gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

domingo, 9 de abril de 2017

Crónica de Fim-de-semana – 53 – 2016 / 2017 – I

Regresso às normais crónicas de fim-de-semana dedicada aos dois jogos da PO01.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

Fase Final Nacional – Grupo “A”
3.ª Jornada
Dia 08-04-17
FC Porto 30 – 28 Sporting
Águas Santas 24 – 30 Madeira SAD
Benfica 33 – 23 ABC

Jornada marcada, por um dos encontros que poderá ser decisivo na atribuição do Titulo Nacional (FC Porto / Sporting), e pela entrada da TVI24, na transmissão dos jogos da nossa modalidade (Acerca deste tema publicamos texto próprio). Jornada disputado sem ocorrências disciplinares, facto sempre merecedor de destaque.

Benfica 33 – 23 ABC

Jogo disputado na Luz, desta vez se encontrava razoavelmente preenchido de público, e que foi disputado entre duas equipas, que em princípio discutem o 3.º lugar, mas poderão causar alguns engulhos aos favoritos, como foi o caso do ABC na última jornada. O Benfica venceu este encontro, onde esteve bem em especial nos últimos 25 minutos de jogo, com o seu técnico a fazer uma rotação completa de todos os seus jogadores, mantendo sempre uma frescura física na equipa, enquanto o ABC, na nossa opinião se ressentiu fisicamente do jogo que fez na última jornada. Durante os primeiros 30 minutos, tivemos um jogo equilibrado, com os dois guarda-redes, Humberto Gomes (28% de eficácia) pelo ABC e Hugo Figueira (33% de eficácia) pelo Benfica, a serem determinantes, no andamento do resultado, que registou algumas alternâncias no marcador, e terminou numa igualdade a 13 golos, embora no ABC e durante todo o jogo, apenas Pedro Spínola (6 golos,60% de eficácia) e Pedro Seabra Marques (4 golos, 67% de eficácia), e ainda de José Costa (5 golos, 83% de eficácia) que se revelou um trabalhador incansável, ao nível de jogadores de campo procuraram reverter o jogo menos conseguido da sua equipas, que diga-se na verdade tem um plantel bastante curto, para as exigências da prova. Por sua vez no Benfica, Belone Moreira (7 golos, 78% de eficácia) esteve bastante assertivo, assim como João Pais (5 golos, 100% de eficácia), e realce-se o bom trabalho de Pulo Moreno (2 golos, 100% de eficácia) nos 6 metros. No segundo tempo apesar do bom começo do ABC, o mesmo durou apenas 5 minutos, mais por desacerto da equipa do Benfica do que por acerto do ABC, e partir do momento em que o Benfica passou para a frente do marcador, cercados 36 minutos, nunca mais o ABC conseguiu, realizar uma acção de ataque eficaz, por seu lado o Benfica, começou a acertar no seu sistema defensivo, e a construir melhor no ataque e na rapidez de execução apesar das constante alterações verificadas no sistema defensivo do ABC, com o intuito de criara problemas á equipa do Benfica que os foi resolvendo e dilatando o marcador (12 jogadores a concretizar golos), para números que não estariam certamente na imaginação de muito boa gente (nós incluídos), teve neste período em destaque Rakovic (3 golos, 100% de eficácia), e contou sempre com a experiencia de Tiago Pereira, que apesar de não ter marcado qualquer golos, foi de uma utilidade extrema. Dirigiu o encontro a dupla IHF da Madeira constituída por Duarte Santos e Ricardo Vieira, que num jogo onde o comportamento dos praticantes foi exemplar, também não complicaram e realizaram prestação bastante positiva.

