gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

terça-feira, 30 de abril de 2013

PO03 – Crónica de Fim de Semana – 07 – 2012 / 2013

Breve crónica intermédia da PO03, referente á 2.ª Apurando-se para a 3.ª Fase, aquela que decide o Campeão Nacional, apenas o 1.º Classificado de cada Zona. Fase desta prova nacional não fixa, sendo nesta fase disputada em duas zonas, com 8 (oito) equipas cada.
 
Nota – Ascendem á PO02 os dois primeiros classificados de cada Zona, conforme CO n.º 23 da Época em Curso.
 
PO03 – Campeonato nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos
2.ª Fase
 
Zona Sul – 7.ª- Jornada
Alto Moinho 29 – 24 NA Redondo
Benfica "B" 30 – 15 Lagoa
Paço Arcos 32 – 23 Zona Azul
Oriental Lisboa 20 – 29 IFC Torrense
 
Na jornada que marca o final da primeira volta, confirma-se o nítido favoritismo das equipas do Benfica “B” e do IFC Torrense. A equipa encarnada com este resultado para o qual contribuiu e muito o jovem Flávio Fortes com 10 golos na sua vitória sobre os Algarvios do Lagoa AC, continua a ser a única equipa nas duas zonas que ainda não conheceu a derrota. Outro facto a salientar nesta jornada foi a primeira vitória do Paço Arcos que derrotou em casa a Zona Azul, num encontro em que o número de expectadores inscrito no Boletim de Jogo é completamente ridículo (7). Por sua vez o Alto Moinho venceu o NA Redondo com a vitória totalmente construída nos primeiros 30 minutos, num encontro com 4 (quatro) desqualificações diretas. O Torrense foi vencer na condição de visitante o Oriental de Lisboa, onde os 1 golos de Bruno Luz, não foram suficientes para evitar a derrota da equipa lisboeta. A classificação da zona está assim ordenada: 1.º Benfica “B” (21 pontos), 2.º IFC Torrense (19 pontos), 3.º Alto Moinho e Oriental Lisboa (15 pontos), 5.º NA Redondo (13 pontos), 6.º Lagoa AC (11 pontos), 7.º Paço Arcos e Zona Azul (9 pontos).
 
Zona Norte – 7.ª Jornada
Salgueiros 08 27 – 18 ACD Monte
Juventude Lis 34 – 27 CCR Fermentões
Batalha AC 22 – 25 AD Sanjoanense.
FC Gaia 28 – 24 1.º Maio 
 
A vitória da AD Sanjoanense na Batalha diante a equipa local, num jogo bastante equilibrado, disputado em ambiente familiar (34 espectadores), obteve um resultado que lhe permitiu manter o comando da zona. O Salgueiros que se refez da derrota sofrida na semana transata venceu o Monte, com o seu atleta Filipe Alves a ser a grande figura com os 10 golos concretizados, o ACD Monte apresenta-se (na nossa opinião), bem mais fraca esta época. A Juventude Lis que aparentemente se encontra em nítida subida de rendimento, não teve grandes dificuldades para derrotar o Fermentões, com um diferencial construído nos primeiros 30 minutos. Em Gaia num encontro de grande equilíbrio, conforme demonstra o resultado ao fim do primeiro tempo a equipa do FC Gaia levou de vencida a equipa do 1.º Maio. Após esta jornada, a Classificação ficou assim ordenada – 1.º AD Sanjoanense (19 pontos), 2.º FC Gaia (17 pontos), 3.º Salgueiros 08 e Juventude Lis (16 pontos), 5.º CCR Fermentões (15 pontos), 6.º 1.º Maio e ACD Monte (10 pontos), 8.º Batalha AC (9 pontos).
 
O Noticias

Conflito dos Balcãs chega ao Andebol…

Sérvia quer jogar a Final da sua Liga… No Kosovo!!
A EHF, enviou um documento à Federação Sérvia de Andebol, recordando-lhe que os encontros organizados para além das fronteiras de qualquer Federação, apenas se podem organizar quando existe um consentimento da Federação Estrageira correspondente, e que seja aprovado pela própria EHF” Sucede que a Federação Sérvia programou os encontros da final da Taça da Sérvia para o Kosovo, território que como todos sabemos se encontra á bastante tempo sobre disputa e que se encontra desde 2008 sobre a proteção de uma missão de paz da ONU, após uma sangrenta guerra. No entanto mais de 90 Países já reconheceram o Kosovo como território independente e a sua Federação Nacional. Foi aceite tanto pela IHF como pela EHF como membro associado.
(Fonte MundoHandball)
 
Parece-nos que a EHF, tem um forte problema entre mãos e que não será provavelmente de fácil resolução
 
O Banhadas Andebol

Informação - Campus Resende

CAMPUS RESENDE 2013
O Noticias

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana no Feminino 25 – Play OFF

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino. 
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos 

Play Off - 1/2 Final
1.ª Mão
Juventude Lis 25- 28 Alavarium
João Barros 29 - 23 Madeira SAD

2.ª Mão
Alavarium 31 - 25 Juventude Lis
Madeira SAD 29 – 22 João Barros

3.ª Mão - Se Necessário
Madeira SAD 22 – 23 João Barros

5/8 - Lugar
1.ª Mão
Maiastars 30 -
33 JAC-Alcanena
Colégio Gaia 31 - 31 CS Madeira

2.ª Mão
JAC-Alcanena 36 – 28 Maiastars
CS Madeira 23 –
29 Colégio Gaia

Grupo "B"
4.ª Jornada
Passos Manuel 28 – 34 Santa Joana
Juventude Ma 13 – 24 CA Leça

E o escândalo aconteceu no Funchal! O Madeira Sad diz adeus à revalidação do título e, pela primeira vez na última década, não fica nos 2 primeiros lugares do campeonato. O Colégio João de Barros foi o carrasco das madeirenses e assegura também, desde já, a melhor classificação da sua história. A toda poderosa equipa madeirense cai inesperadamente e o país andebolístico está surpreso. O Colégio João de Barros irá defrontar na final o Alavarium que continua imparável. Mas comecemos pela grande surpresa do ano.
 
O Colégio João de Barros partia com uma vitória de avanço para este fim-de-semana mas sabia que no Funchal seria muito difícil triunfar. E no Sábado sentiu isso na pele. O Madeira Sad contou com o regresso de Mónica Soares (não tinha jogado no primeiro jogo por lesão) e dominou o encontro do princípio ao fim, com Mónica Soares e Ana Correia em bom plano mas, sobretudo, com uma defesa a roçar a perfeição que neutralizou por completo o ataque do Colégio João de Barros, muito bem alicerçada na excelente exibição da sua Guarda-redes. Foi um jogo sem história tal a supremacia das madeirenses desde o primeiro minuto, perante um Colégio João de Barros que tentava reagir mas as suas jogadoras estiveram desastradas na finalização e só Maria Pereira esteve ao seu melhor nível. A supremacia das campeãs nacionais foi tao grande que parecia inevitável que, no dia seguinte, a Sad vencesse a passasse à final. Puro engano.
 
