gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

quinta-feira, 31 de março de 2016

Apuramento - Europeu Sub-20 Masculino – 2016 - V

Europeu Sub-20 Masculino 

Conforme, já foi divulgado, o Grupo de Apuramento para a Fase Final do Europeu de Sub-20 Masculino será disputado no Pavilhão Multiusos em Fafe, de 08 a 10-04-16.

Igualmente e também já divulgado Fase Final do Europeu Sub-20 vai disputar-se na Dinamarca de 28 de Julho a 7 de Agosto de 2016.

Já apurados:
Dinamarca – Organizador
França – Vencedora do Mundial Sub-18 na Polónia 2014
Hungria – 2.ª Classificada do Mundial Sub-18 na Polónia 2014
Espanha – 3.ª Classificada do Mundial Sub-18 na Polónia 2014
Os restantes 12 lugares serão discutidos através de 8 grupos de 4 equipas, sendo apurados da seguinte forma:

Grupos 1 a 42 Equipas
Grupos 5 a 81 Equipa.
Infelizmente o Grupo de Portugal, apenas apura o vencedor do Grupo.
Na continuidade dos diversos estágios que tem sido realizados, a equipa portuguesa, junta-se em Fafe no Dia 04-04-16, onde fará um ligeiro estágio até ao início da disputa do Grupo.
Divulgamos a lista dos convocados, apenas com um ligeiro comentário, ou interrogação se assim entenderem, porquê 17 convocados? 

Calendário (Grupo 8)

1ª Jornada
Dia 08-04-16
Estónia - Portugal (17H00) Porto Canal
Roménia – Eslovénia (19H00)
2ª Jornada
Dia 09-04-16
Eslovénia - Estónia (16H00)
Portugal - Roménia (18H00) Porto Canal
3ª Jornada
Dia 10-04-16
Roménia – Estónia (15H00)
Eslovénia - Portugal (17H00)
Nota – Não se entende, o motivo por que os jogos transmitidos pelo Porto Canal, nunca são transmitidos na Andebol TV.

O Noticias

Competições Europeias 2015 / 2016 – LXIII

Realizou-se (29-03-16) o Sorteio dos 1/4 Final da EHF CUP, onde se apenas se disputam três (3), visto a final ser disputada em Final Four e o organizador já estar apurado para a mesma (HBC Nantes) 

EHF CUP MASCULINA
O Banhadas Andebol

quarta-feira, 30 de março de 2016

Crónica Intermédia de Fim-de-semana – 37 – 2015 / 2015 – I

Esta crónica relativa à PO01 e dedicada apenas ao encontro em atraso relativo ao 2.º jogo do Grupo A, 1/2 Finais do Play OFF que se realizou (30-03-16), e que conclui na prática os encontros previstos para o 2.º jogo.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

Grupo A - Play OFF – 1/2 Final
1ª Jogo
Dia 16-03-16
FC Porto 31 – 32 Benfica (C/ Um Prolongamento)
Dia 23-03-16
ABC 31 – 32 Sporting (C/ Um Prolongamento)
2.º Jogo
Dia 26-03-16
Sporting 29 – 32 ABC
Dia 30-03-16
Benfica 30 – 29 FC Porto (C/ Um Prolongamento)

3.º Jogo
Dia 16-04-16
FC Porto – Benfica (18H00)
ABC - Sporting (17H00)

4.º Jogo (se necessário)
Dia 23-04-16
Benfica – FC Porto (19H30)
Sporting – ABC (20H45)

5.º Jogo (se necessário)
Dia 30-04-16
FC Porto - Benfica (18H00)
ABC - Sporting (17H00)

Resultados até ao momento:
FC Porto 0 – Benfica 2
ABC 1 - Sporting 1

Prova com a sua Fase Final Grupo “A” (discussão para o titulo e definição de participações nas diversas provas da EHF), disputada esta época em novos moldes, e que repetimos (na nossa opinião) são mais favoráveis a uma implementação da modalidade e a um acréscimo no entusiasmo, devido á sua forma competitiva. Mas que deverá merecer por parte do quem de direito, uma atenção redobrada nas nomeações das duplas de arbitragem para os diversos jogos. Teremos até de dizer, que somos normalmente geridos ou por defeito ou por excesso, indo como se costuma dizer do 8 ao 8º e vice-versa. Tudo isto a propósito das nomeações para estes jogos terem sido divulgadas, em 1.ª mão através de notícia publicada no sítio da Federação e com destaque. Em relação aos encontros realizados até ao momento, e igualmente na nossa opinião, segundo o que nos é dado a constatar, foram seguidos alguns critérios de segurança.

Benfica 30 – 29 FC Porto (C/Prolongamento)

Num jogo de autêntico Play OFF, disputado no pavilhão da Luz, que registou uma enchente como á muito não se via, e que foi uma jornada de grande propaganda para a modalidade, proporcionada por duas excelentes equipas, que disputaram o mesmo até ao limite, o Benfica / FC Porto. Venceu a equipa do Benfica, num encontro de grande equilíbrio, e em mais um jogo com o resultado a ser definido no primeiro prolongamento. O herói deste encontro acaba por ser o guarda-redes do Benfica Nikola Mitrevski (38% de eficácia), que defende um livre de 7 metros aos a cerca de 20 segundos do fim do tempo regulamentar e volta a defender um livre de 7 metros a cerca de 1 segundo dos 70 minutos, defesa que permitiu a vitória do Benfica neste encontro. O Encontro pautou-se por 60 minutos onde existiram algumas alternâncias no marcador, embora nenhuma delas conseguisse uma vantagem superior a dois (2) golos. As defesas superam-se nitidamente aos ataques e três dos quatro guarda-redes utilizados estiveram muito bem e foram decisivos em diversos momentos do encontro, O já referido Nikola, e Hugo Figueira (30% de eficácia) no Benfica e Hugo Laurentino (33% de eficácia) no FC Porto, que esteve na nossa opinião uns “furos” acima de Alfredo Quintana. No ataque planeado, o FC Porto utilizou de forma excelente o seu pivot Alexis (5 golos e 83% de eficácia), enquanto do lado do Benfica Uelington Silva (10 golos, e 71% de eficácia) esteve quase imparável, sendo o melhor marcador do encontro, dizemos quase, pois uma sua precipitação cerca dos 59 minutos poderia ter deitado tudo a perder, pois logo de seguida Miguel Martins marca um livre de 7 metros ao poste, Borragan (6 golos e 55% de eficácia), que tinha estado com uma excelente eficácia na marcação dos livres de 7 metros, falha um e tudo isto de passa no último minutos do tempo regulamentar. No FC Porto, apenas tivemos Gilberto Duarte (4 golos e 100% de eficácia) no prolongamento, e lamentavelmente Hugo Santos lesionou-se, esperamos que sem gravidade. Ambas as equipas, não aproveitaram a 100% as várias superioridades numéricas de que dispuseram. O aquilatar do equilíbrio no jogo e no marcador poder-se-á analisar pelo seu andamento, 8-8 cerca dos 20 minutos 13-13, ao intervalo, 19-9 aos 46, 25-25 aos 60, 27-27 aos 65, para terminar pela diferença mínima, é de encontros como este que o andebol precisa. Dizer ainda que o FC Porto dispôs de 12 livres de 7 metros e apenas concretizou 4, enquanto o Benfica dispôs de 8 e concretizou 5. Jogo difícil de dirigir, com alguns casos que poderão ser polémicos, um apenas poderá ter acontecido, por má contagem das exclusões por parte banco do Benfica referimo-nos á desqualificação de Ales Silva por acumulação de exclusões, os outros casos dizem respeito às desqualificações diretas tanto a Ricardo Moreira (indiscutível), como a Augusto Aranda (que não é tão perceptível) e provoca a lesão a Hugo Santos. O Jogo que foi dirigido pela dupla da IHF Duarte Santos e Ricardo Vieira, não teve um jogo fácil, e foram muitas as vezes que tiveram de tomar decisões difíceis, mas que na maior parte das vezes estiveram dentro da razão. Apesar de usarem um critério disciplinar apertado, e livres de 7 metros terem usado sempre e na nossa opinião um critério uniforme.

