz tambem insinuações que acho insultuosas sobre o ACF quanto ao alargamento...deixem este clube..amador... trabalhar com os seus benevolos, como o fazem todos os dias a apoiar centenas de crianças que jogam andebol. Qual o seu interesse em denegrir esta coletividade ?
Gosta de andebol ? Então apoio a modalidade com artigos que apoiem o nosso desporto e os nossos atletas. Já temos tantas dificuldades diarias para manter os clubes a funcionar, arranjar patrocinios, apoiar logisticamente as equipas. O que pretende ? Acabar com tudo ?

O ACF pode ter cometido um erro de secretaria com esta historia (o qual reconheceu publicamente), mais grave seria um jogador inscrito irregularmente que teria influenciado o resultado.
Cometeram um erro ? Sim ,mas o castigo exemplar da Federação parece me exagerado.
Estou para ver se a nossa federação vai continuar a manter esta forma de actuar...eu acho que não...pelas situações semelhantes que me chegam aos ouvidos..

Anónimo disse...

porque será que nunca se diz com quem falaram é por medo ou por promessas

Anónimo disse...

Um caso típico da máfia italiana nas apostas e nos bastidores do nosso andebol.
Não é só o Canelas e os Dragões que prejudicam o Desporto em Portugal mas estas aberrações de Dirigentes que tanto precisam do andebol e se servem de todo jeito!
O Fafe foi vitima dos interesses financeiros dos dirigentes que estão para alem do Andebol!
Mas há mais casos e o Banhadas de Andebol tem feito um papel importante na denuncia destas gerigonça !

Anónimo disse...

Nofeminino inquéritos a três clubes que também não têm técnico qualificado. Teremos mais faltas de comparência, neste caso em 22 jogos da fase regular???

Anónimo disse...

5 de abril de 2017 às 11:41
resposta:
O que esta regular no Andebol e os salários dos dirigentes e funcionários da FPA o resto anda em falta e o andebol ainda é bonito dentro do campo.
Jorge Ferreira

Anónimo disse...

Esta trapalhada diz-nos que existe muito jogo de bastidor, regras atropeladas e favores na Federação. Para quando uma Federação justa e imparcial!?
O FAFE só é amador para aquilo que lhe convém.
E não entendo a passividade deste Presidente, deve ter o rabo preso.