Mas, curiosamente, no Domingo, o jogo começou de novo com esse domínio claro do Madeira Sad que rapidamente alcançou uma vantagem de 5 golos. Parecia tudo a correr dentro das previsões e poucos acreditavam que a Sad não chegasse à final. Mas o Colégio João de Barros conseguiu dar a volta ao marcador num jogo impróprio para cardíacos, recheado de faltas atacantes e violações da regra dos apoios, fruto da tensão do momento. O Colégio João de Barros teve o mérito de acreditar sempre, teve uma Dulce Pina que é o grande motor desta equipa e cuja sua presença na formação de Paulo Félix fez acreditar que é possível voos mais altos. O golo marcado em cima do apito final, com menos 2 jogadoras, mostra bem a sua crença. O treinador do Colégio João de Barros está de parabéns, pois montou um esquema defensivo muito bem adaptado ao ataque madeirense e que causou bastantes problemas e a equipa conseguiu parar o contra-ataque madeirense, fator decisivo para este desfecho. O Colégio João de Barros chega assim, motivadíssimo, à final e tem uma grande oportunidade para a vencer pois achamos que pode ser uma final muito equilibrada. Quanto ao Madeira Sad, teve na primeira parte uma Mónica Soares em bom momento, mas depois perdeu o gás. E a desqualificação de Isabel Góis não veio ajudar pois Catarina Oliveira não esteve feliz na baliza. Mas é impensável como uma equipa com tanta experiência deixa escapar uma vantagem tão grande na sua própria casa num jogo de decisão. E nós que tanto elogiámos Renata Tavares ao longo desta época, não podemos deixar de dizer que é incompreensível que, a 5 segundos do final, a experiente jogadora tentasse sacar uma falta do atacante, em vez de parar Dulce Pina. Um erro que custou um campeonato. Veremos qual o futuro do Madeira Sad, já que as dificuldades de manutenção do projeto já eram grandes.
 
Em Aveiro, o Alavarium soma e segue. Em apenas 15 minutos, a equipa de Aveiro já liderava por 12-2. É verdade que a qualidade do seu ataque e o ritmo do seu contra-ataque são as características que ficam mais na cabeça de quem vê esta equipa a jogar mas há que dar mérito a Ulisses Pereira por ter o arrojo de defender durante uma parte inteira uma defesa homem a homem que quase só vemos ser utilizada nos escalões de infantis. É a grande inovação táctica deste campeonato e a Juve Lis, apesar de já ter defrontado o Alavarium por 3 vezes esta época, não se conseguiu adaptar a esta defesa e esteve desastrada. Na segunda parte, com uma Inês Silva a aparecer em bom plano, a Juve atenuou os estragos mas mostrou muito pouco para uma equipa que chega a umas meias-finais desta competição. Defensivamente, a Juve nunca conseguiu travar Cláudia Correia que fez uma grande exibição e teve pela frente uma Diana Roque que é a Guarda-redes em melhor forma do nosso campeonato. O Alavarium chega à final do campeonato, com apenas uma derrota em toda a época e com a moral em alta e parece-nos normal que agora ambicione o título nacional.
 
Na luta pelos restantes lugares, o JAC assegurou um lugar entre os 6 primeiros ao vencer, de novo, o Maiastars depois de já ter vencido a primeira mão. E a vitória foi convincente mostrando que, nos dias de hoje, o JAC está muito acima do que vale a equipa da Maia. E desta vez, ao contrário do que é habitual, não foi Patrícia Rodrigues que fez a diferença. Neuza Valente confirmou a sua boa forma, Vanessa Oliveira que há muito não vinha jogando bem, voltou às boas exibições e o “?joker” foi Inês Luís que fez um excelente jogo. O Maiastars teve em Olinda Leal, como habitual, a sua figura de referência e Ana Sampaio que vem subindo de produção. O grande problema do Maiastars foi não ter conseguido saber adaptar o seu sistema defensivo ao jogo do Jac, sendo a sua defesa muito permissiva. O Maiastars vai discutir agora o 7º/8º lugar, enquanto o Jac discute o 5º/6º, o que está em linha com o que as duas equipas fizeram na fase regular.
 
O Colégio de Gaia arrancou uma surpreendente vitória em casa do Sports Madeira. Depois do empate em gaia, esperava-se que as madeirenses vencessem e assegurassem um lugar entre as 6 primeiras mas tal não sucedeu. A segunda parte do Sports foi, provavelmente, a pior de toda a época e só Sara Gonçalves esteve ao seu nível. Quando se esperava que depois de uma primeira parte equilibrada, na segunda parte, as madeirenses marcassem o ritmo do encontro, o que se viu foi uma série interminável de falhas técnicas que a experiente equipa do Colégio de Gaia aproveitou muito bem. Helena Soares voltou a mostrar porque é uma das melhores pivots portuguesas muito bem acompanhada pro Vanessa Silva mas foi a boa atitude defensiva que permitiu ao Colégio de Gaia vencer e assegurar o 5º ou 6º lugar. E como é estranho que um lugar destes, nos dias de hoje, já pareça um lugar que deixa felizes jogadoras e responsáveis do Colégio de Gaia.
 
Na luta pela manutenção, o Cale alcançou uma importante vitória sobre uma Juve Mar que entrou em ritmo de passeio, depois de ter assegurado a manutenção na passada semana. É por isso normal que a equipa esteja em ritmo de descompressão e que Paulo Martins aproveite para rodar toda a equipa. O que estamos curiosos é para saber se vai manter essa ideia nos restantes 2 jogos, já que a Juve Mar pode desempenhar um papel decisivo nas contas para a manutenção, apesar de já estar a salvo. Quem não tem culpa desta situação é o Cale que aproveitou muito bem e jogou, defensivamente, com intensidade máxima, conseguindo parar o ataque da Juve Mar. E este é um dos aspectos que tem faltado á equipa leceira este ano. No ataque, Ana Paula Costa foi resolvendo e Catarina Carneiro que, depois de um início de época promissor, tem andado apagada, esteve em bom plano. O Cale vence pela primeira vez nesta fase final e vai agora defrontar os seus 2 adversários diretos pela manutenção. O próximo jogo, diante do Santa Joana, será escaldante.
 
Em jogo entre aflitos, o Santa Joana foi obter uma excelente vitória em Lisboa, diante do Passos Manuel e confirmou o bom momento que atravessa. Marlene Pinto esteve imparável, com Rute Santos e Ana Carvalho a mostrarem o bom momento que atravessam. A equipa está muito confiante e acredita que pode salvar-se, já que venceu 3 dos 4 jogos desta fase final. O Passos Manuel continua a fazer uma péssima fase final e perdeu a oportunidade de ficar em excelente posição para a manutenção. A equipa perdeu agressividade defensiva e nem mais um bom jogo de Cátia Santos salvou a equipa. Algo aconteceu para que uma equipa que estava transfigurada na segunda volta do campeonato, criando muitas dificuldades com a sua agressividade defensiva seja agora presa fácil para os seus adversários. O Passos pode ainda salvar-se mas a situação já esteve mais favorável.
 
Para a semana, inicia-se a final do campeonato. Teremos, de certeza, um novo campeão nacional, o que nos parece uma lufada de ar fresco para o andebol feminino em Portugal. Alavarium ou Colégio João de Barros? Em breve teremos a resposta num dos mais equilibrados campeonatos dos últimos anos.
 
Críticos Femininos

Crónica de Fim de Semana – 24 – 2011 / 2012 - III

Breve crónica de fim de semana dedicada à PO04, numa semana onde se regressa apenas aos jogos na Zona Norte, para acerto de Calendário. “Será porventura a prova com menor competitividade do calendário nacional”, com um formato completamente desajustado da nossa realidade. Lamenta-se o comportamento de algumas duplas de arbitragem e essencialmente mesas de cronometragem pela sua forma de procedimentos ma (não ) feitura dos boletins de jogo é uma pena, colocamos aqui estas palavras pois procuramos saber os motivos dos diversos atrasos e fomos devidamente esclarecidos. 
 
PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.
Zona Norte
25.ª Jornada
AD Sanjoanense 29 – 21 São Mamede
Boavista FC 33 – 34 Xico Andebol
SC Espinho 23 – 35 Ismai
Águas Santas 39 – 21 FC Gaia
Alavarium 20 – 45 ABC (17H30 18-40
São Bernardo 34 – 29 AC Fafe
Isento - FC Porto

Equipas Apuradas para a Fase Final – ABC e FC Porto

Numa jornada onde se verificaram alguns resultados interessantes, mas onde a sua grande maioria é a confirmação dos registados na primeira volta desta fase da prova. Continua em aberto não só o terceiro lugar para a qualificação direta, como a definição do 4.º lugar que irá dar lugar ao acesso á disputa de lugar na Fase Final da Prova. O Xico Andebol ao vencer embora com grande dificuldade o Boavista FC, mantem-se na discussão do 4 .º lugar. O Ismai ao vencer o SC Espinho, com um resultado final dilatado, não espelha as dificuldades porque passou, pois perdia ao intervalo (14.13), com esta vitória o seu possível apuramento direto fica reservado para a última jornada onde receberá o São Bernardo. O Águas Santas que venceu facilmente o FC Gaia com João Baltazar (10 golos) a regressar aos golos, manteve-se assim na discussão pelo 4.º lugar, tendo na última jornada mais um jogo que será decisivo o ABC / Águas Santas. Em São Bernardo a equipa loca ao vencer o AC Fafe, retificando o resultado da primeira volta, ainda poderá em teoria discutir uma classificação direta com o Ismai, pois o resultado da primeira volta foi lhes favorável por um diferencial de 12 golos (31-19). Nos restantes encontros nada de especial a assinalar, pois verificaram-se com maior ou menor dificuldade os resultados por nós esperados. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: - 1.º ABC sem derrotas (68 pontos), 2.º FC Porto (60 pontos), 3.º Ismai (57 pontos), 4.º São Bernardo (55 pontos), 5.º Águas Santas (54 pontos), 6.º Xico Andebol (53 pontos), 7.º AC Fafe (46 pontos),8.º FC Gaia (45 pontos), no último lugar continua o Alavarium (26 pontos + 1 jogo).
 
O Noticias

domingo, 28 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana – 22 – 2012 / 2013 - II

Crónica sobre a Fase Final da PO02.
 
PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.
Fase Final
 
4.ª Jornada
Passos Manuel 27 – 21 São Bernardo
Ismai 34 – 23 Sismaria
ADC Benavente 24 – 34 Santo Tirso
 
Começam a definir-se as equipas que irão certamente discutir o acesso á divisão superior, e provavelmente não será tão discutida a decisão conforme nosso anterior comentário. 
 
Os resultados verificados, são na prática o estabelecimento de uma possível hierarquia, na discussão para os lugares que darão o acesso á PO01. Os resultados foram completamente esclarecedores, com vitórias por margens bastante folgadas, embora em dois jogos o equilíbrio durante os 30 minutos iniciais tenha sido evidente, estamos a arreferir-nos ao Passos Manuel / São bernardo (13-12 ao intervalo) e ao Ismai / Sismaria (14-12 ao intervalo). Em Benavente excelente vitória do Santo Tirso que comandou o jogo em toda a “linha”, e onde os 10 golos de Ricardo Barrão foram insuficientes para os Ribatejanos minimizarem a derrota, continua a ser o Pavilhão onde se registam as maiores assistências, o que será sempre de louvar. O São Bernardo é a única equipa sem vitórias até ao momento. Após esta Jornada a Classificação ficou assim estabelecida: - 1.º Passos Manuel, Ismai e Santo Tirso (10 pontos), 4.º Sismaria (7 pontos), 5.º Benavente (6 pontos), 6.º São Bernardo (5 pontos).
 
O Banhadas Andebol

sábado, 27 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana – 31 – 2012 / 2013 - I

Crónica de fim de semana relativa à PO01 e dedicada à Fase Final Grupo “A” e Grupo “B”.
PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.
 
Fase Final
 
Grupo “A”
6.ª Jornada
Sporting 38 - 26 SC Horta
Águas Santas 23 - 21 Benfica
FC Porto 29 - 19 ABC
 
Jornada que marca o início da 2.ª volta da Fafe Final, e que teve como seu primeiro jogo o Sporting / SC Horta antecipado, e que terminou como seria de esperar com a vitória folgada da equipa do Sporting. Foi um jogo onde o equilíbrio apenas existiu até aos 10 minutos (7-6 a favor dos lisboetas), para posteriormente a equipa do Sporting, começar a estabelecer a verdadeira diferença existente entre as equipas, e aos 21 minutos já o diferencial a favor da equipa leonina estava nos 7 golos (15/8), chegando o intervalo com o resultado em 19-10. Nos segundos 30 minutos, assistiu-se na prática ao mesmo “filme” dos primeiros com o Sporting a executar excelentes movimentos de contra ataque e ataque rápido perante a passividade da equipa açoriana. Foi um jogo onde uma das grandes diferenças se situou ao nível da eficácia dos guarda-redes, pois no Sporting (Hugo Fogueira e Luís Oliveira) chegaram aos 45%, enquanto no SC Horta (Paulo Contente e Nuno Silva) atingiram apenas 7%, e pensamos que por aqui esta tudo dito. No Sporting. Destaca-se ainda a grande exibição do jovem Rui Silva (7 golos), não só a marcar como a jogar e a fazer jogar, sendo muito bem acompanhado por outro jovem que começa a ressurgir Fábio Magalhães igualmente com 7 golos e pelo “veterano” Rui Dias melhor marcador da equipa com 8 golos. No SC Horta mais uma vez a sua principal figura foi o “veteraníssimo” Yuriy Kostetsky com 4 golos e 11 assistências das quais 5 resultaram em golo. No Dragão Caixa disputou-se um FC Porto / ABC, que se pensava poderia ser um jogo interessante em termos de equilíbrio, mas quem pensou assim (tal como nós) pensou errado, o FC Porto exerceu um total domínio sobre o ABC, comandando o marcador do primeiro ao último minuto, com o marcador a registar no final dos primeiros 30 minutos uns favoráveis 16-8, a dinâmica de jogo imposta pela equipa do FC Porto, levou a que a mesma em determinados momentos do jogo estivesse em vantagem por 10 golos e até por 11 (56 minutos). A sua dinâmica e entrega permitiu mais uma vez ao seu técnico uma total gestão do plantel, com a cedência de minutos e jogo aos mais jovens, entre eles mais uma vez Sérgio Rola com 6 golos foi o melhor marcador da sua equipa, de referir os 53% de eficácia de Hugo Laurentino na baliza. O ABC sem o experiente Luís Bogas e comos seus guarda- redes em dia menos bom, tee em Pedro Seabra (3 golos) o seu elemento mais produtivo. No outro encontro do grupo o Águas Santas venceu o Benfica. A Classificação ficou assim ordenada, 1.º FC Porto (48 pontos), 2.º Benfica (46 pontos), 3.º Sporting (43 pontos), 4.º Águas Santas (37 pontos), 5.º SC Horta e ABC (31 pontos). 