O Banhadas Andebol

Encontros Nacionais de Minis – 2015 / 2016

A Federação através do Comunicado Oficiais n.º 62, bem como através uma notícia publicada no seu sítio em 29-02-16, anunciou não só o local da realização dos Encontros Nacionais de Minis, tanto em Masculino como em Feminino (PO 37 e PO38), como a sua estrutura.

Assim das datas limites das inscrições são para ambas as provas em 15-04-16, com os processos devidamente concluídos.

Existe uma nota, que nos leva a deduzir que voltamos a ter limites de inscrição “ Mais se informa que a ordem de entrada na Federação do processo de inscrição será prioritária para o limite de inscrições”.

Ambas as provas serão realizadas em Godim (Peso da Régua). A data da realização prevista é de 30-06-16 a 03-07-16.

Finalmente:

É permitido a possível participação de equipas mistas (lamentavelmente apenas na vertente de 5), o torna esta decisão um pouco incompreensível, pois nestes escalões são perfeitamente admissíveis, conforme se pode constatar e verificar nos grandes torneios Internacionais.

A continuação da não definição de ”campeonato”, tornando estas provas, mais lúdicas e de divulgação, do que em competições, que normalmente apaneas trazem (na nossa opinião) uma forte carga negativa às mesmas, embora tenhamos a plenas consciência de que existem opiniões contrárias á nossa, que as aceitamos e respeitamos.

Um dos fatores mais positivos desta organização agora divulgada, foi o esclarecimento sobre a participação de equipas de Andebol de 5, e esclarecidas as condições de participação neste vertente.

Transcrição de parte do texto FAP
b) O Andebol 5 será destinado aos atletas masculinos nascidos em 2006 e depois, podendo existir equipas mistas;
c) As equipas masculinas estão distribuídas por duas categorias diferentes:
Minis A – Andebol 7 (2004/2005)
Minis B – Andebol 5 (2006/2007) ”

Andebol 5 – poderão inscrever um máximo de 2 atletas Minis A (2004/2005). As equipas poderão inscrever atletas do sexo feminino

Constituição das Equipas:
Andebol 5 – Mínimo - 7 Atletas; Máximo – 16 Atletas (Máximo por comitiva – 20 pessoas)

Não se entende:

E repetindo o que afirmamos na época transata, a realização dos dois eventos em simultâneo. Será por certamente, se pretender efetuar uma grande ação de divulgação da modalidade, pois como todos sabemos, ao escolher o mesmo local pelo menos, evitam-se dispersão de meios às equipas participantes, deixando de haver este fator que na nossa opinião era limitativo, e provavelmente levava á tomada de opções por um ou outro encontro, no entanto não altera a nossa sensibilidade do princípio de separação dos encontros, permitindo a divulgação da modalidade em outros locais.
 
Ao omitir-se no CO qualquer informação sobe o quadro competitivo, limita-se desde logo o alcance de todas as medidas positivas que foram tomadas.

Ficaremos a guardar novas informações sobre estas provas, nomeadamente sobre o número de inscritos, a fim de se efetuar uma comparação completa, com as últimas épocas.

O Noticias

Analise das Nomeações – Taça Portugal Masculina – 2015 / 2016

“Gato Escondido com rabo de fora”

Não temos escrito sobre este tema tão controverso, e as últimas vezes que escrevemos sobre ele provocamos alguma polémica, embora não sendo essa nossa prioridade, aceitamo-la, pois a verdadeira prioridade é a defesa da transparência dos atos, da verdade desportiva, das arbitragens e dos próprios árbitros assim como o é da competitividade, e por entendermos que nesta prova e por aquilo que nos é dado constatar no sítio da Federação, onde são omissas intencionalmente as nomeações para a Taça de Portugal, significando este ato um retrocesso de 20 anos na transparência das nomeações na modalidade.

Decidimos esta semana, deixar para trás os nossos desejos de evitar a polémica, e elaborar este texto com um título sugestivo, mas que nos leva a uma realidade pura e dura, do que provavelmente se irá passar, pois consideramos que não é saudável para a modalidade esta não divulgação intencional.

Não fazemos adivinhação, mas não será difícil a um adepto mais atento, concluir, quem são as duplas de arbitragem que irão certamente estar presentes nesta Final Four, basta para tal verificar as nomeações divulgadas para o fim-de-semana.

Partindo do principio que serão duplas do nível 4, (Pois não foram divulgados como nos termos regulamentares é obrigatório, os critérios de nomeação e para que provas), verifica-se que num quadro de 14 duplas que engloba as 5 internacionais, 2 estão foram do País uma está de baixa médica, 2 estão nomeadas ás horas dos jogos e para lugares bem distantes, depois verificamos as outras duplas e apenas três (3) deste quadro, não têm nomeações (António Trinca / Tiago Monteiro, Mário Coutinho / Ramiro Silva e Fernando Costa / Diogo Teixeira), assim serão destas duplas que sairão ás nomeadas, que até poderão ser as 3, e assim vai a arbitragem Nacional.


O Analista

terça-feira, 29 de março de 2016

PO03 – Crónica de Fim-de-semana – 03 – 2015 / 2016

Breve crónica da PO03, referente á 2.ª Fase desta prova nacional não fixa, sendo nesta fase disputada em duas zonas com 8 (oito) equipas cada. Destacando-se a melhoria verificada em relação á última época na divulgação dos resultados e no preenchimento dos boletins de jogo, esperamos que seja para continuar.

PO03 – Campeonato nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos

Mantemos a chamada de atenção para a forte alteração regulamentar que comunicada através do Comunicado Oficial n.º 63 de 01-03-16, para a qual chamamos a devida atenção, e que está relacionada com a disputa da Fase final e com a participação da equipa representativa dos Açores.

