gal vence

Fim de Semana com as Super Taças - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sábado, 30 de novembro de 2013

Competições Europeias 2013 / 2014 – XXXV

Conforme já tínhamos afirmado, a participação Portuguesa nas provas Europeias masculinas, este fim-de-semana, iniciou-se de uma forma sensacional, com a vitória do FC Porto na Liga dos Campeões, teve depois prosseguimento na prova da EHF CUP, com a vitória do Sporting e a consequente entrada na Fase de Grupos, infelizmente o Benfica não conseguiu o seu apuramento o que lamentamos. 
 
MASCULINOS 
 
EHF CUP 
SPORTING VENCE E ESTÁ NA FASE DE GRUPOS
O Sporting, depois do excelente resultado alcançado (uma igualdade a 24 golos), no jogo da 1.ª Mão disputado na Croácia em ambiente escaldante, voltou a defrontar a equipa croata do Rukometni Kluc Porec, no jogo da 2.ª Mão no pavilhão da Torre da Marinha, com número de espectadores abaixo das espectativas (cerca de 600). A equipa Portuguesa venceu o encontro e desta forma conseguiu o apuramento para a Fase de Grupos (Cujo sorteio se realiza no próximo dia 05-12-13). A equipa Portuguesa que já vencia no final dos primeiros 30 minutos por 12-10. Teve um segundo período bem melhor que o primeiro, mas com quebras pelo meio permitindo a aproximação dos croatas, no entanto a partir de cerca dos 45 minutos arrancou em definitivo criando então o diferencial final. Finalmente Fábio Magalhães esteve á altura daquilo que se espera dele, sendo o melhor marcador da equipa neste encontro com 8 golos, logo seguido pelo Pedro Portela com 7 golos. Com este apuramento a equipa do Sporting faz história ao ser a primeira equipa nacional a participar nesta fase desde que existe a EHF com o novo formato (diga-se que apenas estamos na segunda época).
 
Resultado
1.ª Mão
Rukometni Kluc Porec 24 – 24 Sporting
2.ª Mão
Sporting 30 – 25 Rukometni Kluc Porec

BENFICA COM SEGUNDA DERROTA É ELIMINADO
O Benfica, tal como se tinha previsto, tinha uma difícil tarefa no jogo da 2.ª Mão da 3.ª Ronda de Qualificação pois defrontou (já com desvantagem, embora mínima) uma das mais fortes formações presentes nesta edição da EHF CUP, os húngaros do Pick Szeged, no seu pavilhão perante uma assistência (cerca de 3100 espectadores), que nunca “regateiam” o seu apoio á sua equipa. E onde tal como se esperava o ambiente dá origem a um encontro atípico com 14 livres de 7 metros (7 para cada equipa), mas com a equipa portuguesa a sofrer 6 exclusões contra apenas 1 do adversário. O Resultado de 14-10 ao intervalo era um resultado nada excessivo e poderia permitir ter esperanças, conforme se veio a verificar quando no início do segundo período a equipa Portuguesa alcança a igualdade a 16 golos, mas a partir daqui a equipa húngara reentrou no jogo e fez valer todo os seus trunfos conseguindo uma confortável vantagem apesar da réplica da equipa benfiquista, que não foi o suficiente e acabou derrotada por uma confortável margem. Dario Andrade com 9 golos foi o melhor marcador da equipa, logo de Carlos Carneiro com 6 golos. Nos Húngaros mais uma vez Zsolt Balogh com 10 golos foi o seu melhor marcador tal como já havio sido no jogo da 1.ª Mão na Luz.
 
Resultado
1.ª Mão
Benfica 24 – 25 Pick Szeged
2.ª Mão
Pick Szeged 31 – 25 Benfica

O Noticias

Competições Europeias 2013 / 2014 – XXXIV

A participação Portuguesa nas provas Europeias este fim-de-semana, iniciou-se de uma forma sensacional, com a vitória do FC Porto na Liga dos Campeões.
 
Masculinos 
 
EHF CHAMPIONS LEAGUE
SENSACIONAL VITÓRIA DO FC PORTO
 
FC Porto 27 – 24 KIF Kolding 
 
Num Dragão Caixa bem composto, mas que poderia muito bem ter mais publico e esta equipa pelo fez bem o merecia. O FC Porto, venceu o seu segundo encontro nesta Fase de Grupos, e infligiu a segunda derrota aos dinamarqueses do KIF Kolding, duma equipa que engloba e é herdeira de um dos mais milionários projetos de equipa na modalidade. O FC Porto realizando um encontro com bastante inteligência tacita, onde cada jogador sabia o que fazer mas dos quais permitimos-mos destacar o verdadeiro “cérebro” da equipa, o Pedro Spínola, um esquerdino que esteve verdadeiramente sensacional no ataque, sendo o melhor marcador do encontro com 8 golos, apenas seguido no aspeto dos golos pelo dinamarquês Bo Sellerberg com 7 golos. Mas o FC Porto não foi só Pedro Spínola, mas dois sensacionais guarda-redes, foram decisivos e diversos momentos foram eles Alfredo Quintana e Hugo Laurentino (apenas entrou aos 45 minutos), que no seu conjunto tiveram uma eficácia de 35%, acima de um também sensacional guarda-redes do KIF que dá pelo nome de Kasper Hvidt com 32% de eficácia. O FC Porto que desde o início do encontro não deu muita folga no marcador ao adversário, apenas passou para a frente do marcador aos 22 minutos (11-10), para não mais largar o comando do marcador, chegando a uma vantagem impensável por alguns (incluindo nós), de 7 golos cerca dos 37 minutos (20-13), mas uma mudança no sistema defensivo do KIF, que a equipa portista teve grandes dificuldades de adaptação e sofreu um parcial de 7-1, nos 13 minutos seguintes, quando resultado era 21-20 cerca dos 50 minutos, mas uma adaptação ao novo sistema defensivo do KIF, e uma forte determinação, deram origem a novo dilatar do marcador, perante a estupefação dos dinamarqueses. O Jogo foi dirigido por uma dupla espanhola constituída por Javier Alvarez Mata e Ion Bustamante Lopes, que mostraram não ter valor para estas andanças, pois o seu não critério disciplinar foi nitidamente desfavorável á equipa portuguesa, e na questão de passos foi outos dos itens em que estiveram francamente mal.
 
O Apuramento, para a fase seguinte, embora difícil ainda é matematicamente possível.
 
O Noticias

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Competições Europeias 2013 / 2014 – XXXIII

Mais um fim-de-semana Europeu, para as equipas portuguesas masculinas que disputam as provas da EHF, jogando na Liga dos Campeões e na EHF CUP, com a esperança em que sejam alcançados resultados positivos por todas. 
 