Águas Santas 23 – 21 Benfica

Num pavilhão bem composto de público, embora não tanto como o esperado a equipa da Maia, que tradicionalmente apresenta grandes dificuldades aos seus adversários, venceu a favorita equipa do Benfica, num encontro onde a equipa de Lisboa aos 13 minutos de jogo vencia por uns claros 9-2. Jogando com total superioridade tanto defensivamente como nos seus métodos de ataque ao seu adversário. A partir desta altura do encontro e coincidindo com a entrada de Albano Lopes para central da equipa maiata e com a nítida subida de rendimento do de António Campos na baliza, foi-se aproximando progressivamente, chegando ao intervalo a perder apenas pela diferença mínima 11-10. Verificando-se uma substancial melhoria da equipa do Águas Santas em especial na sua recuperação defensiva. O Benfica foi uma equipa que foi perdendo “força”, ao longo do encontro, pois apenas concretizou 12 golos em 47 minutos, dando a sensação de que alguns dos seus atletas estão esgotados fisicamente e apresentam altos índices de ansiedade. Nos segundos 30 minutos o equilíbrio foi maior, e o Águas Santas, conseguiu passar pela primeira vez para a frente do marcador aos 42 minutos (16-15), mantendo praticamente esse comando até aos 60 minutos, e aos 57 minutos dispôs da sua maior vantagem durante todo o encontro (3 golos) 22-19. A equipa do Benfica pareceu-nos uma equipa animicamente cansada e com elevado grau de ansiedade quando não se encontra na frente do marcador, com alguns dos seus melhores elementos (na nossa opinião) a apresentarem grandes deficiências físicas. O único elemento que se destaca na equipa de Lisboa foi apesar de tudo o guarda-redes Vicente Alamo, e o seu capitão Carlos Carneiro com 6 golos. No Águas Santas, especial destaque para a atuação de Albano Lopes (5 golos) e para António Campos com grandes intervenções nos momentos decisivos do encontro. A Dupla de arbitragem que dirigiu o encontro veio de Aveiro e foi composta por Ramiro Silva e Mário Coutinho, foi uma dupla sem critério no julgamento das violações da área dos 6 metros, e consequentemente nos livres de 7 metros, quanto ao critério disciplinar, pura e simplesmente não existiu. Não se compreendendo a interrupção de um contra ataque a cerca de 40 segundos do final do tempo regulamentar.

Nota – Não se compreende as diferenças existentes entre o Boletim de Jogo no Portal da FAP, e os dados fornecidos pelas estatísticas, quase duas horas depois de jogo ter terminado 


Grupo “B”
6.ª Jornada
Belenenses 36 – 27 Avanca
AC Fafe 30 – 23 Xico Andebol
CDE Camões 21 – 27 Madeira SAD

No Restelo disputou-se o Belenenses / AA Avanca, com a equipa do Belenenses prevenida, assumiu o comando do marcador, embora sem grande diferencial cerca dos 15 minutos, para chegar ao intervalo a vencer por uma diferença de 2 golos (20-18). A sua superioridade apenas se começou a manifestar a partir dos 46 minutos (26-23). Na equipa do Belenenses Belone Moreira com 11 golos foi muito bem acompanhado por João Paulo Pinto com 7 golos, enquanto na AA Avanca Tiago Cunha foi mais uma vez o seu elemento em maior destaque com 7 golos. Em Fafe disputava-se um “quente” dérbi o AC Fafe / Xico Andebol, que terminou com a vitória da equipa de Fafe, colocando a equipa vimaranense em grandes dificuldades sendo agora uma das mais que prováveis equipas a acompanhar o Camões na descida de divisão. Grande destaque para a eficácia dos guarda-redes do AC Fafe (Miguel Marinho 47%, e Pedro Sousa 40%), sendo Luís Nunes o seu melhor marcador com 8 golos, No Xico Andebol, com Jaime Barreiros em dia não o seu elemento mais produtivo foi Pedro Correia com 7 golos. Por último tivemos o CDE Camões / Madeira SAD, diga-se que foi um e encontro equilibrado ate aos 30 minutos, pois terminou o primeiro período de jogo com uma igualdade a 12 golos. Nos segundos 30 minutos os madeirenses com o seu guarda-redes Luís Carvalho (41% de eficácia) em grande plano estabeleceram a diferença final, com Leandro Nunes e José Mendes com 8 golos cada a serem os elementos de maior preponderância na equipa. No Camões nem os 11 golos de João Oliveira foram suficientes para a obtenção de um resultado mais positivo. Classificação está assim ordenada, 1.º Madeira SAD (36 pontos), 2.º Belenenses (34 pontos), 3.º AA Avanca (30 Pontos), 4.º AC Fafe (28 pontos), 5.º Xico Andebol (27 pontos) e 6.º Camões (20 pontos).

O Banhadas Andebol

sexta-feira, 26 de abril de 2013

PO03 – Crónica Intermédia – 06 – 2012 / 2013

Breve crónica intermédia da PO03, referente á Apurando-se para a 3.ª Fase, aquela que decide o Campeão Nacional, apenas o 1.º Classificado de cada Zona.
 
2.ª Fase desta prova nacional não fixa, sendo nesta fase disputada em duas zonas, com 8 (oito) equipas cada.
 
PO03 – Campeonato nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos
2.ª Fase
 
Zona Sul – 6.ª- Jornada
NA Redondo 1929 Benfica "B"
Zona Azul 2528 Alto Moinho
Lagoa AC 2325 Oriental Lisboa
IFC Torrense 28 – 20 Paço Arcos 

Uma jornada, onde na nossa opinião prevaleceu a disciplina, pois em nenhum dos encontros se verificou a existência de disciplina, o que será sempre um motivo de grande satisfação. Nos jogos disputados continua verificar-se até ao momento uma grande superioridade das equipas do Benfica “B” e do IFC Torrense, confirmando-se logo num segundo grupo, o Alto do Moinho que foi vencer o Zona Azul em Beja, num encontro de grande equilíbrio, e o Oriental de Lisboa, que na nossa opinião foi o grande vencedor da jornada ao na dificílima deslocação a Lagoa, vencer a equipa local, num jogo também ele pautado pelo equilíbrio e diga-se no final dos 30 minutos iniciais se encontrava a perder (15-14). Com estes resultados e embora ainda só estejamos na 6.ª jornada, não se torna difícil efetuar prognósticos quanto a quem irá disputar o lugar de apuramento (na nossa opinião), Benfica e IFC Torrense. A classificação da zona está assim ordenada: 1.º Benfica “B” (18 pontos), 2.º IFC Torrense (16 pontos), 3.º Oriental Lisboa (14 pontos), 4.º Alto Moinho e NA Redondo (12 pontos), 5.º Lagoa AC (10 pontos), 7.º Zona Azul (8 pontos), 8.º Paço Arcos (6 pontos).
 
Zona Norte – 6.ª Jornada
ACD Monte 24 – 25 Juventude Lis
AD Sanjoanense 33 – 29 Salgueiros 08
CCR Fermentões 30 – 29 FC Gaia
1.º Maio 29 – 24 Batalha AC

Também nesta zona o espirito desportivo parece ter estado presente pois não existem indícios de relatórios disciplinares, de salientar nesta zona oque o número de espectadores por jogo é muito superior ao verificado a sul. É uma zona onde nos parece que o equilíbrio será bem maior que na zona Sul e onde as previsões serão mais difíceis de efetuar. A grande surpresa da jornada na nossa opinião esteve no Monte onde a Juventude Lis foi vencer pela diferença mínima, na Marinha Grande verificou-se a primeira vitória do 1.º Maio, diante os seus parceiros de associação o Batalha AC, num encontro onde ao intervalo já venciam com marcada superioridade. Em Fermentões a equipa local, depois de estar a perder ao intervalo por 5 golos de diferença (17-12), fez uma excelente recuperação acabando na situa de vencedora pela diferença mínima do FC Gaia, tendo Armando Silva contribuindo para esta vitória com 12 golos, enquanto os 14 golos de Bruno Pinto não foram suficientes para levar o FC Gaia á vitória. A AD Sanjoanense defrontou na condição de visitado o Salgueiros 08, a quem venceu, também num jogo de grande equilíbrio, e onde a sua principal figura foi Bruno Pinho com 12 golos. A Classificação ficou assim ordenada – 1.º AD Sanjoanense (16 pontos), 2.º CCR Fermentões e FC Gaia (14 pontos), 4.º Salgueiros 08 juventude Lis (13 pontos), 6.º 1.º Maio e ACD Monte (9 pontos), 8.º Batalha AC (8 pontos).
 