2.ª Fase

Zona 2 – 3.ª- Jornada
Dia 25-03-16
Oriental Lisboa 32 – 30 Samora Correia
CCP Serpa 26 – 31 Zona Azul
AD Albicastrense 28 – 31 Vela Tavira
CF Sassoeiros 28 – 35 Ginásio Sul

Nesta Zona, ocorreram (na nossa opinião), dois (2) resultados, que podem ser considerados, surpreendentes, a vitória do Vela de Tavira em Castelo Branco, diante a AD Albicastrense, num jogo em que comandou praticamente o marcador durante todo o encontro, chegando ao intervalo já a vencer por 16-14, e desta forma passar a única equipa zona que apenas contabiliza vitórias nos jogos disputados, e a inequívoca vitoria do Ginásio Sul como visitante diante a equipa do CF Sassoeiros, que mesmo jogando em casa apenas apresentou um oficial ao banco, (no mínimo estranho), e que chegou ao intervalo na frente do marcador por 17-15, realizando um segundo tempo simplesmente para esquecer. No duelo entre equipa alentejanas, a equipa teoricamente mais fraca (na nossa opinião), o CCP Serpa chegou ao intervalo na frente do marcador por 13-9, com o Zona Azul, a recuperar e depois de igualar a 24 golos, passou a comandar o jogo e o marcador, para terminar como vencedor. O Oriental Lisboa venceu no jogo mais equilibrado da jornada o Samora Correia (único encontro com registo de ocorrências disciplinares nesta zona), com a o resultado ao intervalo a refletir a diferença final, situando-se em 16-14 a favor da equipa visitada.

Classificação depois de disputa esta jornada - 1.º Vela Tavira (9 pontos), 2.º AD Albicastrense, Zona Azul, e Oriental Lisboa (7 pontos), 5.º Ginásio Sul e CF Sassoeiros (5 pontos), 8.º CCP Serpa (3 pontos).

Zona 1 – 3.ª Jornada
Dia 25-03-16
SC Espinho 29 – 36 Póvoa Lanhoso
FC Infesta 25 – 26 Beira Mar
GC Santo Tirso B 35 – 27 ACD Monte
Gondomar Cultural 29 – 24 AD Amarante

Zona onde tal como na anterior apenas existiu um encontro com o registo de ocorrências disciplinares, que foi no Gondomar Cultural / AD Amarante, jogo totalmente comandado pelo Gondomar Cultural, que já vencia ao intervalo por 16-8, máxima diferença registado durante os 60 minutos de jogo, obtendo deste modo a sua primeira vitória na prova. O encontro mais equilibrado da jornada, disputou-se em Infesta, onde os aveirenses do Beira Mar, foram vencer pela diferença mínima, num encontro, onde o resultado ao intervalo era favorável ao FC Infesta por 20-16, depois de se ter registado diversa igualdades durante os primeiros 30 minutos, com a equipa visitada, a assumir comando do marcador depois de uma igualdade a 15 golos. No segundo tempo a equipa do Beira Mar, recupera e assumiu comando do marcador na maior parte das vezes sempre pela diferença mínima com que terminou. O Povoa Lanhoso, venceu o SC Espinho (em mais um encontro com a troca da ordem dos jogos, a grande novidade nas nossas provas esta época), e com esta vitória assumir o comando da zona apenas com vitórias, mas sentindo algumas dificuldades neste encontro, pois ao intervalo vencia pela diferença mínima 17-16, depois se terem registado diversas igualdades (a 15 e a16 golos), apenas controlou o jogo no segundo tempo, onde construiu a diferença final registada. No outro encontro da zona o GC Santo Tirso B, não teve qualquer dificuldade em vencer o ACD Monte, com o resultado ao intervalo a estar já num diferencial, que deu segurança e tranquilidade á equipa tirsense, pois já vencia por 18-9.

Classificação depois de disputa esta jornada – 1.º Póvoa Lanhoso (9 pontos), 2.º GC Santo Tirso B, AD Amarante e Beira Mar (7 pontos), 5.º FC Infesta, Gondomar Cultural e ACD Monte (5 pontos), 8.º SC Espinho (3 pontos).


O Noticias

Competições Europeias 2015 / 2016 – LXII

Publicamos hoje os jogos completos das 1/2 Final da Challenge CUP Masculina, que conta com a presença de duas equipas Portuguesas, repetindo a época anterior e com ao mesmos protagonistas, mas esperamos que com melhor sorte..

CHALLENGE CUP MASCULINA
Era excecional que a final fosse disputada por duas equipas portuguesas, são esses os nossos desejos. Pois não é impossível. Embora o sorteio não tenha sido favorável ás equipas portuguesas, que disputarão a 1.ª Mão em casa.

Calendário das 1/2 Final
1.ª Mão
Dia 23/24-04-16
S.L. Benfica - FyllingenBergen (Noruega)
ABC – HC Dukla Praha (República Checa).
2.ª Mão
Dia 30-04/01-05-16
FyllingenBergen (Noruega) - Benfica
HC Dukla Praha (República Checa) - ABC

A equipa do Benfica, vai defrontar o 4.º Classificado na principal prova que disputa na Noruega, que se disputa igualmente no sistema de Play OFF, e tem em Elvind Tangen, uma das principais figuras, sendo neste momento o 6.º melhor marcador, e ainda conta dois pivots Gjeitrem e o Sueco Stenqvist que são dos mais “velhos” e experientes da equipa. A equipa Noruega, conta no seu plantel com 4 jogadores oriundos da Suécia.

Por sua vez o ABC, volta a encontrar-se com os checos do HC Dukla Praha, com disputou os 1/8 Final na última época, tendo vencido em Braga por 42-27, e Praga por 32-30. Esta equipa só conta com um estrangeiro no seu Plantel, O pivot oriundo da Eslováquia Mojmir Hlavaty. A equipa Checa que se encontra a disputar a principal Liga Checa (Extra Liga), encontra-se no Play OFF na disputa dos 1/4 Final, que se disputam á melhor de cinco jogo (5) no sistema casa, casa (jornada dupla), fora, fora (jornada dupla) e o quinto jogo em casa. Tem em Milan Kotrc (Ponta Esquerda) o seu melhor marcador e 4.º da Liga até ao momento.


O Banhadas Andebol

Novas regras – Julho – 2016 - IV

 IHF IMPLEMENTA
ALTERAÇÕES ÀS REGRAS
(JULHO DE 2016)

A Federação de Andebol, publica, através do seu CO N.º 65 de 02-03-16, de que a IHF, implementa a partir de 1 de Julho de 2016, alterações às Regras de Jogo.

Assim e conforme o indicado em anterior artigo, hoje vamos dar continuidade á informação sobre as novas regras, ou sobre as alterações que se vão verificar, a partir de 1 de Julho de 2016

4 – Último Minuto

Informação:

O Objetivo desta Regra que foi modificada em 2010, foi o e evitar ou reduzir as condutas antidesportivas, e as faltas graves, no último minuto de um encontro, e também de dar á equipa que se encontrava em situação de vencida a oportunidade de igualar ou vencer o encontro, ou seja manter a emoção do resultado até ao último segundo. No entanto, o sucesso têm sido parcial e continuamos a ver ações graves que permitem a uma equipa vencer um encontro, independentemente do facto de um dos seus jogadores ser suspenso no encontro seguinte.