Masculinos 
 
EHF CHAMPIONS LEAGUE 
O FC Porto, disputará a 7.ª Jornada (2.ª da 2.ª volta) da Fase de Grupos integrado no Grupo “B” da liga dos Campeões em Masculinos defrontando novamente os dinamarqueses do Kif Kolding desta vez no Dragão Caixa (esperamos que tenha uma moldura humana forte e ativa no apoio á equipa), com a esperança de alcançar a sua segunda vitória na prova (no jogo da 1.ª volta o FC Porto foi derrotado por 25-20), e fazer uma retificação ao resultado que se verificou na última jornada, que pensamos, que será difícil no momento atual, face às lesões que afetam a equipa na sua globalidade, num jogo que terá início às 16H00 do dia 30-11-13. 
 
O Encontro terá transmissão em direto pela SportTV3 às 16H00 (Horas em Portugal), o encontro também é transmitido na EHF TV.
 
EHF CUP  
O Sporting, depois do excelente resultado alcançado (uma igualdade a 24 golos), no jogo da 1.ª Mão disputado na Croácia em ambiente escaldante, vai voltar a defrontar nesta 3.ª Ronda de Qualificação no jogo da 2.ª Mão a equipa Croata do Rukometni Kluc Porec, no recinto da Torre da Marinha, com a esperança de uma vitória, que levará equipa a passar para a fase de Grupos da Prova.
 
Resultado
1.ª Mão
Rukometni Kluc Porec 24 – 24 Sporting
Calendário
2.ª Mão
Dia 30.11-13
Sporting - Rukometni Kluc Porec (20H30)

O Benfica, tal como o Sporting, depois de ter sofrido uma derrota por um golos na condição de visitado no jogo da 1.ª Mão da 3.ª Ronda de Qualificação com uma das mais fortes formações presentes nesta edição da EHF CUP, os húngaros do Pick Szeged, vai agora voltar a defrontar esta equipa no jogo da 2.ª Mão a ser disputado na Hungria num ambiente nada fácil, mas certamente que o encontro será disputado com garra e determinação e que o diferencial sofrido em Lisboa poderá ser perfeitamente recuperável, e assim assegurar a sua passagem á fase de Grupos.
 
Resultado
1.ª Mão
Benfica 24 – 25 Pick Szeged
Calendário
2.ª Mão
Dia 30-11-13
Pick Szeged – Benfica (16H15)

Horas Locais
 
Desejamos a todos os clubes Portugueses participantes nas diversas provas Europeias, os maiores êxitos desportivos.
 
O Noticias

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Crónica de Fim-de-semana – 16 – 2013 / 2014 – I – Atualizada

Crónica da 2.ª Jornada da 2.ª Volta da 1.ª Fase, que face aos compromissos internacionais das equipas portuguesas será uma jornada de se prolongará por diversos dias.

Antes de terminarmos esta crónica gostaríamos apenas de colocar a seguinte questão, para responder quem souber:

Para que serve e a quem serve as transmissões da Andebol TV e da Bola TV?

Hoje (27-11-13) – assistiu-se a uma não (transmissão), com falta de qualidade, repetições inconcebíveis, atá á perda total do sinal. Tinha ficado bem, uma palavra justificativa na devida altura do site da FAP, mas provavelmente era muito incomodativo.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.
 
13.ª Jornada
Benfica 27 – 20 Belenenses
Dia 23-11-13
Ismai 28 - 25 Avanca
SC Horta 33 - 28 Passos Manuel
ABC 42 - 21 Madeira SAD
Águas Santas 31 - 26 AC Fafe
Dia 27-11-13
Sporting 20 - 20 FC Porto
 
Jornada que está marcada pelo grande clássico Sporting / FC Porto, que apenas se disputará no dia 27, mas que se iniciou com outro grande clássico do andebol português o Benfica / Belenenses, que terminou com a vitória do Benfica. Tivemos depois na cidade da Maia um jogo, que colocou frente a frente os dois últimos da classificação o Ismai / Avanca, e depois de se ver a parte que foi possível da transmissão compreende-se o porquê dos lugares que ocupam na classificação. O Ismai comandou mais vezes o marcador, mas permitiu quase sempre a recuperação dos homens da AA Avanca, tornando o jogo equilibrado, mas na maior parte das vezes este equilíbrio era fruto das faltas técnicas e das perdas de bola que ambas as equipas protagonizavam, e do completo desastre nas situações de 1X1 em frente dos guarda-redes. Foi um jogo onde na maior parte das vezes ambas as equipas não souberam aproveitar as superioridades numéricas, e o jogo que se encontrava aos 51 minutos com uma igualdade no marcador a 22 golos, quando a equipa do Avanca fica reduzida a 4 jogadores de campo (1 exclusão + 1 Desqualificação), e aqui sim, a equipa da Maia soube aproveitar fazendo um parcial de 6/1 e justificou desta forma o resultado final. Devemos destacar os dois guarda-redes Luís Silva na AA Avanca e Hugo Figueira no Ismai e assim como foram determinantes os 10 golos de José Pedro Coelho, no Avanca uma palavra de apreço ao Tiago Cunha com 8 golos, e ao jogo feito pelo jovem Duarte Carregueiro. Em Braga disputou-se o ABC / Madeira SAD, onde a equipa minhota construi um resultado dilatado em especial nos primeiros minutos, que ninguém esperava (21-7), que é uma consequência pura da evolução técnico e competitiva da equipa do ABC e o puro reflexo do se passa com a equipa Insular que esta época é uma verdadeira sombra do que já foi. O Madeira SAD, nunca encontrou antidoto para a fortíssima 1.ª Linha do ABC com João Paulo Pinto (7 golos), o jovem Nuno Rebelo (6 golos), muito bem comandados por um central de referência chamado Pedro Marques (5 golos) e com um Hugo Rocha (3 golos) que comanda as ações defensivas como poucos, com os seus dois guarda-redes em dia sim (Humberto Gomes 67% e Bruno Dias 47% de eficácia). No Madeira SAD João Mendes (4 golos) continua a ser o seu rematador por excelência mas com uma baixa eficácia, continuando Luís Marques, apesar de apenas marcar 2 golos a ser a grande referência da equipa. Na Maia disputou-se outro encontro o Águas Santas / AC Fafe, com a equipa da Maia a vencer mas com alguma dificuldade, tal como no jogo da 1.ª volta, desta vez, construiu um resultado com um maior diferencial, mas o resultado ao fim do primeiro tempo era o reflexo puro dessas dificuldades (15-13), e não tivesse o Águas Santas um guarda-redes de nome Telmo Ferreira que se encontra em nítida subida de forma e teve uma performance com uma eficácia de 42% em contra ponto com a eficácia dos guarda-redes do Fafe e provavelmente estaríamos a falar (escrever de outra forma) de outra maneira, pois a equipa da Maia cm Pedro Cruz que é sem duvida o seu elemento base a marcar e assistir teve desta vez uma atuação abaixo do que pode render pois apenas concretizou por 4 vezes, dos elementos mais produtivos da equipa foram o Bosko e o jovem Mário Lourenço ambos com 6 golos, sendo o PE Mário Ribeiro o seu melhor marcador com 7 golos. No AC Fafe com Pedro Peneda a jogar muito abaixo do que pode e sabe, foi uma equipa onde (na nossa opinião) apenas Marco Sousa (5 golos) e Cláudio Mota (6 golos), estiveram ao nível razoável. Na Horta disputou-se o SC Horta / Passos Manuel, registando-se desta vez uma vitória dos insulares, exatamente pela mesma diferença que o Passos Manuel tinha obtido na 1.ª Volta (5 golos). Foi um encontro onde o numero de exclusões (na nossa opinião é exagerada (12), dando a sensação de que poderia ter havido “uma batalha” que na realidade não de registou, o SC Horta comando quase sempre o marcador e ao intervalo já vencia por 17-14, resultado que traduz a sua ligeira superioridade complementada um segundo período que voltou a ser de grande equilíbrio. Na equipa insular desta foi a sua grande arma deu pelo nome de Milos Padezanin (9 golos), mito bem acompanha por Rui Barreto que realizou excelente exibição. Na equipa escolar todo o destaque vai mais ma vez para Pedro Sequeira com os seus 10 golos, enquanto Belone Moreira esteve longe da produtividade que pode e deve produzir. A jornada foi concluída cm mais clássico da modalidade o Sporting / FC Porto, que se disputou no pavilhão da Torre da Marinha, com uma assistência por nós considerada diminuta face a importância do Jogo. Terminou numa igualdade tornando assim o grande beneficiado da jornada o Benfica que assumiu o comando da classificação isolado. O FC Porto apresentou-se neste encontro “órfão” de Pivots face ás ausências de Tiago Rocha e do Cubano Salina, ambos por lesão e continua sem poder apresentar o seu reforço Alferdo Ferrer, igualmente por lesão, chegou a estar a jogar com 4 1.ª Linhas, num sistema que não deu os frutos desejados mas foi dando para equilibrar o encontro e o marcador, face ao desacerto no momento do remate da equipa do Sporting e ao rendimento que o seu guarda redes Quintana com 53% de eficácia, no entanto durante os 30 minutos iniciais apenas uma vez aos 9 minutos esteve na frente do marcador (4-3), pois a equipa do Sporting que também teve no seu guarda redes um dos seus pilares, com Ricardo Candeias 47% de eficácia. Foi um encontro com demasiada falhas técnicas, para jogadores que possuem o nível técnico elevado. No Sporting Fábio Magalhães parece que se “esqueceu” mais uma vez de que estava a efetuar um jogo, sendo na nossa opinião o jovem Pedro Portela (4 golos) juntamente com Marzo (3 golos) não pelos golos mas pelo que jogou e tentou fazer jogar e mais uma vez o jovem Rui Silva igualmente com 3 golos. No FC Porto além de Quintana que já referimos, Pedro Spínola (7 golos) foi sem duvida o homem do jogo. Após a conclusão desta jornada a classificação é: 1.º Benfica (35 pontos), 2.º Sporting (34 pontos), 3.ºABC, FC Porto (- jogo) e Águas Santas (33 pontos), 6.º SC Horta (27 pontos), 7.º Belenenses (21 pontos), 8.º Madeira SAD (20 pontos), 9.º Passos Manuel e Ismai (19 pontos), 11.º AC Fafe (18 pontos), e 12.º Avanca (16 pontos – 1 jogos).
 