FC Porto 30 – 28 Sporting

Jogo disputado num pavilhão completamente esgotado, e que na prática ao terminar com o FC Porto como vencedor, poderá significar que o Titulo Nacional, está entregue, pois passa a depender apenas de si unicamente. Jogo marcado por duas ausências uma para cada lado, mas a mais notado foi a de Alexis Borges por castigo, já a ausência de Marco Oneto, pouco se nota pois quase que não têm jogado na equipa do Sporting. Jogo com duas partes completamente distintas, primeiros 30 minutos com o Sporting a dominar claramente o jogo, e a comandar desde o primeiros minuto, onde teve jogadores de extrema influência quer no processo ofensivo, quer defensivo, como Carlos Ruesga (3 golos, 50% de eficácia), ou Frankis Carol (4 golos, 80% de eficácia) e ainda o seu pivô Zabic (4 golos, 100% de eficácia), e em especial o seu guarda-redes Asanin com 32% de eficácia, de tal ordem foi a sua superioridade que chegou ao intervalo a vencer por 19-13. No segundo tempo as alterações introduzidas pela equipa técnica do FC Porto, em especial com uma maior utilização de Marko Matic (8 golos, 80% de eficácia), que foi um dos grandes defensores da equipa e um dos mais assertivos no ataque, e com uma substancial melhoria do seu guarda-redes Alfredo Quintana (26% de eficácia), tendo em Salina (5 golos, 100% de eficácia) um pivô de elevada produção não só em termos ofensivos, mas como sendo dos baluartes da defesa, melhoraram a sua produção defensiva e atacante de tal forma, que nos primeiros 10 minutos do segundo tempo apenas sofreram 2 golos contra os 6 concretizados, e igualando o marcador a 25 golos aos 52 minutos, para de seguida fazerem um parcial de 3-0 e passarem para a frente do marcador por 28-25, o maior diferencial que registaram, nunca mais largando o comando do jogo, terminando o encontro com 11 jogadores a concretizarem golos. NO Sporting ainda uma palavra para Bozovic (6 golos, 67% de eficácia). Dirigiu este encontro a dupla IHF de Leiria, constituída por Eurico Nicolau e Ivan Caçador que não teve um jogo fácil, mas também não estiveram no seu melhor pois não utilizaram critérios de equidade, por exemplo na aplicação da Sanção Progressiva, da Falta do Atacante e em especial dos Livres de 7 metros. Têm a obrigação de fazer muito melhor, e nesse aspeto o mais fraco da dupla revelou-se ser Eurico Nicolau, que até deu demasiadas explicações em especial ao capitão de equipa do FC Porto.

Nesta jornada, realizou-se ainda o Águas Santas / Madeira SAD, disputado no pavilhão do Águas Santas, com pouco público, e que assinalou o regresso de António Campos aos convocados. Foi um jogo de sentido único com os homens do Madeira SAD a comandarem o jogo e o marcador durante os 60 minutos, Chegando por diversas vezes a disporem de 7 golos de vantagem, como por exemplo 16-9 quando estavam decorridos 26 minutos de jogo, para se atingir o intervalo com o resultado em 16-11 a a favor dos madeirenses, que no segundo tempo, continuaram a sua caminhada e regressaram ao mesmo diferencial, sendo a última aos 57 minutos quando venciam por 29-22. Uma das grandes diferenças esteve na baliza das duas equipas pois se Pedro Pacheco chegou aos 33% de eficácia na baliza dos maiatos, Luis Carvalho na baliza do Madeira SAD atingiu os 52% de eficácia. Na equipa maiata onde 10 jogadores marcaram golos, Pedro Cruz com 5 golos e apenas 42% de eficácia foi o seu principal marcador, já no Madeira SAD, Fábio Magalhães com 7 golos (54% de eficácia), Bruno Moreira (60% de eficácia) e Nuno Silva (50% de eficácia) com 6 golos cada foram os seus melhores marcadores.

A Classificação Fase Final Grupo “A” - 1.º FC Porto (46 pontos), 2.º Sporting 43 pontos), 3.º Benfica (40 pontos), 4.º ABC (39 Pontos, +1 jogo), 5.º Madeira SAD (37 pontos, + 1 jogo), 6.º Águas Santas (32 pontos).