Adicionalmente, o período de um minuto é considerado demasiado longo para esta Regra (Num minuto é possível marcar dois ou mais golos)

Acordo:

  • Em vez do último minuto as disposições especiais serão unicamente aplicadas nos últimos 30 segundos.
  • A Regra será aplicada nos últimos 30 segundos do tempo regulamentar de jogo, e no final do primeiro e do segundo prolongamento.

As Regras 8:5, 8:6, 8:10 c, d são ajustadas da seguinte forma:

  1. A expressão “último minuto de jogo” deve ser substituída por “últimos 30 segundos de jogo”
  2. Uma falta inserida na Regra 8:10c (bola não está em jogo) será sancionada com uma desqualificação sem informação escrita, e um lançamento livre de 7 metros a favor da equipa adversária.
  3. Uma falta inserida nas Regras 8:10d (com a bola em jogo) e 8:5 será sancionada com uma desqualificação sem informação escrita, e um lançamento livre de 7 metros a favor da equipa adversária.
  4. Uma falta inserida nas Regras 8:10d (com a bola em jogo) e 8:6será sancionada com uma desqualificação com relatório escrito, e um lançamento de 7 metros a favor da equipa adversária.
  5. Nos casos 3) e 4) se aplicará o seguinte:
5.1.   Se o atacante é capaz de atirar e marcar um golo, não será assinalado nenhum lançamento livre de 7 metros;
5.2.   Se o atacante passa bola a um companheiro de equipa que não consegue marcar um golo, é assinalado um lançamento de 7 metros a favor da equipa adversária;
5.3.   Se o atacante passa bola a um companheiro de equipa que consegue marcar um golo, não é assinalado nenhum lançamento de 7 metros.

A decisão de aplicação do lançamento livre de 7 metros, aplicar-se-á segundo os seguintes conceitos:

  • O Atleta que sofre a falta grosseira, nos últimos segundos, converte golo – Golo, lançamento de saída para o adversário e desqualificação do infrator.
  • O Atleta que sofre a falta, passa a bola a um colega de equipa que converte o golo – Golo, lançamento de saída para o adversário, e desqualificação do infrator.
  • O Atleta que sofre a falta, passa a bolo a a um colega de equipa que não consegue converter em golo – Lançamento livre de 7 metros e desqualificação do infrator.

Esclarece-se no entanto que quando a bola está em jogo, a regra será sempre aplicada, quando as faltas praticadas colocam em perigo a saúde e a integridade física do adversário, não significando que qualquer falta cometida nos últimos 30 segundos, seja convertida em desqualificação e lançamento livre de 7 metros para o adversário.

Hoje tratamos, somente desta alteração, ficando apenas por tratar uma alteração, para completar este nosso trabalho.


O Formador

segunda-feira, 28 de março de 2016

PO23 - Taça de Portugal Seniores Femininos – 2015 / 2016 – XI

Realizaram-se hoje (26-03-16) a maioria dos jogos relativos aos 1/4 Final da Taça de Portugal Seniores Femininos.

Esta eliminatória, tal como a anterior, foi disputada sem qualquer condicionante, nem obrigatoriedade das equipas da PO09, jogarem sempre na condição de visitantes.
.
Resultados
Dia 26-03-16
João Barros 25 – 28 Madeira SAD
Colégio Gaia 26 – 20 Alavarium
Juventude Lis 30 – 27 Maiastars (C/prolongamento)
CS Madeira 33 – 29 CA Leça (antecipado)

Com um jogo já realizado e que apurou a equipa do CS Madeira, para disputar a Final Four, disputaram-se os restantes jogos, onde foram eliminadas duas das grandes favoritas a vencer a prova, estamos a referir-nos ao João Barros, que perdeu diante o Madeira SAD, após um jogo de grande equilíbrio, e onde o resultado aos 56 minutos era uma igualdade a 25 golos, com a equipa das meirinhas a perder o controlo do jogo nestes minutos finais, onde a guarda-redes Diana Roque do Madeira SAD, foi na nossa opinião determinante para a vitória da sua equipa, enquanto Maria Suaré com 8 golos e Neuza Valente com 5 golos, foram as melhores marcadoras do João Barros, enquanto Erica Tavares com 7 golos, Renata Tavares, Márcia Abreu e Ana Andrade, todas com 5 golos cada, foram as melhores marcadoras do Madeira SAD. Em Leiria, num jogo que se previa de grande equilíbrio, o mesmo não se afastou das previsões e ao intervalo registava-se uma igualdade a 9 golos, e apesar da equipa leiriense assumir mais vezes o comando do marcador nos segundos 30 minutos, nunca se afastou em termos determinantes permitindo sempre a recuperação do Maiastars, e o ao fim do tempo regulamentar registava-se uma nova igualdade agora a 22 golos. Neste encontro onde foram evidentes as melhorias verificadas na Juventude Lis nos últimos jogos destaca-se Ana Silva e Vanessa Oliveira, ambas com 10 golos cada, e Diana Oliveira com 9 golos e Ana Sousa com 8 golos foram as melhores marcadoras do Maiastars. No outro encontro que colocava frente a frente mais duas das grandes favoritas a vencer a Prova o Colégio Gaia / Alavarium, com um primeiro tempo de grande equilíbrio, o Colégio Gaia, chegou ao intervalo com dois golos de vantagem (10-8), no segundo tempo a diferença acentuou-se e o Colégio Gaia superiorizou-se às aveirenses e consolidou uma vitória que a leva a disputar a Final Four. Deve-se destacar neste encontro, os 13 golos de Mónica Soares do Alavarium, e a experiente Fernanda Carvalho com 6 golos pelo Colégio Gaia, onde foram as suas melhores marcadoras.

Equipas Apuradas para a Final Four  

1.ª Divisão (4) – Madeira SAD, Colégio Gaia, CS Madeira, e Juventude Lis.

Para os jogos das 1/2 Final e Final (Final Four) que serão disputados na Madeira, ainda não foi confirmada a data do sorteio.

A estrutura da prova será:

1/2 Final – Vencedores dos 1/4 Final – 16-04-2016 
Final – Vencedores das 1/2 Finais – 17-04-2016

O Noticias

Mundial Sub-20 Feminino – 2016 – X – Qualificados

MUNDIAL SUB.20 FEMININO
2016 

Depois da disputa dos Grupos Europeus, onde Portugal foi afastado, hoje informa-se de quais as equipas já apuradas para esta prova, cuja Fase Final do Mundial irá decorrer de 3 a 17 de Julho de 2016 na Rússia.

 JÁ APURADOS:
Rússia – Organizador
Dinamarca – 1.º Classificada no Euro Sub-19 de 2015
Roménia – 1.ª Classificado no Mundial de Sub-18 de 2014
Suécia – 3.ª Classificada no Euro Sub-19 em 2015
Europa – Croácia, Noruega, Alemanha, Hungria, Áustria, Holanda, França, Espanha e Montenegro
Pan América – Brasil, Argentina e Chile

Nota – A IHF, não incluiu nos apurados a Noruega, conforme o fez a EHF, veremos em que fica esta dissonância.