Benfica 27 – 20 Belenenses
 
Na luz, na disputa deste encontro, que é um dos clássicos da modalidade, além de se verificar a evolução da equipa do Restelo, e qual a réplica que poderia dar ao favorito Benfica, era um encontro com que tinha um aliciante extra, verificar comportamento de 3 (três) seus ex-atletas, estamos certamente a referirmo-nos a Rui Silva, Luís Nunes e João Lopes, que atuam agora num Belenenses, equipa que ´´e agora dirigida, também por um ex-técnico do Benfica Pedro Alvarez, que ainda na última época era o adjunto de Jorge Rito na equipa Sénior. Venceu o Benfica, num encontro onde o resultado final, não espelha o que na realidade se passou em campo, onde o equilíbrio foi mantido até cerca dos 51 minutos (22-20), sendo no nosso entender este o momento de viragem quando Vicente Alamo (teve que ser substituído nos 3 minutos finais do primeiro período) efetuou a defesa que evitou o aproximar da equipa azul de Lisboa, que não conseguiu concretizar mais nenhuma ocasião até ao final do encontro, sofrendo neste período um parcial de 5/0. Na equipa do Benfica a falta de José Costa foi por demais evidente, constatando-se que não tem mais nenhuma solução com o mínimo de garantias para o seu lugar, apesar das diversas tentativas que passaram pelo jovem Paulo Moreno, até Álvaro Rodrigues (sem condição física) passando pelo russo Chernov, assim como a equipa perde clarividência quando Carlos Carneiro não está nos seus dias, apesar de ter marcado 5 golos, e este apenas na parte final deu um ar da sua “graça”, estando muito bem na marcação individual que fez a Edgar Landim, evitando assim a ação deste lateral que estava a ser mortífera. Destaque na equipa do Benfica para a prestação de Cláudio Pedroso (6 golos) e para Dario Andrade que com os seus 7 golos foi o melhor marcador da equipa. A equipa do Belenenses que se apresentou com uma defesa extremamente agressiva (não violenta), e com um ataque onde Edgar Landim (8 golos) e Luís Nunes (7 golos) se mostravam implacáveis foi equilibrando o encontro enquanto a condição física o permitiu. A equipa do Restelo nunca concretizou nas ocasiões de superioridade numérica e isso revelou-se fatal e está traduzido no resultado final, acrescentando a tudo isto, que a partir do momento em que Edgar Landim foi marcado individualmente nunca mais se encontrou, pois não teve soluções técnicas para a nova situação. De destacar ainda a prestação dos dois guarda-redes do Belenenses o “veterano” Vasco Ribeiro e Henrique Carlota, que apesar de não apresentarem índices de eficácia elevados estiveram “là”, em momentos cruciais do encontro. Por último apesar das melhorias verificadas a equipa do restelo não marcou um único golo nos últimos 11 minutos. O encontro foi dirigido pela dupla lisboeta constituída por Nuno Gonçalo e Nuno Santos, que na nossa opinião não esteve bem. O Jogo Passivo parecia ser assinalado a pedido, não existem avisos verbais a 40 minutos de jogo, esta situação é erradíssima, e a Lei da Vantagem esteve muito mal, não deixando de referir as faltas de atacante que passaram ao lado da dupla, é uma dupla que se deve preocupar apenas com o jogo e deixar o ambiente falar por si.
 
O Banhadas Andebol

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Escalões Etários – O Contributo

A FAP, publicou em 21-11-13, uma notícia onde destacava um documento elaborado pelo Instituto Superior da Maia, sobre o título "Proposta de etapas de formação para o Andebol português do futuro: Formar com vista a treinar para vencer", pode ser lido na íntegra neste link.
 
Na sua essência este documento é um estudo á muito “prometido” conforme a própria notícia diz, acerca dos escalões etários.
 
Aqui estamos a nós a dar o nosso contributo, para o tema, conforme a própria FAP, o diz e ainda antes de terminar o prazo indicado. Não iremos efetuar qualquer crítica ao documento, iremos sim aproveitar passagens do mesmo para destacar as nossas ideias.
 