O Noticias

Informação - Clubes - Diversa

JAC-ALCANENA
ISMAI
GC ODIVELAS
O Noticias

quinta-feira, 25 de abril de 2013

PO23 - Taça de Portugal Seniores Femininos – 2012 / 2013 – IV

Disputaram-se hoje os jogos 1/8 Final, da Taça de Portugal Seniores Femininos, fase da prova, em que as equipas da PO09 iniciaram a sua participação.
 
1/8 Final – Resultados
 
JAC-Alcanena 27 – 29 Juventude Mar
Passos Manuel 17 – 38 Alavarium
Juventude Lis 32 – 24 Assomada
Colégio Gaia 29 – 21 Santa Joana
CA Leça 32 – 26 Alpendorada
Maiastars 35 – 25 Académico FC
João Barros 42 – 21 São Bernardo
CS Madeira 12 –
30 Madeira SAD (Jogo antecipado)
 
Na presença destes resultados vamos ter os seguintes jogos nos 1/4 Final.
 
1/4 Final – Jogos a realizar em 01-05-13
 
Alavarium  – Madeira SAD
Juventude Lis  – CA Leça
Colégio Gaia – João Barros
Maiastars – Juventude Mar
 
Conforme era previsível, esta eliminatória foi a “degola” dos inocentes, nem uma equipa de divisão inferior passou, e o único encontro em que se poderá dizer que existiu taça, foi em Alcanena com a derrota da equipa local diante a Juventude do Mar. Com estes resultados teremos nos 1/4 Final, conforme já era admitido uma verdadeira final antecipada co o jogo Alavarium / Madeira SAD, e um outro encontro que será um verdadeiro dérbi regional o Maiastars / Juventude Mar.
 
Veremos o que nos reservam os 1/4 Final.
 
O Noticias

Informação - Clubes - Diversa

SALGUEIROS 08
O Noticias

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Novo Presidente na Federação Espanhola

Depois um conturbado processo de eleições para a Presidência da Real Federação Espanhola de Andebol, que começou com três candidatos, posteriormente registou-se uma desistência. Ficando Somente em cena o conhecido guarda-redes Internacional do Atlético Madrid José Javier Hombrados , e Francisco Blázquez ex árbitro.
 
Depois de protestos e recursos contra a candidatura e Francisco Blázquez, apresentados por Javier Hombrados e com o apoio das estruturas federativas (segundo “rezam” as cronicas locais) houve momentos, em que se chegou a considerar apenas a existência do guarda-redes do Atlético Madrid como único candidato.
 
Após decisão do Conselho Superior dos Desportos (lá atua-se com rapidez), a candidatura de Francisco Blázquez foi considerada válida, e as eleições realizaram-se no passado dia 22-04-13, na sede do Comité Olímpico de Espanha.
 
Francisco Vidal Blázquez foi eleito Presidente da Federação Espanola de Andebol
 
Francisco Vidal Blázquez, foi eleito, recebendo um tptal de 54 votos a favor dos 88 que se encontravam presentes, contra os 32 votos recebidos por Javier Hombrados, e 2  votos em branco.
 
As suas primeiras palavras foram: “O objetivo é unir esforços para levantar o andebol
 
O Noticias

Informação - Clubes - Diversa

BATALHA AC
GC ODIVELAS
O Noticias

terça-feira, 23 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana – 06 – 2012 / 2013 - VI

Breve crónica sobre os nossos Juvenis Masculinos, em especial sobre a PO06.

PO06 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juvenis Masculinos – Última Jornada
Play Off

Jogou-se a segunda mão destes 1/8 de final do campeonato Nacional da 1ª divisão de juvenis masculinos e pode-se assistir a excelentes jogos, uma boa propaganda a nossa modalidade.
 
F. C. Porto 37 - ABC 34
Mais um excelente jogo entre, talvez e na minha opinião, as duas melhores equipas deste escalão. O Porto entrou muito bem no jogo e cedo quis mostrar aos bracarenses que não valeria muito a pena sonhar com o apuramento. No entanto, ABC é ABC e sempre acreditando, lutaram para conseguir o seu objetivo. Não conseguiram, é certo, mas fica registado o excelente jogo que foi, onde Luís Carvalho foi um maestro no F. C. Porto, tendo nos seus esquerdinos uma eficácia muito interessante (18 golos), em especial Miguel Batista. Rui Rolo foi sempre o mais inconformado e que deixa todos os amantes do Andebol satisfeitos, pelo regresso deste prodígio em grande forma.

Colégio Carvalhos 23 - Águas Santas 19
Um jogo onde a emoção foi mais forte que a razão. Talvez, enquanto jogado, o jogo mais fraco desta mão. O Carvalhos até chegou ao intervalo com a eliminatória empatada, mas a segunda parte foi péssima e muito conflituosa, com 4 desqualificações, principalmente com a destabilização do treinador dos locais. É certo que o jogo esteve perto de ir para prolongamento, mas os maiatos foram uma equipa com maior discernimento e merecem a passagem a fase final. Uma nota final relacionada com este jogo e com a desqualificação com relatório disciplinar do treinador Ricardo Costa, do Carvalhos e no dia seguinte se apresentar no jogo de séniores do F. C. Porto. Será isto legal?

Sismaria 24 - Benfica 27
Jogo praticamente de sentido único, fez acreditar que os Leirienses em altura alguma pensaram discutir a eliminatória. Apenas João Ervilha foi um jogador que tentou remar contra a maré. Partida que não fez o público animar.

S.Bernardo 28 - Sporting 35
Contrariamente ao jogo de Leiria, neste os aveirenses lutaram pela eliminatória, mesmo ela sendo quase impossível. Houve emoção e o S.Bernardo esteve mesmo toda a primeira parte na frente do marcador. A segunda parte veio demonstrar o poder do Sporting atual campeão nacional. Leandro Rodrigues do S.Bernardo e João Ligeiro dos Leões foram os jogadores mais em evidência. Excelente ambiente em Aveiro.

Nota final e numa opinião muito pessoal, acho que o título nacional será discutido entre F. C. Porto e Sporting.

Afonso Henriques

PO03 – Crónica de Fim de Semana – 05 – 2012 / 2013

Breve crónica da PO03, referente á 2.ª Fase desta prova nacional não fixa, sendo nesta fase disputada em duas zonas, com 8 (oito) equipas cada. Apurando-se para a 3.ª Fase, aquela que decide o Campeão Nacional, apenas o 1.º Classificado de cada Zona.