O Noticias

domingo, 27 de março de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 23 – 2015 / 2016 – II

Ligeira crónica da PO02, que mais uma vez realizou uma jornada incompleta.

Nota - Esta época as equipa “B”, não são apuradas para a Fase Final.

PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.

Zona Norte – Resultados
17.ª Jornada (4.ª da 2.ª Volta)
Dia 09-04-16
CCR Fermentões - FC Gaia (17H30) 24/27
22.ª Jornada (9.ª da 2.ª Volta)
FC Porto B 21 - 22 SP. Oleiros (antecipado)
Dia 25-03-16
AD Sanjoanense 36 - 30 Estarreja AC
GC Santo Tirso 29 - 24 CCR Fermentões
Dia 26-03-16
Modicus 23 – 30 FC Gaia
Xico Andebol 31 - 35 São Bernardo
São Mamede 36 - 26 Marítimo
Arsenal 44 - 30 Boavista FC

Zona onde continua a ter discrepâncias entre as jornadas, desta vez com um jogo antecipado e que já tinha sido comentado. Mas bem melhor que a outra zona, mesmo assim, reforçando a nossa questão da possível influência na classificação geral da zona, esperamos que não. Infelizmente tivemos mais uma jornada com mais ocorrências disciplinares, mas desta vez em apenas um encontro, curiosamente no único encontro onde não foi confirmado o resultado na jornada homóloga da 1.ª volta. Ao contrário da Zona Sul, nesta já temos a confirmação de uma descida de divisão, e ainda não temos a confirmação de nenhuma equipa com acesso á Fase Final.

Equipas que já desceram de DivisãoBoavista FC

O único encontro onde se registaram ocorrências disciplinares, foi igualmente o único encontro onde se verificou retificação do resultado em relação á 1.ª volta, e disputou-se em Sandim onde o Modicus foi derrotado pelo FC Gaia, após uma 1.ª parte de grande equilíbrio, que terminou com os visitantes na frente do marcador por 15-14, e com a consolidação do resultado apenas no segundo tempo. Foi um encontro “rasgadinho”, como se costuma dizer, pois o número de exclusões 13 no total acompanhadas de 3 desqualificações diretas assim o demonstram. Com este resultado e menos um jogo o FC Gaia, ainda se mantêm na discussão por um dos lugares de apuramento para a Fase Final, enquanto o Modicus em termos matemáticos ainda se encontra numa zona de bastante perigo e que será disputada até ao final da prova (na nossa opinião). Paulo Barbosa com 9 golos e Ruben Oliveira com 6 golos, foram os melhores marcadores do Modicus, por sua vez Pedro Garcia com 10 golos e Luís Carvalho com 9 golos, foram os melhores marcadores do FC Gaia.

No Municipal de Travessas, a AD Sanjoanense venceu o Estarreja AC, num encontro que comandou durante os 60 minutos, apesar do equilíbrio verificado durante os 30 minutos iniciais, que terminou já com os locais na frente por 14-12, mas um início do segundo tempo onde fizeram um parcial de 9-3, resolveu o jogo, ao colocarem o resultado em 23-15, e chegarem aos 9 noves golos de vantagem quando o marcador assinalava 34-25. Com este resultado, verificou-se troca de posições na tabela classificativa, mas mantendo-se ambas as equipas, numa zona de possível, descida, que será decidida nos próximos encontros, foi mais um encontro que apesar de não se registar ocorrência disciplinares teve um total de 20 exclusões, o que diz acerca da forma como o encontro foi disputado. Xavier Costa com 8 golos, Ricardo Pinho e Eduardo Pereira, ambos com 5 golos cada, foram os melhores marcadores da AD Sanjoanense. Tiago Arrojado com 11 golos e João Vilar com 7 golos, foram os melhores marcadores do Estarreja AC.

Em Santo Tirso, tivemos o GC Santo Tirso / CCR Fermentões, que foi um jogo, onde os locais sentiram maiores dificuldades para vencer do que certamente esperariam, durante os primeiros 30 minutos o equilíbrio do jogo e do marcador foi uma constante, com o intervalo a chegar com uma igualdade a 15 golos, depois de várias igualdades como por exemplo a 8 e a 10 golos. No segundo tempo o jogo, só começou a pender para a equipa tirsense, após uma igualdade a 20 golos, a que se seguiu um parcial de 6-0, efetuada pelo GC Santo Tirso, que colocou o marcador em 26-20, e aí resolveu o encontro, que se estava a mostrar de difícil solução. Com este resultado o GC Santo Tirso, reforça a sua condição de forte candidato á Fase Final, enquanto o CCR Fermentões apesar de ter menos um jogo, ainda não livrou completamente do espectro de descida, pelo menos em termos matemáticos. Pedro Machado com 6 golos, Tiago Costa e Francisco Fontes com 5 golos cada, foram os melhores marcadores do GC Santo Tirso, enquanto João Martins com 5 golos, foi o melhor marcador do CCR Fermentões.

No Pavilhão Eduardo Soares em São Mamede, realizou-se o São Mamede / Marítimo, duas equipas, com objetivos praticamente definidos, o São Mamede que continua a ser um dos favoritos ao apuramento para a Fase Final, e o Marítimo, que com a derrota agora sofrida, colocou-se num lugar onde a manutenção na Divisão está garantida. Venceu o São Mamede, mas o resultado final pode levar-nos ao engano, pois durante os primeiros 30 minutos que terminaram numa igualdade a 14 golos, apesar do maior domínio dos continentais que chegaram por diversas vezes a ter 4 golos de vantagem (8-4, 10-6, 12-8), contou sempre com a resposta do Marítimo, que no segundo tempo ainda deu alguma réplica até aos 18-16, a favor do São Mamede, mas a partir daqui foi a equipa local a dominar o encontro e o marcador. João Baltasar com 9 golos, e Diogo Rodrigues com 8 golos, foram os melhores marcadores do São Mamede, António Barros com 6 golos, Guilherme Nascimento e Paulo Moura com 5 golos cada, foram os melhores marcadores do Marítimo.

Em mais um jogo, com inversão de Pavilhão. Voltamos a afirmar a grande moda esta época, tivemos o Xico Andebol / São Bernardo, que foi um encontro de grande equilíbrio em especial durante os primeiros 30 minutos, que terminou com o Xico Andebol na frente do marcador por 18-17, o equilíbrio ainda se manteve no segundo tempo, com o marcador a registar diversas igualdades como por exemplo a 22 golos, para a equipa, que verdadeiramente jogava em casa, então avançar no marcador e vencer o encontro, mantendo-se assim na “corrida” aos lugares de acesso á Fase Final, enquanto o Xico Andebol, continua na chamada zona de perigo, quando faltam somente 4 jornadas para o fim desta Fase. Alfredo Bravo com 8 golos e Rui Oliveira com 7 golos, foram os melhores marcadores do Xico Andebol, enquanto no São Bernardo com 11 atletas a marcarem golos, Diogo Taboada com 8 golos e Leandro Rodrigues com 5 golos, foram os seus principais marcadores.