Diz o documento em determinado momento, o texto que a seguir publicamos e que estamos inteiramente de acordo.
 
A procura dos objetivos inerentes ao andebol em idades jovens, como a vitória e o rendimento máximo, muitas vezes acaba por especializar precocemente o atleta, proporcionando uma mais rápida aprendizagem dos processos e possibilitando a obtenção de resultados desportivos pretendidos rapidamente. Contudo, esta prática tem-se revelado desadequada, pois pode provocar um abandono precoce da modalidade, em função da perda de motivação e saturação emocional. No mesmo sentido, com o acelerar de processos, são deixadas por trabalhar componentes decisivas para o atleta no futuro, o que provoca a construção de atletas “desequilibrados “, com lacunas para o que se pretende seja hoje um atleta de alto rendimento” 
 
Como todos sabemos os escalões em Portugal possuem em alguns casos 3 anos, o que provoca só por si a existência de grandes desequilíbrios quer morfológicos quer emocionais. E criam alguns problemas nas etapas de formação dos jovens atletas quer eles sejam masculinos quer sejam femininos. Assim a tendência normal, será para que os escalões de formação tenham apenas 2 (dois) anos, evitando-se assim os grandes desequilíbrios de que já falamos, e esta é também a nossa opinião. Mas uma alteração imediata nos escalões, cria grandes problemas, por isso somos adeptos de uma alteração regulamentar progressiva. (O estudo apresenta a forma com em alguns Países os mesmos são praticados). 
 
Poderíamos resolver a nossa apresentação resumindo dizendo que estamos perfeitamente de acordo com a proposta que o Ismai apresenta, e que nos leva a que o objetivo final seja, atingir o Escalão de seniores com 19 anos em Masculinos e 18 anos em Femininos. 
 
Mas também temos a consciência que estas idades não podem ser de imediato aplicadas, até porque estamos aa meio de uma época, e não se deve, nem se pode alterar regras a meio de uma prova, mas sem que exista um grande desequilíbrio nos escalões, poderemos perfeitamente atingir estes desideratos em mais duas épocas. 
 
Devendo para isso a FAP, divulgar rapidamente as idades dos diversos escalões para as próximas épocas, sem se perder a noção do equilíbrio das situações, e com o objetivo final, não só das idades de seniores, mas que os diversos escalões não tenham mais de dois anos de permanência. Com estas alterações regulamentares, seguramente que não iremos perder tantos atletas e iremos ter equipas mais e melhor apetrechadas nas divisões inferiores, e especial seniores, e sinceramente acreditamos na possibilidade até do aumento do número de praticantes. 
 
Não poderemos terminar sem aconselhar uma leitura atenta do referido documento que está na nossa opinião bem elaborado e não “aborrecido” conforme normalmente são estes estudos.
 
O Analista

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Crónica de Fim-de-semana – 09 – 2013 / 2014 - IV

Cronica dedicada à PO04, regressando ao seu formato normal, com a disputa de jogos nas duas zonas. 
 
PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.
 
Zona Norte
9.ª Jornada
ABC 35 - 15 CA Leça
São Bernardo 34 - 27 Ismai
Santo Tirso 22 - 24 FC Porto
AD Sanjoanense 24 - 38 FC Gaia
São Mamede 24 - 23 Águas Santas
AC Fafe 30 - 33 Xico Andebol

Saúda-se, mais uma jornada sem ações que dessem origem a relatórios disciplinares, o que será sempre de registar. É tanto mais de salientar este facto, quando se disputou um encontro entre duas das equipas que melhor e mais formação têm produzido nos últimos tempos o São Mamede / Águas Santas, que terminou com a vitória da equipa de São Mamede pela diferença mínima, num encontro disputadíssimo onde a comprova-lo está o resultado que se registava ao intervalo, que era uma igualdade a 9 golos. Apenas mais um jogo equilibrado o Santo Tirso / FC Porto, que terminou com a difícil vitória do FC Porto, que para tal teve de colocar em campo todos os seus melhores elementos, não havendo poupanças, de referir o facto da boa presença de público neste encontro. Depois em todos os restantes encontros com mais ou menos golos verificaram-se as vitórias dos favoritos, e em alguns deles com verdadeiras goleadas, com uma exceção ao dérbi minhoto AC Fafe / Xico Andebol, disputado em família, tendo o Xico Andebol em João Macedo o seu melhor marcado com 10 golos. Em Braga o “super favorito” ABC, “cilindrou” positivamente a sua congénere de Leça, igualmente num encontro quase sem público, tendo em Luís Correia com 10 golos o melhor marcador. Em São Bernardo a equipa local, manteve intactas as aspirações ao apuramento, ao derrotar com clareza a equipa do Ismai. Em São João da Madeira, a equipa local recebeu o FC Gaia, e foi claramente derrotada, chegando ao fim dos 30 minutos iniciais já a perder por uns claros 22-11. Neste encontro de destacar os 12 golos marcados por Alexandre Duarte da AD Sanjoanense e os 16 de Pedro Camara do FC Gaia. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º ABC (27 pontos), 2.º FC Porto (25 pontos), 3.º São Bernardo (23 pontos), 4.º Xico Andebol (21 pontos), 5.º Águas Santas, Santo Tirso e FC Gaia (17 ponto), 8.º São Mamede (16 pontos).
 
Zona Sul
7.ª Jornada
ADC Benavente 34 - 42 Sporting
Boa Hora 15 - 21 Vitória FC
Belenenses 33 - 28 Alto Moinho
GS Loures 16 - 21 Juventude Lis
Dia 26-11-13
Benfica - Passos Manuel (20H45)

Jornada incompleta, pois ainda falta disputar o Benfica / Passos Manuel, e que foi realizada em diversos dias, contem algumas curiosidades, como por exemplo as equipas do Boa Hora e do GS Loures ainda não registam qualquer vitória, e nesta semana a equipa do Boa Hora que recebeu o Vitória FC, saiu mais uma vez derrotada, apesar de ao fim dos 30 minutos iniciais, se encontrara a perder apenas por 1 golo de diferença (10-9), este foi mais um encontro quase sem publico, e foi até agora computo das duas zonas em que a prova se disputa o único com relatório disciplinar, mas com a curiosidade de no boletim de jogo não estar assinalada qualquer desqualificação (não é obrigatório), mas é curioso. Foi um encontro onde mais uma vez o jovem Gonçalo Trancoso foi o “abono de família” do Vitória FC com os seus 8 golos. Em Benavente a equipa local recebeu o Sporting e perdeu com naturalidade (Boletim de jogo incompleto), destaque neste encontro para os 11 golos de Edmilson Araújo do Sporting. No Restelo o Belenenses venceu como se esperava o Alto Moinho, num encontro onde existiu grande equilíbrio, e com a equipa do restelo a não esperara encontrar tantas dificuldades, pois ao intervalo encontrava-se a perder pela diferença mínima (16-15). GS Loures a equipa mais fraca em prova (na nossa opinião), recebeu a Juventude Lis, num jogo presenciado apenas por 20 espectadores (ridículo – na nossa opinião, mas que prova a falta de competitividade desta prova) e perdeu com toda a naturalidade. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: 1.º Sporting (19 pontos), 2.º Benfica (18 pontos – 1 jogo), 3.º Passos Manuel (16 pontos – 1 jogo), 4.º Vitória FC, Belenenses e Juventude Lis (15 pontos), 7.º ADC Benavente (12 pontos) e 8.º Alto Moinho (11 pontos).
 