Fase Final Nacional – Grupo “B”
3.ª Jornada
Dia 08-04-17
AA Avanca 29 – 24 SC Horta
Ismai 30 – 28 Boa Hora
AC Fafe 27 – 28 Belenenses
Dia 06-05-17
São Mamede - Arsenal (21H00)

Nesta jornada deste Grupo, verificou-se um adiamento, sem movimento aparente (na nossa opinião), pois consideramos que nestas decisivas Fases, todo e qualquer adiamento, poderá ter consequências ao nível desportivo. De destacar que todos os jogos que se disputaram não deram origem a qualquer ocorrência disciplinar.

E Avanca, num pavilhão com pouca gente, realizou-se o AA Avanca / SC Horta, que foi um jogo insipido e por vezes malm jogado, com as equipas a não renderem o que podem devem e sabem, para uma 1.ª divisão Nacional. Foi um encontro com excesso de falhas técnicas, desde remates precipitados, a maus passes a más recepções existiu de tudo, em nossa opinião a AA Avanca demonstrou demasiada passividade, de tal forma o jogo estava a decorrer, que o seus melhore elementos eram os homens nas balizas, Luis Silva da AA Avanca com 49% de eficácia e Nuno Silva no SC Horta com 36% de eficácia), este tipo de jogo, deu os locais comandaram a maior parte do tempo mas ainda primeiro tempo depois deterem uma vantagem de 4 golos (8-4), permitiram que o SC Horta iguala-se a 12 golos, resultado com que se atingiu o intervalo. No segundo tempo manteve-se a mesma toada de jogo, até cerca dos 50 minutos de jogo, quando os locais venciam por 22-21, construindo o resultado final nos últimos 10 minutos. Pedro Valdez com 5 golos (56% de eficácia) foi o melhor marcador da equipa visitada. Angel Noris com 7 golos (58% de eficácia), e Noelvis Reve com 6 golos (46% de eficácia), foram os melhores marcadores dos insulares.

No Municipal da Maia disputou.se o Ismai / Boa Hora, que foi um encontro de grande equilíbrio e de alternâncias no marcador, com a equipa do Boa-Hora, cerca dos 20 minutos de jogo a assumir o comando do marcador (8-7), para chegar ao intervalo a vencer pela diferença mínima (14-13). O equilíbrio manteve-se até aos 45 minutos, em que a equipa visitante consegui estar na frente do marcador, assim que os maiatos igualaram o mesmo a 21 golos cerca dos 46 minutos passaram de seguida para o comando do marcador, mas voltaram a permitir a igualdade aos 55 minutos de jogo agora a 26 golos, para conseguirem vencer o encontro e chegaram a ter a maior vantagem registada em todo o encontro (3 golos aos 59 minutos, com os visitantes a diminuíram nos momentos finais do encontro. Angel Zulueta com (8 golos, 73% de eficácia), e Tomas Barbosa (7 golos, 88% de eficácia), foram os melhores marcadores do Ismai, com Manuel Borges na baliza a chegar aos 26% de eficácia, contra os 23% de Henrique Carlota na baliza do Boa Hora, que foi o elemento de todos os utilizados no posto o que se manteve no mesmo mais tempo. Nuno Santos com 8 golos (80% de eficácia), e Ricardo Barrão com 5 golos (63% de eficácia foram os melhores marcadores do Boa Hora.