Por último, tivemos no Pavilhão Sá Leite, o Arsenal / Boavista, que foi um jogo sem história, pois os números verificados dizem tudo, e apenas, confirmou a descida de divisão do Boavista FC, e a vitória dos bracarenses, que os coloca como grande favoritos ao apuramento pela zona á Fase Final da Prova. No Arsenal com 10 jogadores a marcarem golos, André Caldas com 11 golos e Francisco Albuquerque com 9 golos, foram os melhores marcadores da equipa, enquanto o Boavista FC, que lamentavelmente se apresentou com apenas 9 jogadores, teve em Filipe Lopes com 11 golos e m Pedro Moura com 5 golos, os seus melhores marcadores.

Classificação após os jogos disputados até ao momento: - 1.º Arsenal (59 pontos), 2.º GC Santo Tirso (58 pontos), 3º São Mamede (57 Pontos), 4.º São Bernardo (52 pontos), 5.º FC Gaia (-1 jogo) (51 pontos), 6.º Marítimo (45 pontos), 7.º CCR Fermentões (-1 9jogo), e Modicus (38 pontos), 9.º SP. Oleiros (38 pontos), 10.º AD Sanjoanense (38 pontos), 11.º FC Porto B, e Estarreja AC (37 pontos), 13.º Xico Andebol (35 pontos), 14.º Boavista FC (26 pontos).

Zona Sul – Resultados
17.ª Jornada (4.ª da 2.ª Volta)
Dia 09-04-16
Ílhavo - Juventude Lis (15H30)
22.ª Jornada (9.ª da 2.ª Volta)
ADC Benavente 32 - 27 CDE Camões (antecipado)
Dia 25-03-16
Ílhavo AC 18 -
37 CD Marienses
Dia 26-03-16
Vitória FC 26 - 25 Benfica B
GS Loures 16 - 20 IFC Torrense 25/31 = c/d
Dia 06-04-16
Almada AC - Boa Hora (20H30)
Dia 09-04-16
Alto Moinho - 1.º Dezembro (18H00)
Dia 25-04-16
Juventude Lis - AC Sismaria (18H00)

Uma jornada incompleta e com jogos completamente desfasados de uma regularidade que se pretende, mas que não existe. Apenas esperamos que estes adiamentos não tenham influência direta na classificação. Completa um jogo, já realizado em tempo e devidamente comentado, pelo que este comentário será apenas relativo aos três jogos que realizaram. Em todos os jogos foram confirmados os resultados verificados na jornada homóloga na 1.ª volta, e em três (3) jogos disputados, lamentavelmente em dois (2), verificaram-se ocorrências disciplinares. Mantém-se tudo ou quase tudo na mesma, ou seja em termos de descida de divisão, as equipas situadas do 10.º lugar até ao 14.º, qualquer delas poderá descer de divisão, porque, o 10.º classificado se perder todos os encontros fará 40 pontos, enquanto o 13.º se vencer todos os jogos em falta fará 43 pontos, e portanto nunca afirmaremos que a equipa A ou B, já está descansada ou condenada, enquanto em termos pontuais, a sua classificação não estiver completamente definida, este critério aplica-se igualmente para os acessos á fase final.

Apuradas para a Fase Final – Boa Hora

No Pavilhão Antoine Velge em Setúbal, disputou-se o jogo mais equilibrado da jornada, com a equipa do Vitória FC a receber o Benfica B, num encontro de grande equilíbrio, e onde o Benfica B, chegou a estar na frente com 3 golos de vantagem nos primeiros 30 minutos (13-10), para o intervalo chegar com a equipa visitante ainda na frente por 13-11, no segundo tempo o equilíbrio voltou a ser a dominante com várias alterações no marcador, e as consequentes igualdades, para terminar com a vitoria da equipa visitada pela diferença mínima, mas mantendo o seu terceiro lugar na classificação Geral da Zona, e continuar com legitimas aspirações á discussão pelo apuramento para a Fase Final. André Praxedes com 11 golos, e João Machuqueiro com 7 golos, foram os melhores marcadores da equipa do Vitória FC, enquanto no Benfica B, onde 10 dos 13 atletas inscritos marcaram golos, os seus melhores marcadores, apenas concretizaram 4 golos (Válter Soares, João Machado, Gabriel Cavalcanti e Leone Almeida).


O CD Marienses foi a Ílhavo (encontro com registo de ocorrências disciplinares) vencer a equipa local, num encontro, em que comandou o jogo e o marcador durante os 60 minutos, chegando ao intervalo a vencer por 17-10, para no segundo tempo aumentar o seu pecúlio, para números que poderiam não ser imagináveis para muita gente, mas foram a realidade do jogo, onde as diferenças notórias, com a equipa insular, a fazer nos últimos minutos do encontro um parcial de 5-0, passando de 32-18, para o resultado final. Com mais esta vitória o CD Marienses, continua a ser um dos candidatos á discussão por um dos lugares ainda disponíveis, para a disputa da Fase Final, enquanto a equipa da Região de Aveiro, fica numa situação cada vez mias débil. António Ferreira com 8 golos e Tiago Sousa com 6 golos, foram os melhores marcadores do Ílhavo AC, Henrique Melo com 8 golos e Hélder Batista com 7 golos, foram os marcadores de serviço do CD Marienses.

Em Loures, realizou-se um encontro entre duas das equipas, que “lutam” pela sobrevivência, o GS Loures / IFC Torrense (encontro com registo de ocorrências disciplinares), mais uma vez o GS Loures se apresentou com apenas 10 jogadores inscritos. A equipa da Torre da Marinha, comando o jogo e o marcador durante os 60 minutos, atingindo o intervalo a vencer por 8-11, mas no segundo tempo chegou a ter vantagens de 5 golos como por exemplo quando vencia por 16-11. Com esta vitória passou para a frente do seu adversário neste jogo, e embora possa ter uma respiração mais aliviada, ainda não largou a zona de perigo. Nuno Oliveira com 10 golos foi o maelhor marcador do GS Loures, por sua vez Vladimiro Bonaparte com 6 golos, foi o melhor marcador do IFC Torrense.

Classificação após os jogos disputados até ao momento:- 1.º Boa Hora (-1 jogo) (60 pontos), 2.º Sismaria (-1 jogo) (55 pontos), 3.º Vitória FC (53 pontos), 4.º CD Marienses (50 pontos), 5.º Alto Moinho (-1 jogo) (48 pontos), 5.º CDE Camões, e Juventude Lis (-2 jogo) (47 pontos), 8.º ADC Benavente (45 pontos), 9.º Benfica B (44 pontos), 10.º 1.º Dezembro (-1 jogo) (35 pontos), 11.º IFC Torrense (33 pontos), 12.º GS Loures (31 pontos), 13.º Almada AC (-1 jogo) (28 pontos), 14.º Ílhavo (-1 jogo) (24 pontos).