O Noticias

Informação - Clubes - Boavista

BOAVISTA

Captação de Praticantes
 
Em anexo, foto com os horários e treinos para crianças nascidas entre 2001 e 2007, que têm o interesse de começar a praticar um desporto, e ao mesmo tempo se divertir ao máximo. Treinos Segundas 19h às 20h, Quartas 19h às 20:30, sexta-feira 19h às 20:15h, e Sábados 9h às 10:30h sempre no pavilhão da Escola Fontes Pereira de Melo. 
O Noticias

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Crónica de Fim-de-semana No Feminino – 09 – 2013 / 2014

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

1.ª Fase
9.ª Jornada
Juventude Mar 25 - 24 CS Madeira (antecipado)
CA Leça 18 - 41 Madeira SAD (antecipado)
Dia 23-11-13
João Barros 25 - 24 JAC-Alcanena
Vela Tavira 26 - 30 Colégio Gaia
Juventude Lis 25 - 21 Maiastars
Assomada 28 - 35 Alavarium

Foi um fim-de-semana com apenas 4 jogos mas com um jogo grande que correspondeu às expectativas. Antes de iniciar a análise, somos obrigados a falar sobre as nomeações. Não comentamos nunca arbitragens neste espaço de discussão mas somos sempre críticos quando os melhores árbitros são afastados da prova maior do andebol feminino português. Este ano, o conselho de arbitragem tem feito gato sapato da primeira divisão feminina e este fim-de-semana foi mais um exemplo disto com todos os jogos da jornada a terem nomeações de árbitros de terceira! Os jogos da PO1 e PO2 têm todos árbitros de categoria superior e os da PO9, árbitros de terceira categoria. Inclusivamente, um jogo entre candidatos ao título. É bom que a FAP fale com o Conselho de Arbitragem porque as boas práticas do ano passado foram completamente esquecidas. E tem sido assim desde o início do ano?

Mas vamos ao que interessa. O grande jogo da jornada opunha o Colégio João de Barros ao JAC e não defraudou as expectativas, com bastante qualidade e equilíbrio. Apesar da derrota, o JAC mostrou que é candidato ao título. Depois de vencer a Madeira, discutiu até ao último segundo o jogo em casa da única equipa invicta do campeonato. Tem aquela que, até ao momento, tem sido a melhor jogadora do campeonato, Patrícia Rodrigues. A jovem prodígio deu mais um grande espetáculo, sendo o verdadeiro abono de família da equipa de Alcanena. A equipa é boa, de facto, mas se tirarmos Patrícia Rodrigues a equipa torna-se uma equipa com muitas dificuldades. Faltou serenidade nos momentos chave do encontro e a completa intranquilidade do banco, onde os protestos com a arbitragem retiraram discernimento, retiraram à equipa sensação do campeonato a hipótese de vencer um jogo onde o que nos impressionou foi a qualidade defensiva desta equipa, algo que antes era o seu calcanhar de Aquiles. Estamos muito curiosos quanto à próxima jornada em que o Jac vai a Aveiro e perante um Alavarium que tem jogado sem Ana Seabra tem uma grande oportunidade de vencer e assumir a sua candidatura ao título. O Colégio João de Barros segue de vento em popa. Sofreu muito para manter a invencibilidade mas a sua serenidade (muito influenciada pela postura tranquila do seu treinador, Paulo Félix) valeu-lhe a vitória. Maria Pereira, desde o primeiro minuto, mostrou que está em excelente forma e, com o correr do jogo, apareceu Dulce Pina que parece talhada para estes jogos grandes e que nem a falta de treino a parece afetar. A equipa tem mais soluções do que o ano passado, respira confiança e é, na nossa opinião, a melhor defesa do campeonato, com uma compleição física fantástica. Será este, finalmente, o ano do Colégio João de Barros? Para já, tudo corre na perfeição. Para a semana, terão o seu grande teste, na sua deslocação ao Funchal!

Em Lisboa, o Alavarium venceu o Assomada. As campeãs nacionais fizeram um jogo mediano, sem grande brilhantismo, mas sempre com o resultado a uma distância confortável. Mariana Lopes e Cláudia Correia parecem atravessar bons momentos de forma e saúda-se o regresso da esquerdina Lisa Antunes após prolongada ausência por lesão, com a ponta esquerda Ana Marques a ser a melhor marcadora. Ana Seabra e Filipa Fontes continuam de fora por lesão e veremos se esta equipa remendada tem capacidade para bater as 2 equipas em melhor forma do campeonato: JAC e Colégio João de Barros. O Assomada, apesar da derrota, fez um jogo bastante bem conseguido diante das campeãs nacionais. Nádia Fernandes e Carla Mendes foram uma dor de cabeça para a equipa aveirense e é pena que defensivamente a equipa não consiga ter uma boa organização porque ofensivamente este enorme viveiro de jogadoras está a começar a funcionar e começa agora a mostrar mais adaptação à realidade da 1ª divisão.
 
Em Tavira, o Colégio de Gaia venceu mas com uma exibição muito apagada. A equipa continua muito longe do que pode produzir, mas acreditamos que pode melhorar e lutar por um lugar nos 4 primeiros. Mas há que trabalhar mais e modernizar um sistema ofensivo algo arcaico. Sara Andrade fez a melhor exibição da época com golos de belo efeito. Mas o Colégio de Gaia desperdiçou inúmeros ataques com falhas técnicas, mas valeu uma boa postura defensiva que complicou muito a vida às algarvias. O Vela de Tavira continua a ser a única equipa sem vitórias no campeonato. Joana Reis fez o seu terceiro jogo da época, após lesão e, apesar de estar longe do que pode fazer vem acrescentar qualidade às algarvias. Mas, além dela e das manas Faleiros, a equipa continua a render pouco e duvidamos que possa melhorar muito com a maior parte das suas jogadoras, por compromissos académicos, a nunca poderem treinar juntas.
 