PO03 – Campeonato nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos
2.ª Fase

Zona Sul – 5.ª- Jornada
Zona Azul 19 - 24 NA Redondo
Oriental Lisboa 18 - 32 Benfica "B"
Alto Moinho 20 - 22 IFC Torrense
Paço Arcos 23 - 27 Lagoa AC

Uma jornada com uma característica engraçada, venceram os jogos todas as equipas na condição de visitantes, e apenas num eles se verificava ao intervalo, um resultado positivo para a equipa da casa, precisamente aquele que terminou com o resultado mais equilibrado, e que foi disputado entre potenciais candidatos ao apuramento o Alto Moinho / IFC Torrense. O Benfica “B” continua a confirmar o seu favoritismo, vencendo por margem significativa o Oriental de Lisboa. O Zona Azul continua com a sua irregular prestação perdendo desta vez em casa com o NA Redondo, e o Lagoa AC, que na nossa opinião causou surpresa ao ir a Paço Arcos vencer os locais, num jogo em que ao intervalo já vencia (17/14). Com estes resultados apesar de ainda estarmos longe do fim desta fase, não se torna difícil efetuar prognósticos quanto a quem irá disputar o lugar de apuramento (na nossa opinião), Benfica e IFC Torrense. A classificação da zona está assim ordenada: 1.º Benfica “B” (15 pontos), 2.º IFC Torrense (13 pontos), 3.º Oriental Lisboa e NA Redondo (11 pontos), 5.º Lagoa AC e Alto Moinho (9 pontos), 7.º Zona Azul (7 pontos), 8.º Paço Arcos (5 pontos).

Zona Norte – 5.ª Jornada

AD Sanjoanense 27 - 21 ACD Monte
FC Gaia 39 - 32 Juventude Lis
Salgueiros 08 31 - 25 1.º Maio
Batalha AC 28 - 27 CCR Fermentões.

Ao contrário da Zona Sul, a Zona Norte caracterizou-se por todas as equipas a jogarem na condição de visitados terem vencido os seus encontros. Na nossa opinião é uma zona onde o equilíbrio é grande, apesar das diferenças registadas no FC Gaia / Juventude Lis e no Sagueiros 08 / 1.º Maio, Não havendo equipas 100% vitoriosos, e apenas o 1.º Maio da Associação de Leiria, ainda não obteve qualquer vitória. Nesta jornada de destacar a difícil vitória do Batalha AC sobre o Fermentões num encontro sempre disputado com grande equilíbrio. No dérbi da Região a AD Sanjoanense venceu o ACD Monte que apesar de se apresentar apenas com 10 atletas, ainda chegou ao intervalo na posição de vencedor (10/9). Depois destes resultados a Classificação ficou assim ordenada – 1.º FC Gaia e AD Sanjoanense (13 pontos), 3.º Salgueiros 08 (12 pontos), 4.º CCR Fermentões (11 pontos), 5.º Juventude Lis (10 pontos), 6.º ACD Monte (8 pontos), 7.º Batalha AC (6 pontos), 8.º Maio (6 pontos).

O Noticias

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana no Feminino 24 – Play OFF

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.
PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

Play Off - 1/2 Final
1.ª Mão
Juventude Lis 25- 28 Alavarium
João Barros 29 - 23 Madeira SAD

5/8 - Lugar
1.ª Mão
Maiastars 30 -
33 JAC-Alcanena
Colégio Gaia 31 - 31 CS Madeira

Grupo "B"
3.ª Jornada
CA Leça 29 -
35 Passos Manuel
Juventude Mar 25 - 24 Santa Joana

Campeão em apuros! É esta a grande conclusão desta jornada depois da derrota do Madeira Sad no pavilhão do Colégio João de Barros. E como gostamos de criticar quando tal é justo, também gostamos de elogiar quando isso é merecido, temos que sublinhar que foi um enorme serviço ao andebol feminino a FAP ter transmitido online os dois jogos das meias finais do campeonato. No passado, a visibilidade do andebol feminino era nula e agora a situação inverteu-se e é de saudar.

Comecemos então pelo facto mais marcante da jornada que foi a vitória do Colégio João de Barros na receção ao Madeira Sad. O Madeira Sad apresentou-se sem Ana Andrade e com Mónica Soares sem sair do banco, ambas por lesão. E a verdade é que isso torna a equipa muito frágil. Aliás, é muito curioso que nesta altura decisiva da época o Madeira Sad tem 2 das suas principais jogadoras lesionadas, o Alavarium tem uma das suas estrelas, Mariana Lopes, lesionada e a Juve Lis tem a sua líder, Gizelle Carvalho, também lesionada. Só o Colégio João de Barros tem as melhores jogadoras todas disponíveis e isso pode baralhar as contas do título. Neste jogo a exibição da formação das Meirinhas foi excelente. Rapidamente perceberam que as madeirenses não tinham poder de fogo de primeira linha, fecharam bastante bem a defesa e no ataque Dulce Pina jogou ao seu mais alto nível, muito bem acompanhada por Natalina Melo que está em claro crescendo de forma. Isto sem esquecer Eduarda Pinheiro que, já o tínhamos dito, está a fazer uma excelente segunda metade da época e tem sido uma das peças decisivas para a subida de forma de toda a equipa. Quanto ao Madeira Sad, a manta é mais curta do que nas outras épocas e com a ausência de Ana Andrade e Mónica Soares, a equipa fica claramente com problemas ofensivos e foi curioso observar como em alguns momentos foi Renata Tavares a fazer esse papel. Isabel Góis está longe do seu melhor e Ana Correia vê-se que está, claramente, uma sombra do que já foi. O Madeira Sad está numa situação muito delicada e é muito importante que consiga recuperar, pelo menos, Mónica Soares, senão corre sérios riscos de ser eliminado, o que seria uma enorme surpresa. Continuamos a pensar que as campeãs nacionais vão dar a volta à eliminatória, mas se não recuperar uma das lesionadas, correm mesmo sérios riscos. Vai ser um fim-de-semana explosivo no Funchal!

Em Leiria, o Alavarium venceu e confirmou o favoritismo. O jogo foi sempre relativamente equilibrado, mas a equipa de Aveiro esteve sempre na frente. Cláudia Correia e Ana Seabra mostraram o seu poder de primeira linha e a seta Ana Marques resolveu o jogo com os seus habituais contra-ataques. O que impressiona neste Alavarium é a confiança com que aborda os jogos mesmo nos momentos em que as coisas não lhe saem tão bem. A Juve Lis, apesar de derrotada, fez uma bela partida. O seu ataque esteve bem melhor do que tem sido habitual, com Inês Silva muito ativa e Filipa Gante bastante rematadora. O seu problema, ao contrário do habitual, desta vez foi defensivo pois a equipa teve dificuldades em parar as atiradoras aveirenses. A Juve Lis vendeu cara a derrota e esta é a sua imagem de marca, de uma equipa que está a fazer uma época excelente em Portugal e nas competições europeias. Apesar disso, o Alavarium parece-nos ter mais qualidade e tem agora em sua casa a oportunidade de decidir a eliminatória.

Na luta pelos lugares intermédios (joga-se apenas em 2 mãos), o JAC ganhou uma vantagem importante para assegurar o 5º/6º lugar, ao triunfar na Maia. O jogo foi sempre equilibrado mas na segunda parte, a capacidade de remate de primeira linha das jovens de Alcanena acabou por fazer toda a diferença. Patrícia Rodrigues continua a mostrar toda a sua qualidade por esse país fora, Neuza Valente também esteve bem e Inês Luís fez um dos seus melhores jogos esta época. O Maiastars é, claramente, a equipa menos forte de entre estas 4 que discutem um lugar entre o 5º e o 8º, e a sua defesa foi demasiado passiva perante um adversário que tem bom poder de remate de primeira linha. Destaque para a jovem Maria Cerqueira que jogou com raça e de Olinda Leal que aos 34 anos continua a ser a grande líder desta equipa. Pensamos que com 3 golos de vantagem, o JAC vai passar este confronto direto.