O Banhadas Andebol

sábado, 26 de março de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 36 – 2015 / 2015 – I – Atualizada

Esta crónica relativa à PO01 e dedicada apenas aos jogos do Grupo A, 1/2 Finais do Play OFF (1.º jogo) que se realizaram esta semana e na próxima devido á presença de equipas portuguesas nas Competições Europeias, e ainda a um dos jogos do 5/8 lugar, Pois só teremos jogos do Grupo B, em 16-04-16 (4.ª Jornada).

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

Grupo A - Play OFF – 1/2 Final
1ª Jogo
Dia 16-03-16
FC Porto 31 – 32 Benfica (C/ Um Prolongamento)
Dia 23-03-16
ABC 31 – 32 Sporting (C/ Um Prolongamento)
2.º Jogo
Dia 26-03-16
Sporting 29 – 32 ABC
Dia 30-03-16
Benfica – FC Porto Benfica TV / Andebol TV

Resultados até ao momento:
FC Porto 0 – Benfica 1
ABC 1 - Sporting 1

5/8 Lugar (á melhor de 3 jogos)
1.º Jogo
Dia 19-03-16
Passos Manuel 34 – 33 Águas Santas
Dia 26-03-16
AA Avanca 18 – 25 Madeira SAD
2.º Jogo
Dia 16-04-16
Madeira SAD – AA Avanca (17H00)
Águas Santas – Passos Manuel (18H00)

Resultados até ao momento
Passos Manuel 1 – Águas Santas 0
AA Avanca 0 – Madeira SAD 0

Atualização

Dois (2) jogos disputaram-se este fim-de-semana, devido não só as competições Europeias de clubes, como ao estágio da Seleção Nacional. Um dos encontros diz respeito á disputa do 5.º ao 8.º lugar, e teve lugar Avanca, o AA Avanca / Madeira SAD, que terminou com a vitória esperada da equipa insular, que comando o jogo e o marcador durante os 60 minutos, chegando ao intervalo já na frente do marcador por 15-9, no segundo período do encontro chegou a ter vantagens de 8 golos, como por exemplo aos 33 minutos quando venciam por 18-10. Foi um encontro sem história praticamente. Miguel Batista com 5 golos (63% de eficácia) foi o melhor marcador da AA Avanca, enquanto no Madeira SAD o seu guarda-redes Yusnier Giron com 48% de eficácia, foi um dos grandes obstáculos da AA Avanca, Nuno Silva (83% de eficácia) e Elias António (56% de eficácia) com 5 golos cada foram os melhores marcadores da equipa.

Sporting 29 – 32 ABC


No pavilhão do Casal Vistoso, completamente cheio, o que é uma novidade, e conforme temos dito, só prova, que o modelo competitivo é extremamente válido. Foi um encontro com excelentes momentos de andebol, com uma preciosa e justa vitória do ABC, que foi a melhor equipa em campo, não só defender, com os seus guarda-redes a fazerem a diferença (22% de eficácia global), no Sporting, Alsoja Cudic, esteve mais uma vez ausente, e Bosko esteve presente mas só para “aquecer” o banco pois consideramos que os do Sporting estiveram mal, para não dizer que não existiram, O ABC que começou com a sua defesa do costume, que se mostrou permeável no inicio do encontro, para depois retificar a sua defesa, e ter um ataque onde a inteligência do central Pedro Seabra Marques (4 golos e 80% de eficácia), fez a diferença. O ABC, onde Nuno Rebelo e Tomás Albuquerque continuam ausentes, durante o primeiro tempo chegou a estar em vantagem por 5 golos por diversas vezes por exemplo 10-5 aos 11 minutos e 13-8 aos 21 minutos, para depois e após uma forte reação da equipa do Sporting, que iguala o encontro e chega ao intervalo com uma igualdade a 15 golos. No segundo tempo, mais uma vez o Sporting entra bem no jogo, mas nunca soube aproveitar as superioridades numéricas, sofrendo golos, por autêntico “adormecimento” da defesa, apesar do excelente jogo atacante de dois dos seus atletas Pedro Portela (12 golos e 92% de eficácia) e João Paulo Pinto (6 golos e 67% de eficácia), enquanto Pedro Solha apesar dos 7 golos (70% de eficácia), não esteve nos seus melhores dias, enquanto no ABC, o experiente Hugo Rocha (8 golos e 73% de eficácia), e o 1.ª Linha Nuno Grilo (6 golos e 86% de eficácia) faziam toda a diferença, apesar do equilíbrio que se foi verificando no marcador até aos 53 minutos quando se registava uma igualdade a 25 golos, mas algumas “infantilidades” atacantes, e exclusões completamente despropositadas, proporcionaram que o ABC assumisse o comando do jogo até ao final do tempo regulamentar. Assim a eliminatória fica empatada, mas com vantagem da equipa do ABC. Dirigiu o encontro a dupla internacional de Leiria constituída por Roberto Martins e Daniel Martins, que num encontro que não foi fácil de dirigir, devido ao contacto físico existente, estiveram bem, com algumas “poucas” falhas na lei da vantagem.

Prova com a sua Fase Final Grupo A (discussão para o titulo e definição de participações nas diversas provas da EHF), disputada esta época em novos moldes (entenda-se no número de jogos e na forma sequencial, a partir mas 1/2 Final), e que voltamos a repetir (na nossa opinião) são mais favoráveis a uma implementação da modalidade e a um acréscimo no entusiasmo, devido á sua forma competitiva. Mas que deverá merecer por parte do quem de direito, uma atenção redobrada nas nomeações das duplas de arbitragem para os diversos jogos. Parece-nos que até ao momento as nomeações, e na nossa opinião, segundo o que nos é dado a constatar, foram seguidos alguns critérios de segurança, esperemos que seja para continuar. No entanto não poderemos deixar de comentar pela negativa, o interregno excessivo que se verifica entre os jogos, pois retira continuidade competitiva, às equipas.