Por último, um jogo muito interessante opôs a Juve Lis e o Maiastars. A equipa da Maia fez uma grande primeira parte defensiva, anulando por completo o ataque leiriense e dominando toda a primeira parte. No entanto, na segunda parte, a equipa perdeu agressividade defensiva e os inúmeros erros ofensivos permitiram contra-ataques ao adversário e valeram-lhe a derrota. Algumas lesões têm fragilizado as maiatas mas em boa verdade a única rematadora de primeira linha que consegue marcar golos é a jovem Diana Oliveira que, nos dias de hoje, joga a um nível muito acima das suas colegas, além naturalmente de Ana Silva. O Maia é completamente dependente das suas esquerdinas que são jogadoras de outra dimensão. Mas o que é mais confrangedor neste Maiastars é a pobreza do seu jogo ofensivo. Se não tem atiradoras, deveria ter no seu modelo ofensivo combinações que permitissem outros recursos. Mas o seu jogo continua pobre e previsível. Já a Juve Lis mostrou que está a subir de forma, tal como já tínhamos referido na nossa última crónica. Nos primeiros jogos desta época, as leirienses estavam péssimas defensivamente e parecem agora começar a voltar a uma das suas características mais fortes no passado. Além disso, as vitórias trazem confiança e esta jovem equipa começa a mostrar o que vale. É verdade que continuam muito dependente das rematadoras Ana Gante e Patrícia Mendes mas a equipa quando defende bem, como foi o caso deste Sábado, consegue aproveitar para sair bem em contra-ataque. Foi uma vitória muito mais sofrida do que os números indicam mas muito saborosa e um sinal que a Juve Lis é presença garantida nos play-offs.
 
Para a semana, o campeonato pára devido a trabalhos das seleções jovens mas, daqui a 2 semanas, vem aí uma jornada escaldante onde os 4 candidatos ao título se enfrentam: Madeira Sad / Colégio João de Barros e Alavarium / JAC. Cá estaremos para lhe contar tudo da mais escaldante jornada até ao momento do campeonato.
 
Críticos Femininos

Crónica de Fim-de-semana – 10 – 2013 / 2014 - II

Crónica dedicada á PO02.
 
Como se deve também falar na positiva, devemos dizer que felizmente se registam grandes melhorias na apresentação dos Boletins de Jogo, começando a ser escassas as anomalias verificadas.
 
PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.
 
Zona Norte - Resultados
10.ª Jornada
Marítimo 28 - 25 Santana
Santo Tirso 29 - 23 Fermentões
São Bernardo 27 - 30 FC Porto "B"
FC Gaia 22 - 24 AD Sanjoanense
Xico Andebol 43 - 22 Modicus
SP Oleiros 17 – 26 São Mamede
FC Infesta 26 - 29 Académico FC.

Mais uma jornada, em que temos de realçar o facto de não existir pelo menos aparentemente nenhum boletim de jogo que tenha o registo da existência de relatórios disciplinares, são estas situações que se saúdam com bastante satisfação e agrado, e aqui deixamos os nossos agradecimentos aos clubes. Um dos resultados mais salientes da jornada, na nossa opinião é sem dúvida a primeira vitória da equipa do Lima, que na sua deslocação ao recinto do FC Infesta (onde foi notória a ausência de publico), venceu, e convenceu, embora tenha construído todo o resultado o primeiro tempo, saído para o intervalo já na frente do marcador, 17-10, desta forma o Académico FC abandonou o último lugar da classificação da zona, que passou a ser ocupado pela equipa da Região de Aveiro o SP Oleiros, que foi vencido pela Académica de São Mamede, que nesta altura da prova que prevê com algum segurança, que será certamente um dos grandes favoritos á discussão dos lugares de acesso á Fase Final da prova. O Xico Andebol, que continua ser a única equipa sem derrotas na zona, recebeu e “cilindrou” positivamente o Modicus, num encontro que mais uma vez se estranha seja disputado quase em família, tão escassa é a presença de publico no pavilhão do Francisco da Holanda, importa referir que a equipa de Guimarães já vencia ao intervalo por 23-7. Mais uma vez o equilíbrio nos restantes encontros nos leva a afirmar que alguns dos lugares de acesso á qualificação para a Fase Final, serão discutidos pelas equipas com maior experiência. O Marítimo venceu o Santana num jogo de grande equilíbrio, onde a equipa do Continente continuou a dar provas da sua nítida subida de rendimento (Boletim de jogo incompleto). Em Santo Tirso assistiu-se a mais um bom jogo de andebol, disputado com grande equilíbrio nos primeiros 30 minutos, verificando um resultado ao intervalo de 12-11 a favor da equipa visitada. Apesar da forte reação dos homens de Fermentões, o resultado apenas sofreu um maior diferencial no segundo período, dois factos devem ser salientados, os 12 golos marcados por Daniel Costa do Santo Tirso e os 3 livres de 7 Metros não concretizados pela equipa de Fermentões. Em São Bernardo, defrontaram-se duas das equipas igualmente com aspirações ao apuramento, no São Bernardo / FC Porto (Boletim de Jogo incompleto), num jogo de grande equilíbrio e com os aveirenses a terminaram o primeiro período na frente do marcador (16-15), o FC Porto para vencer este encontro e assim manter-se nos primeiros lugares da classificação teve de usar todos os seus jovens de grande valor e com experiencia de PO01. Terminamos com mais um resultado que para nós constitui uma das surpresas da jornada, a vitória da AD Sanjoanense em Gaia diante o FC Gaia, num encontro onde o FC Gaia chegou a intervalo a vencer por um diferencial de 5, e a equipa de S.J. da Madeira conseguiu com abnegação dar a volta e vencer o encontro. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada, (apenas até ao 6.º Lugar): 1.º Xico Andebol (29 pontos), 2.º São Mamede, FC Porto “B” (+ 1 jogo) (27 pontos), 4.º Santo Tirso (26 pontos), 5.º Santana (22 pontos), 6.º Marítimo (21 pontos - 1 jogo). 
 
Zona Sul – Resultados
10.ª Jornada
Samora Correia 24 - 29 Vitória FC
Boa Hora 21 - 22 IFC Torrense
Ílhavo 18 - 29 CDE Camões
ADC Benavente 32 - 24 Vela Tavira
NA Redondo 25 - 32 CD Marienses
AC Sismaria 29 - 28 Alto Moinho
Ginásio Sul 22 - 27 Benfica "B"