No Municipal de Fafe realizou-se o AC Fafe / Belenenses, que na nossa opinião poderá ser um dos jogos decisivos nesta fase e neste grupo, e que terminou com a difícil vitória do Belenenses pela diferença mínima, depois de ter chagado ao intervalo a vencer por 16-13, depois de ainda nos primeiros 30 minutos ter chegado a ter uma vantagem de 8 golos cerca dos 22 minutos de jogo quando vencia por 14-6, permitindo uma excelente reacção da equipa minhota que ao intervalo tinha minimizado os prejuízos. Nos segundos 30 minutos voltou a ter vantagens de 6 golos como por exemplo a última das quais aos 55 minutos quando vencia por 27-21. Para permitir nova reacção do AC Fafe que iguala o marcador aos 59 minutos a 27 golos, pata sofrer o último golo nos momentos finais do encontro. De destacar nas duas equipas os homens que estiveram nas balizas Miguel Marinho no AC Fafe com 43% de eficácia, e João Moniz com 44% de eficácia, e Miguel Espinha com 32% de eficácia na baliza do Belenenses. Belmiro Alves com 6 golos (55% de eficácia),Vasco Santos (56% de eficácia), e Nuno Pimenta (56% de eficácia, ambos com 5 golos cada, foram os melhores marcadores do AC Fafe. No Belenenses, Gonçalo Ribeiro com 12 golos (86% de eficácia), e Diogo Domingos com 7 golos (54% de eficácia), foram os melhores marcadores da equipa.

A Classificação Fase Final Grupo “B” - 1.º AA Avanca (36 pontos), 2.º Ismai (32 Pontos), 3.º Boa Hora (29 pontos), 4.º Belenenses (28 pontos), 5.º AC Fafe, e SC Horta (24 pontos), 7.º Arsenal (22 pontos, -1 jogo), 8.º São Mamede (18 pontos, -1 jogo).

O Banhadas Andebol

12 comentários:

Anónimo disse...

Quando não se deixa o ABC bater, agarrar, empurrar, o resultado é este ....por 10 igual a todos os outros.

Anónimo disse...

O ABC já ganhou o título de campeão pois ganhou ao Porto.A partir de agora já não vale a pena jogar.Ontem foi o jogo da vergonha. Para quem se diz tão profissional?

Anónimo disse...

O Porto já nos venceu com equipas mais fortes. Ontem até tinha menos três jogadores casos de Hugo Santos, Ricardo e o castigado Borges. Num jogo em casa perdemos depois de avanço de sete golos e agora por seis? Porquê? Para quê ir buscar Carneiro e Pedroso ao Benfica? Não era melhor Areia? Há aqui uns negócios que ninguém entende! Já agora quanto custa este conjunto de jogadores habituados a andebol em países, onde ele é bem mais bem pago? olhem para o ABC e vejam o que é uma equipa e bem liderada! Sem banco e com tão pouco dinheiro... Com as arbitragens que víamos aqui á uns anos ontem éramos humilhados! Será que é para o ano? Será que chega lutar pela taça? Temos Portugal inteiro a rir de nós.. Até quando?!

Anónimo disse...

Um ABC tão decidido contra o Porto e tão descontraído com o benfica, dá que pensar... e de que maneira! Certas amizades dão que pensar! Certos gastos alucinados e sem nexo para o andebol tuga dão que pensar! O Sporting á muito que não comenta arbitragens...

Anónimo disse...

Coitadinhos
O Sporting te menos jogos que nós assim como viagens em jogos Europeus. Enquanto lutamos com equipas de andebol mais fisíco eles estagiaram com amadores ou, equipas sem ritmo. Benefeciaram largamente de descanso enquanto lutamos com outro candidato a este campeonato. No jogo do Dragão correu tudo bem no início devido a abébias dads por nós. Estiveram a ganhar por seis, como da outra vez por sete e riam-se. A nossa alma e termos equipa levou á vitória. Ontem apitaram os de Leiria que o Sporting tanto adora. Qual a desculpa? Somos equipa e unida. Já cheira a Porto campeão.

Anónimo disse...

É pessoal vocês viram a alegria e os cumprimentos ao buda na tribuna de honra do Dragão Caixa no final do encontro, é uma alegria ver-se aquele fary play.