ABC 31 – 32 Sporting

No Pavilhão Flávio Sá Leite, e perante uma excelente moldura humana, que nunca deixou de apoiar a sua equipa, disputou-se o primeiro jogo das 1/2 Final, entre o ABC e o Sporting, que terminou tal como o outro jogo destas 1/2 Finais com a vitória da equipa visitante e curiosamente pelo mesmo resultado e igualmente com um prolongamento, depois de uma igualdade no final do tempo regulamentar a 28 golos, obtida por Fábio Magalhães a cerca de 7 segundos dos 60, numa boa jogada de ataque planeado após Time-OUT da sua equipa. Dizer que foi um excelente jogo de andebol, com as duas equipas a proporcionarem excelentes momentos de andebol, e onde o equilíbrio quase constante a nota dominante do mesmo. O Sporting comando o marcador durante os primeiros 12 minutos (6-5), para o ABC igualar e passar a comandar o marcador chegando a ter três (3) golos de vantagem aos 24 minutos quando vencia por 11-8 (maior diferença durante todo o encontro, que teve como grandes figuras (na nossa opinião) os jovens guarda-redes Emanuel Ribeiro do ABC (31% de eficácia), e Luis Oliveira do Sporting (45% de eficácia), que entrou em jogo cerca dos 40 minutos de jogo substituído o sueco Daniel Svensson (17% de eficácia), com a equipa do Sporting a recuperar fruto das suas ações defensivas e do ataque planeado onde Frankis Carol (7 golos e 64% de eficácia), igual o encontro a 14 golos a terminar os primeiros 30 minutos por Pedro Portela, em cima dos 30 minutos (7 golos e 70% de eficácia). As duas equipas apresentaram-se com sistemas defensivos diferentes, mas eficazes, o ABC, com uma defesa aberta, e que muitas vezes chegava a um 3x3, enquanto o Sporting defendia num 6x0 puro, onde a envergadura física da sua equipa fazia a diferença. No ABC, um jogador fazia a total diferença, de nome Pedro Seabra Marques (5 golos, 63% de eficácia) pela inteligência, com que jogava, fazia jogar e até marcava, com o experiente Hugo Tavares da Rocha a demonstrar que é um excelente atacante, e jogava como se tivesse sido sempre pivot, sendo o melhor marcador da sua equipa com 9 golos (75% de eficácia). Com estas situações todas os segundos 30 minutos foram de total equilíbrio, com variadíssimas situações de igualdade, com Nuno Grilo a fazer o 28-27 a 38 segundos fim do jogo, e com o Sporting a obter a igualdade da forma que já descrevemos. Estava, consumado desta forma que haveria prolongamento de jogo, e mais uma vez se provava, que o Play OFF é uma das formas mais emotivas, para disputa de provas. No primeiro tempo do primeiro prolongamento, previsto nas Regras de jogo, as equipas voltaram a terminar com uma igualdade a 30 golos, no segundo tempo deste prolongamento após nova igualdade a 31 golos, o Sporting marca o 32 golos a cerca de 2 minutos do fim, através de pedro Portela, e não sofre nova igualdade porque o ABC sofre uma faltado atacante cometida por André Gomes. Não nos devemos esquecer que o discernimento nesta parte final do encontro já era menor e notava-se alguma falta de frescura física em ambas as equipas no Sporting, porque houve pouca rotação de jogadores e no ABC, que tinha jogado uma competição Europeia á poucos dias. Dirigiu o encontro a dupla da internacional da IHF de Leiria, constituída por Eurico Nicolau e Ivan Caçador, que tiveram uma atuação á Europeia, como exemplo poderemos dizer que no segundo tempo apenas existiu uma exclusão, isto diz tudo quanto á forma como dirigiram o encontro, embora e na nossa opinião tenham por vezes não sido criteriosos em especial no sancionamento do jogo passivo.

O Banhadas Andebol

Competições Europeias 2015 / 2016 – LXI

Hoje completaram-se os 1/4 Final da Challenge CUP Masculina, com o Benfica a disputa o jogo da 2.ª Mão na Russia.

CHALLENGE CUP MASCULINA 

BENFICA VENCE ELIMINATÓRIA
(Perde 2.ª Mão por 27-25)

O Benfica, disputou o jogo da 2.ª Mão num pavilhão com capacidade para 7.000 espectadores, mas estava bem composto de público (2500), com os presentes a nunca deixassem de apoiar e puxar pela sua equipa. O Benfica, inicia mal o encontro, com bastantes falhas defensivas e alguma precipitação no ataque, e aos 2,30 minutos já perdia por 3-0, para aos 8 minutos, perder por 7-2, maior diferencial verificado nos primeiros 30 minutos, no entanto e após um Tome OUT de equipa, os portugueses com um parcial de 4-0 entre os 13 e os 16 minutos de jogo, colocam o marcador numa igualdade a 8 golos, conseguindo manter uma toada de equilíbrio até ao intervalo que chegou com a equipa Russa na frente do marcador por 13-11. Dizer que os guarda-redes do Benfica quer Nikola Mitrevski, quer Hugo Figueira não estiveram nos seus dias, e ainda que perdas de bola ao ataque por passes de costas, e outros que são pura invenção não resolvem jogos e pelo contrário apenas prejudicam a equipa. No segundo tempo os Russos entraram bem e aos 5 minutos já venciam por 16-12, com o Benfica a ser demasiado “frágil” nos 6 metros, onde a concretização russa se centrava, mas a e quipá do Benfica, nunca se desuniu apesar de Elledy Semedo, não estar nos seus dias, e ter pouca participação no jogo, quando o marcador chega aos 24-20, aos 51 minutos, estava igualado o resultado da 1.ª Mão, e a partir daqui o Benfica desde que não perdesse por uma diferença superior a quatro (4) golos, tinha a eliminatória, praticamente nas suas mãos, e consideramos o 24-21 (golo de Ales Silva) aos 52 minutos o momento da viragem e decisivo para o resultado da eliminatória, este golos combinado com a defesa de Hugo Figueira aos 26 minutos, com o resultado em 25-23 a favor dos russos, foram os momentos decisivos para o desfecho da eliminatória, pois de seguida João Pais marca e faz o 25-24 aos 28 minutos (achamos estranho o Boletim de jogo, não fazer nenhuma referência a este golo). Neste encontro devemos destacar o excelente jogo do jovem Davide Carvalho com 4 golos, muito bem acompanhado por Javier Borragan 5 golos, tantos como marcaram Ales Silva e Uelington Silva, na equipa Russa devemos salientar a boa prestação do seu guarda-redes Victor Kireev, e Dmitrii Kiselev com 6 golos e melhor marcador da sua equipa. Jogo arbitrado pela dupla da Macedónia constituída por Dimitar Mitrevski e Blagojche Todorovski, que teve uma atuação para esquecer, sem critério disciplinar, transformado nítidas faltas de atacante em 7 metros, e outras vezes nem as sancionando, em especial sem bola, e por vezes intimidatória, mas apenas para os portugueses.

Resultados
1.ª Mão
Benfica 24 – 20 St. Petersburg HC
2.ª Mão
Dia 26-03-16
St. Petersburg HC 27 – 25 Benfica

Depois de concluída esta eliminatória, teremos duas equipas portuguesas a disputar as 1/2 finais da prova, não sendo impossível uma final portuguesa, e que todos desejaríamos.

Calendário das 1/2 Final
1.ª Mão
Dia 23/24-04-16
S.L. Benfica - vencedor do FyllingenBergen (Noriega) / FIQAS Aalsmeer (Holanda)
ABC – vencedor do KV Sasja HC (Bélgica) / HC Dukla Praha (República Checa).
2.ª Mão
Dia 30-04/01-05-16
Vencedor do FyllingenBergen (Noriega) / FIQAS Aalsmeer (Holanda) - Benfica
Vencedor do KV Sasja HC (Bélgica) / HC Dukla Praha (República Checa) - ABC

Mais uma vez o sorteio não foi favorável ás equipas portuguesas que terão de jogar a 1.ª Mão em Casa.

O Banhadas Andebol