Foi uma jornada, em que cotamos com a colaboração de alguns leitores, em especial no Benavente / Vela Tavira que desta forma terá uma crónica um pouco mais alargada. Mas a jornada apresentou alguns jogos equilibrados e surpreendentes, como a vitória do IFC Torrense sobre o Boa Hora. Foi uma vitória pela diferença mínima, mas traduz o equilíbrio verificado ao longo de todo o encontro, embora a equipa de Lisboa tenha realizado um segundo período muito aquém do que pode produzir, permitindo á equipa da Torre da Marinha uma reviravolta completa do resultado já que perdia ao intervalo por 11-7, e muito contribuiu para este resultado os 10 golos de Tiago Gil (Boletim de jogo incompleto) com este resultado a equipa da Torre da Marinha igualou o Boa Hora no 4.º Lugar da Classificação. Na região de Leiria, tivemos mais uma vitória da equipa local, embora pela diferença mínima, o Sismaria, desta vez sobre o Alto do Moinho onde nem os 10 golos Miguel Queluz foram suficientes para levar a sua equipa á desejada vitória. Em Samora Correia a equipa local defrontou o Vitória FC e perdeu num jogo com a assistência normal nesta região ribatejana, mas com a sua equipa a não confirmar o valor das últimas épocas, registando até ao momento apenas duas vitórias, e onde o 11 golos do seu atleta Renato Correia foram insuficientes. NO redondo verificou-se mais uma vitória da equipa Insular do CD Marienses, que apesar de se encontrar em desvantagem ao intervalo (14-13), sobre reagir e vencer com um diferencial que não deixa dúvidas sobre a justiça da mesma. No Ginásio do Sul num encontro onde apenas existiu equilíbrio no primeiro tempo, onde se registava uma igualdade a 14 golos ao fim dos primeiros 30 minutos, com o Benfica “B”, a vincar a sua superioridade apenas nos segundos 30 minutos. Tivemos por fim os resultados mais dilatados da jornada, em Ílhavo num jogo disputado com o pavilhão praticamente vazio, a equipa mais experiente o CDE Camões venceu claramente a equipa local, com os atletas mais experientes a serem preponderantes na construção desta folgada vitória, O Tiago Silva com 2 golos e o João Oliveira com 7, e desta forma continuam no 2.º lugar em igualdade com O ADC Benavente, num jogo onde o favoritismo ia por completo para a equipa de Benavente, os homens de Tavira fizeram um jogo certinho durante toda a 1ª parte, com grande destaque para Carlos Abraul, 7 golos no 1º tempo, e onde a equipa da ADCB parecia apática, como se soubesse que mais tarde ou mais cedo o jogo se resolveria, mas por vezes estas atitudes dão mau resultado, o jogo foi-se desenrolando sempre com o resultado muito nivelado, chegando ao intervalo com a diferença de 2 golos para a equipa Ribatejana.
O intervalo fez bem fez bem á ADCB, que voltou decidida para a 2ª parte, chegando a um parcial de 5 x 0 em pouco mais de 3 minutos, colocando o resultado com 7 golos á maior, obrigou o Treinador do Vela Tavira a um Time-out logo aos 33.15 min., daí para a frente os jogadores de Tavira foram dando a réplica possível, mas a vantagem que chegou a ter 10 golos de vantagem, o treinador da equipa local fez rodar toda a Equipa, Carlos Abraul não conseguiu repetir a exibição da 1ª parte, fisicamente foi decaindo como se previa, e o Vela foi jogando o que o adversário lhe permitia e que fisicamente lhes era possível, apenas 10 jogadores!!!! Melhor era difícil. O ADCB mantém a 2ª posição (em igualdade co CDE Camões), onde se crê, irá lutar pela Fase Final até ao fim. Como de costume, destaque na ADCB para os 9 golos (nenhum de 7 metros) de Ricardo Barrão, já habitual, sendo no momento o melhor marcador da 2ªDivisão, e ainda para António Cabaça, também 9 golos, um jovem que se estreia nesta Divisão e a revelar-se um grande reforço para a 1ª Linha da ADCB (Boletim de jogo Incompleto). Após esta jornada a classificação, esta assim ordenada até ao 6.º Lugar: 1.º Benfica “B” (30 pontos), 2.º ADC Benavente e CDE Camões (26 pontos), 4.º IFC Torrense e Boa Hora (22 pontos),  6.º Vitória FC (21 pontos).
 
O Banhadas Andebol

Competições Europeias 2013 / 2014 – XXXII

Os resultados obtidos este fim-de-semana, pelas 2 (duas) equipas Masculinas a disputar a EHF CUP, foram na nossa opinião globalmente positivos.
 
Masculinos 
 
EHF CUP 
 SPORTING EMPATA JOGO DA 1.ª MÃO
 
O Sporting, defrontou na 1.ª Mão desta 3.ª Ronda de Qualificação a equipa Croata do Rukometni Kluc Porec, na Croácia onde contra tudo e contra todos (basta consultar o Boletim e jogo) obteve um excelente empate, o que lhe permite acalentar todas as esperanças na passagem da eliminatória e a entrada na fase de grupos. O encontro foi bastante equilibrado em termos de marcador de tal forma que ao intervalo também se registava uma igualdade mas a 13 golos. Nunca esquecendo que aos 47 minutos a formação leonina vencia por 20-19, era uma vantagem mínima mas era uma vantagem que se manteve cerca dos 58 minutos quando ainda vencia por 24-23. Cedendo a igualdade nos momentos finais, num encontro disputado num ambiente que quase roça o fanatismo, e onde por exemplo a equipa croata apenas foi sancionada com 3 livres de 7 metros contra os 7 que foram marcados á equipa portuguesa. De destacar a coragem da equipa no seu todo e ainda Ricardo Dias e Fábio Magalhães que foram os melhores marcadores da equipa com 5 golos cada. 
 
Resultado
1.ª Mão
Rukometni Kluc Porec 24 – 24 Sporting
Calendário
2.ª Mão
Dia 30.11-13
Sporting - Rukometni Kluc Porec (20H30)
 
BENFICA PERDE JOGO DA 1.ª MÃO

O Benfica, jogou a 1.ª Mão desta 3.ª Ronda de Qualificação com a equipa Húngara do Pick Szeged na luz, com mais espectadores do que é normal o que se saúda, perdeu pela diferença mínima num jogo onde nos primeiros 30 minutos o equilíbrio foi evidente, e com uma defesa pouco permeável e um ataque paciente e persistente os encarnadas não permitiram aos favoritos húngaros adquirir grande avanço, e assim ao intervalo registava-se um resultado de 14-13 a favor da equipa magiar. No segundo período do jogo com a lesão de Carlos Carneiro a cerca de 10 minutos do fim e o Pick Szeged a vencer por 7 golos de diferença, esperava-se o pior, mas uns minutos finais de imensa garra e determinação levaram á recuperação da equipa, e que o resultado final fosse apenas pela diferença mínima. De destacar mais ma vez a consistência de Cláudio Pedroso que voltou a ser o melhor marcador da equipa e do jogo com 7 golos. Com este resultado o Benfica parte para o jogo da 2.ª Mão com todas as esperanças intactas, na nossa opinião.
 
Resultado
1.ª Mão
Benfica 24 – 25 Pick Szeged
Calendário
2.ª Mão
Dia 30-11-13
Pick Szeged – Benfica (16H15)
 
Horas Locais
 
Desejamos a todos os clubes Portugueses participantes nas diversas provas Europeias, os maiores êxitos desportivos.
 
O Noticias

domingo, 24 de novembro de 2013

PO23 - Taça de Portugal Seniores Femininos – 2013 / 2014 - II

Disputaram-se este fim-de-semana, os jogos referentes á 1.ª Eliminatória da Taça de Portugal Feminina. 

E que conforme já referimos 
 
Esta época felizmente que a participação é bastante mais alargada, e passamos de 9 (voluntária) na época anterior para 20 equipas na presente época, nestas duas eliminatórias, derivado ao facto de a Federação ter tornado esta prova obrigatória mesmo para os clubes participantes na PO10, desde a sua 1.ª Fase. 
 
Uma nota positiva, foi a indicação regulamentar da previsão da possível existência de zonas nas 1,ª’s Eliminatórias, que era uma situação cuja omissão sempre criticámos.
 