Em Gaia, Colégio e Sports Madeira empataram num jogo muito equilibrado do primeiro ao último minuto. Vanessa Silva continua na melhor época da sua vida, somando excelentes exibições, bem como Helena Soares. Desta vez foi Sara Andrade a fazer-lhes companhia nas boas exibições, mas se o Colégio não ganhou este jogo muito se ficou a dever à muito deficiente recuperação defensiva, permitindo que o Sports Madeira equilibrasse o jogo com os seus contra-ataques. Há claramente um défice de condição física no Colégio de Gaia que o impede de atingir as posições cimeiras do andebol português. O Sports Madeira explorou muito bem esse ponto fraco do Colégio até porque a sua principal arma é o contra-ataque e nisso Sara Gonçalves sente-se como um peixe na água e esteve, uma vez mais, em excelente plano. Petra Abreu fez, talvez, o seu melhor jogo da época e foi determinante num empate que deixa tudo em aberto para a 2ª mão mas com favoritismo para as madeirenses que costumam ser bem mais fortes no Funchal.

Finalmente, a luta pela manutenção onde o grande destaque é o facto da Juve Mar já ter assegurado, matematicamente, a manutenção. A equipa de Paulo Martins conseguiu assim o seu grande objectivo para esta época, num jogo que dominou durante a maior parte do tempo mas que acabou por ter que sofrer perto do final e onde Carla Sá voltou a mostrar a sua eficácia, ela que é uma jogadora a quem se dá pouco valor e é um dos valores mais seguros do nosso andebol. Além dela, Ana Couto, uma das boas surpresas da temporada, esteve em excelente nível. Parabéns para a Juve Mar. O Santa Joana, apesar da derrota, está transfigurado nesta fase final. Apesar de terem estado a perder por uma margem considerável, a equipa não desistiu de lutar e colou-se no marcador. Ana Carvalho parece outra jogadora da fase regular e neste jogo também Rute Santos esteve bastante bem. Esta mudança de postura faz com que o Santa Joana esteja na luta pela manutenção e tem mesmo uma palavra a dizer.

Por último, em Leça, mais uma derrota do Cal, desta vez diante do Passos Manuel. A equipa lisboeta que não estava bem nesta fase final, realizou uma excelente exibição, com um ritmo muito e com as irmãs Santos a actuarem a um nível superior que a defesa de Leça nunca conseguiu parar. E, desta vez, tiveram a companhia de Maria Suare que ao longo desta época tem deixado sempre a sensação de que pode fazer mais, mas que neste jogo se apresentou a um bom nível. Esta vitória deixa o Passos Manuel na frente desta a luta a três pelo único lugar que resta para a manutenção e a equipa lisboeta tem 2 dos 3 jogos que faltam em sua casa, pelo que é a equipa que teoricamente está em melhor condições de o conseguir. Quanto ao Cale, continua a sua época de pesadelo e de nada valeu a excelente exibição de Sofia Mota muito bem acompanhada pela excelente capacidade de improviso de Ana Sousa. A equipa de Leça que tinha na sua capacidade de luta defensiva um dos seus pontos fortes está irreconhecível nessa matéria e este jogo isso foi muito evidente e a grande razão de uma derrota que coloca o Cale numa situação impensável há uns meses atrás e que precisará de voltar a jogar dessa forma para escapar à despromoção à 2ª divisão nacional.

No próximo fim-de-semana as atenções estarão, sobretudo, centradas do Funchal para sabermos se o campeão nacional sobreviverá à desconfortável situação em que se encontra.

Críticos Femininos

Crónica de Fim de Semana – 23 – 2011 / 2012 - III

Breve crónica de fim de semana dedicada à PO04, e mais uma vez com o regresso ás duas zonas. Será porventura a prova com menor competitividade do calendário nacional, com um formato completamente desajustado da nossa realidade.

PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.

Zona Norte
24.ª Jornada
FC Porto 37 - 25 AD Sanjoanense
São Mamede 24 - 23 Boavista FC
Xico Andebol 37 - 30 São Bernardo
Ismai 35 - 28 Águas Santas.
FC Gaia 22 - 20 Alavarium
AC Fafe 30 - 26 SC Espinho
Isento - ABC

Equipas Apuradas para a Fase Final – ABC e FC Porto

Numa jornada totalmente dominada pelo fator casa, deve salientar a qualificação direta para a Fase Final do FC Porto, que ao vencer de forma clara a AD Sanjoanense, consolidou o seu apuramento direto, num jogo que diga-se desde já teve uma assistência no nosso conceito ridícula mesmo para o escalão (25 espetadores). Nos restantes encontros destaque para a vitória do Xico Andebol, sobre os aveirenses do São Bernardo, mantendo desta forma a esperança ainda que ténue, em disputar pelo menos o lugar de apuramento. Na mesma senda qualificamos a vitória do Ismai sobre o Águas Santas, que desta forma é o natural favorito para o 3.º lugar ao apuramento direto para a Fase Final pela Zona. Nos restantes encontros apenas uma chamada de atença para as grandes dificuldades sentidas pelo FC Gaia em levar de vencida o Alavarium. Um encontro que poderá (ou não) ser decisivo, e que disputa na última jornada, será o Ismai / São Bernardo. Após esta jornada a classificação ficou assim ordenada: - 1.º ABC sem derrotas (65 pontos – 1 jogo), 2.º FC Porto (56 pontos), 3.º Ismai (54 pontos – 1 jogo), 4.º São Bernardo (52 pontos), 5.º Águas Santas (51 pontos – 1 jogo), 6.º Xico Andebol (50 pontos – 1 jogo), 7.º AC Fafe (45 pontos - 1 jogo),8.º FC Gaia (44 pontos – 1 jogo), no último lugar continua o Alavarium (25 pontos).

Zona Sul
17.ª Jornada
Belenenses 32 - 23 Passos Manuel
Ginásio Sul 16 - 50 Sporting
GS Loures 24 - 22 Juventude Lis
Alto Moinho 33 - 23 Benavente
Paço Arcos 23 - 43 Benfica

Equipas Apuradas para a Fase Final – Benfica e Sporting
Equipa que disputa o jogo de apuramento - Belenenses

Com os resultados verificados nesta jornada e independentemente do que se vier a verificar na última ronda o Benfica será sempre o 1.º Classificado e o Sporting o 2.º, o Belenenses que será igualmente sempre o 3.º, ganhando o direito a disputar com o 4.º classificado da Zona Zorte, a sexta equipa que irá disputar a Fase Final da Prova (A Madeira conforme informação da Federação no seu portal não participa). Foi uma jornada disputada na “mais” insípida das provas do calendário nacional, e cuja forma de disputa esta longe de garantir quaisquer parâmetros de competitividade, e ou interesse. A uma jornada do fim desta fase nesta zona e com os lugares definidos, O Benfica e o Sporting, as equipas mais fortes da zona “passearam” a sua superioridade, com a disputar o encontro no Ginásio Sul perante um número de assistentes (30) que consideramos “ridículo” para esta prova, o Belenenses cumpriu igualmente calendário embora nos 30 minutos iniciais ainda tenha sentido algumas dificuldades. Nos restantes encontros, de destacar as enormes dificuldades no Loures em levar de vencida a Juventude Lis, já que conforme se suponha o Alto Moinho venceu com relativa facilidade o Benavente. A classificação ficou assim ordenada: - 1.º Benfica (50 Pontos), 2.º Sporting (48 pontos), 3.º Belenenses (45 pontos), 4.º Alto Moinho (37 pontos), 5.º Passos Manuel (35 Pontos), no último lugar da classificação encontra-se o Ginásio Sul (21 Pontos).