Anónimo disse...

De uma dupla de arbitragem espera-se a decisão. Ivan Caçador e Eurico Nicolau, principalmente este último, fazem um jogo sem decidir. Andam para lá no meio a por paninhos quentes em tudo o que mexe. Dão explicações, sorrisos, palmadinhas nas costas e afins. Arbitrar mediante as regras é que é coisa que não lhes assiste. É triste, mas é esta uma dupla internacional.

Anónimo disse...

Ponto prévio: não sou FCP, longe disso...Mas o FCP merece ser campeão! Após ontem ficou provado que este ano são os que merecem e fazem/têm estrutura para isso...
Do ABC só o curto plantel impede outros voos... Mas penso que é a segunda melhor equipa do campeonato...
Ontem "gostei" de ver o regresso do Magalhães ao banco...Acredito tenha sido coincidência...e o relegar do Telmo para a bancada!!! Desconhecia que alguém da bancada pudesse entrar assim tão ligeiro no recinto de jogo. Pormenores...
Arbitragem ao nível elevado num jogo intenso. Estiveram bem...! Tal como esteve a dupla de Braga. Ai o que não houve foi o Porto de ontem...


SCP: sobranceiro, vaidoso...perdeu a humildade na 2ª parte. Um conjunto de jogadores não é uma equipa... O SCP ainda não percebeu isto e o Canelas também não... Não têm estofo e atitude de campeão.

Anónimo disse...

ricardinho estás a amuado por não teres vindo ao dragão apitar?

deixa lá... eles apitaram bem.

Anónimo disse...

"É pessoal vocês viram a alegria e os cumprimentos ao buda na tribuna de honra do Dragão Caixa no final do encontro, é uma alegria ver-se aquele fary play."

9 de abril de 2017 às 15:11

SUBSCREVO TAL COMENTÁRIO:
Lamento tal situação e faz parte do Protocolo da cartilha entre os amigos, mas já vi pior no Dragão Caixa o Pres. do CA com o director Desportivo do Porto e tudo bem!.. não estamos a fingir vimos e como ex praticantes lamento estas arranjinhos do títulos e resultados!
o F.C. DO PORTO NÃO PRECISA! nem o Pres. do Clube JNPC gosta muito desta mediocridade protocolar!

Anónimo disse...

Não sabia que as regras mudaram no rigor dos bancos, alem de todos inscritos que não foi o caso num dos bancos!
O Oficial A,B,C. arbitrariamente viam o jogo de pe quando é obrigatório só um o fazer que costuma ser o Oficial "A". mas os 4 Ze Magalhães, Luís Graça, e Ricardo Moreira, o que pode e costuma estar de pé é o Ricardo Costa!
E na mesa 4 elementos da FPA e deixa andar!
Afinal o Fernando Ferrão só foi rigoroso no jogo Arsenal-Fafe como Delegado e escreveu sob a irregularidade do treinador do Fafe Luís silva mas ele próprio não podia ter sido nomeado porque tinha um familiar(Filho) a jogar pelo Arsenal !!!!
O Andebol é um "MUST"

Anónimo disse...

De vergonha em vergonha o Sporting vai sendo o bombo da festa.QUEM É RESPONSÁVEL POR UMA MAFIA QUE GASTOU COMO NUNCA VISTO EM PORTUGAL? EQUIPA? AQUILO É DE PLÁSTICO!!! EM DOIS ANOS, ESTRAGARAM TUDO NO ANDEBOL LEONINO!UM GRUPO NOVO QUE NUNCA FOI UMA EQUIPA. NA MESMA SEMANA O PORTO VIAJA PRÁ ALEMANHA, JOGA COM ABC E MESMO PERDENDO, REANIMA E VENCE OS PISTOLEIROS, QUE TRABALHAM A DINHEIRO? VERGONHA! DIRIGENTES NÃO ARRANJEM MAIS DESCULPAS!!!