Outra novidade e positiva na nossa opinião, foi a introdução no Regulamento da Taça de Portugal da norma de apenas “Os 4 primeiros classificados no final da 1ª volta da 1ª Fase do Campeonato Nacional da 1ª Divisão são “cabeças de série” (Não se defrontarão entre si) nos 1/8 de Final”.” 
 
Os Resultados da 1.ª Eliminatória foram os seguintes:

Zona 1
Académico FC 25 – 9 FC Infesta
Almeida Garrett 21 – 25 AC Lusitanos

Isentos – (5) – Alpendorada, São Félix Marinha, IC Madalenense, Santa Joana e Salgueiros 08.

Zona 2
ADA Canelas 21 – 27 AA Espinho

Isentos – (2) – AD Sanjoanense e São Bernardo

Zona 3
Porto Salvo 28 – 10 GS Loures

Isentos – (5) – ACM Coimbra, Batalha AC, C Benfica C Branco, Passos Manuel e SIR 1.º Maio

Resultados esperados sem surpresas, nesta eliminatória (na nossa opinião).

2.ª Eliminatória, será disputada em 01-12-13 em duas zonas com os seguintes jogos

Zona 1
São Bernardo – IC Madalenense
Santa Joana – Académico FC
Alpendorada – Salgueiros 08
AD Sanjoanense – São Félix da Marinha
AC Lusitanos – AA Espinho
 
Zona 2
Passos Manuel – C Benfica C Branco
Batalha AC – ACM Coimbra
Porto Salvo – SIR 1.º Maio
 
A terceira eliminatória será disputada em 21-12-13, falta indicar a data do sorteio e onde as 4 apuradas se irão juntar às equipas da PO01, na disputa dos 1/8 Final.

O Noticias

sábado, 23 de novembro de 2013

Andebol de Luto – Mário Gouveia

Notícia de Luanda de 27-10-13, inserta no jornal regional de Matosinhos, deu-nos ao conhecimento do falecimento de um dos históricos da modalidade de seu nome Mário Gouveia.
Mário Gouveia, que foi atleta do FC Porto e da Académica de São Mamede, onde iniciou a sua carreira de treinador, foi um poderoso meia distância, tornou a AS Mamede nua verdadeira escola de formação de atletas.
 
Fez parte da Direção da FAP, ao tempo do chamado Conselho Desportivo e de Arbitragem, e do qual faziam parte outras gradas figuras da modalidade, onde demonstrou enormes qualidades de trabalho e isenção.
 
Mário Gouveia, fez ainda parte do grupo que não deixou que o Andebol em 1993 acabasse no seu Clube de sempre o FC Porto, fazendo parte da comissão que o manteve quando o mesmo esteve quase a acabar. 
 
À família de Mário Gouveia, apresentamos embora tardias as nossas sentidas condolências, estendendo as mesmas ao FC Porto e á Académica de São Mamede.
 
Banhadas Andebol

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Contra Ponto…

Duas notícias, publicadas em dois dos jornais desportivos de referência, despertaram a nossa atenção, uma pela positiva e outra pela negativa.
 
Juniores do ABC em Missão Solidária
 
Esta é uma notícia de um positivismo extraordinário, provando que na nossa modalidade não se formam só atletas, mas contribuímos decisivamente para a formação Social e Humana da juventude, substituindo-se ao Estado em muitas ocasiões.
(Fonte jornal o Jogo)
 
Ljubomir Obradovic
 
A atribuição da medalha de lata do dia hoje noutro jornal desportivo de referência, só demonstra a falta de conhecimento de quem o fez. Ao efetuar a mesma está nitidamente a futebolizar a modalidade, mostrando que a mesma não faz pate das suas simpatias jornalísticas, mas deveria no nosso entender, ler pelo menos a crónica do jogo a que se refere e que feita por um seu colega noutra página do jornal, é uma pena. Mas não estamos de acordo o Andebol não é o Futebol.
 
(Fonte jornal o Record)
 
O Analista

Informação - Clubes - Diversa

ISMAI
O Noticias

Competições Europeias 2013 / 2014 – XXXI

Masculinos 
 
EHF CHAMPIONS LEAGUE
FC PORTO COM NOVA DERROTA
 
Orlen Wisla Plock 28 – 22 FC Porto
 
O FC Porto, na sua deslocação á Polónia para defrontar o Orlen Wisla Plock na 6 .ª Jornada (1.ª da 1.ª volta) da Fase de Grupos, disputando o encontro num pavilhão com cerca de 5000 adeptos que nunca deixaram de puxar pela sua equipa (será que alguma vez teremos 5000 espectadores em Portugal).
 
O FC Porto apresentou-se desfalcado de algumas dos seus principais atletas, tais como Tiago Rocha, o reforço Espanhol Alfredo Ferrer e por fim á última da hora, do dinamarquês Mick Schubert, tendo o plantel sido completado com alguns dos jovens com grande futuro que existem nas suas fileiras, destacando-se neste jogo a qualidade e a produção de Hugo Santos (3 golos). 
 
O resultado final, não é nem de perto nem de longe revelador daquilo que se passou em campo, pois o FC Porto com ma equipa praticamente de recurso, esteve sempre dentro do resultado, nunca permitindo que os polacos dilatassem o marcador provocando diferenciais que não permitiram qualquer recuperação, até cera dos 50 minutos, quando resultado se cifrava em 22-20 a favor da equipa polaca. Os polacos possuidores de uma equipa com grande experiencia a nível internacional, também nunca se precipitaram, antes esperaram pelos erros que a equipa portista cometeu em especial nos 10 minutos finais onde apenas concretizou por duas ocasiões, sofrendo um parcial de 6-2. Deverá ainda dizer-se que a equipa portuguesa nunca soube aproveitar nenhuma das ocasiões em que esteve em superioridade numérica, ao contrário da equipa polaca, onde jogadores como o Bósnio Toromanovic (4 golos) que foi um autentico quebra-cabeças nos 6 metros do FC Porto, Lijewski (6 golos) e em especial o Sérvio Nenadic que foi o melhor marcador da equipa com 7 golos. João Ferraz que foi o melhor marcador da equipa com 6 golos, mas com uma baixa eficácia, devendo no entanto louvar-se o seu comportamento em assumir os diversos de remate á baliza polaca. Alfredo Quintana, que na nossa opinião esteve muito bem em especial nos livres de 7 metros, sentiu-se algumas vezes “só”, pois ele defendia e os colegas ficavam a olhar e a verem os adversários ganhar os ressaltos, e este tipo de ações são demasiado frustrantes para quem defende. Continuamos a pensar que esta equipa está perfeitamente ao alcance de um FC Porto normal e mais completo, pois por exemplo Ricardo Moreira não pode falhar ações contra ataque quando o resultado está por 2. O encontro foi dirigido por uma dupla Sueca constituída por Mirza Kurtagic  e Mattias Wetterwik  que teve critérios diferenciados consoante a equipa a que eram aplicados em especial na Sanção Progressiva, onde o mesmo pura e simplesmente não existiu.
 
O Noticias