O Noticias

domingo, 21 de abril de 2013

Crónica de Fim de Semana – 30 – 2012 / 2013 - I

Crónica de fim de semana relativa à PO01 e dedicada à Fase Final Grupo “A” e Grupo “B”.
PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.
 
Fase Final

Grupo “A”
5.ª Jornada
Sporting 28 - 25 Benfica
ABC 24 - 27 Águas Santas
FC Porto 40 - 20 SC Horta

Na jornada que marca o fim da 1.º volta desta Fase Final, um jogo a marcava, era nada mais nada menos que mais um clássico da modalidade o Sporting / Benfica, que terminou com a inesperada vitória da equipa leonina, que esta forma assinalou a sua primeira vitória está época sobre os seus rivais, o Benfica por sua vez ao perder este encontro poderá ter hipotecado de vez a sua candidatura ao titulo nacional, tornando a disputa que vem mantendo com o FC Porto acesa, mas a partir deste momento claramente favorável á equipa nortenha (na nossa opinião). O encontro disputado no municipal de Odivelas que contou uma razoável assistência, foi um encontro que conteve todas as nuances para desejadas num encontro de andebol, teve equilíbrio, teve alternâncias no marcador, teve equipas com fortes “apagões”, teve momentos de mau andebol, e teve quanto a nós o momento decisivo do encontro, quando cerca dos 57 minutos e com o marcador em 25-22 a favor do Sporting, Hugo figueira resolve ser uma das figuras do encontro ao defender um livre de 7 metros marcado por David Tavares. No entanto torna-se incompreensível (pelo menos para nós) como uma equipa (o Sporting) que aos 49 minutos de jogo vencia por um diferencial de 7 golos (o maior registado para qualquer das equipas ao longo do jogo – 24-17), entra numa tremedeira tal que o adversário, aos 57 minutos e picos reduzia para a apenas 2 de diferença (25-23).No Sporting salienta-se a excelente exibição do cubano Frankis Marzo com 8 golos, muito bem acompanhado pelo jovem Rui Silva (5 golos) a jogar e a fazer jogar, e o “regresso” do “poder de fogo” de Fábio Magalhães (6 golos). Uma nota de reportagem finalmente o Rudovic não saiu do banco. O Benfica que na nossa opinião não teve a garra que lhe tínhamos visto no seu último jogo, não contou com um Carlos Carneiro nos seus melhores dias (4 golos), tantos como os que marcaram David Tavares, Cláudio Pedroso e Nuno Grilo, não se entendendo a pouca utilização deste elemento. Uma referência final para a ausência de Dario Andrade onde foi bem visível a falta que faz a esta equipa. Em Braga num encontro com influência para a atribuição do 4.º lugar do Grupo “A” o Águas Santas foi vencer a Braga. A Classificação ficou assim ordenada, 1.º Benfica e FC Porto (45 pontos), 3.º Sporting (40 pontos), 4.º Águas Santas (34 pontos), 5.º SC Horta e ABC (30 pontos).

ABC 24 – 27 Águas Santas 

Num descaracterizado de público face á pouca afluência do mesmo, no Flávio Sá Leite, assistiu-se a um ABC / Águas Santas, cujo resultado final poderá influenciar a atribuição do 4.º lugar da classificação e talvez até decidir uma presença em provas Europeias na próxima época. Foi um encontro onde o equilíbrio predominou até cerca dos 26 minutos (11-11), mas mesmo dentro deste período o ABC esteve 11 minutos sem marcar (entre os 5 e os 16 minutos), após esta igualdade a equipa da Maia assumiu o comando do marcador até final do encontro, chegando a estar a vencer por um diferencial de 8 golos (22-14) aos 42 minutos. O ABC após um oportuno time out, e uma não menos oportuna retificação do sistema defensivo, consegue com alguma garra e uma maior eficácia defensiva, recuperara até aos 3 golos de diferença (22-19) quando estavam jogados cerca de 47 minutos, mas a partir deste momento uma gestão de resultado e de plantel bem como uma melhor adaptação ás alterações defensivas introduzidas pelo ABC, o Águas Santas, controlo sempre o resultado, nunca permitindo aproximações demasiado “perigosas”, com o ABC a praticar demasiadas falhas no ataque, na maior parte das vezes    por precipitação. Na equipa bracarense a troca defesa / Ataque efetuada entre Hugo Rocha e Pedro Seabra resultou em pleno na nossa opinião, e o ressurgimento de Luís Bogas (8 golos, e grande eficácia nos 7 metros) como rematador, bem acompanhados por Miguel Sarmento (4 golos), foram dos fatores mais positivos da equipa, que se apresentou com demasiada ansiedade (na nossa opinião). O Águas Santas com uma poderosa meia distância constituída por Eduardo Salgado (3 golos), Pedro Cruz (8 golos) e Bosko (4 golos), sendo extraordinariamente acompanhados pelo homem do jogo o seu guarda-redes António Campos com uma eficácia de 44%. O encontro foi dirigido pela dupla lisboeta composta por António Trinca / Tiago Monteiro, que teriam produzido um trabalho bastante positivo se o seu critério na aplicação da sanção progressiva, não tivesse sido tão “largo” e por vezes incompreensível. Bem a Desqualificação aplicada a Hugo Rocha.

Nota – É incompressível, que uma mesa, que possui delegado não saiba os procedimentos a adotar quando se aplica 2 minutos, seguidos de Cartão Vermelho ao mesmo atleta, e tenha que ser o árbitro a vir explicar á mesa o que se tem de fazer. Para quê delegado?

FC Porto 40 – 20 SC Horta

Num encontro onde se poderia esperar algumas dificuldades para a equipa nortenha, tudo se resumiu a um domínio constante desde o primeiro ao último minuto, por parte da equipa azul, que comandou sempre o marcador, e rapidamente adquiriu uma confortável vantagem, terminando por “cilindrar” positivamente o seu oponente de hoje. Estranhamente a equipa do SC Horta, produziu uma exibição completamente distante do seu normal, não se entendendo a pouca utilização do veterano Yuriy Kostetsky (4 golos), que apenas concretizou de livres de 7 metros. A dinâmica de jogo da equipa do FC Porto, não permitiu , quer defensivamente, quer ofensivamente qualquer reação da equipa açoriana, que nos pareceu apática para um jogo com estas características, devendo-se no entanto salientar as boas indicações dadas pelo jovem Irineu Gomes (3 golos). No FC Porto, face á sua dinâmica e à exigência do seu técnico na concentração seja qualquer o jogo, compreendeu-se bem neste encontro a fraca utilização do jovem Hugo Rosário. Nesta equipa deve-se acima de tudo destacar o trabalho coletivo, e a grande gestão que é feita do plantel, onde se inclui a progressiva entrada dos jovens ativos, onde desta vez Sérgio Rola com 7 golos foi o expediente máximo desta política, que dará garantias de continuidade, que acompanhados por dois guarda-redes de nível internacional em qualquer parte do mundo (Laurentino com 54% de Eficácia e Quintana com 50% de Eficácia), formam uma verdadeira equipa. Dirigiu o encontro a jovem dupla bracarense constituída por Alberto Alves e Jorge Fernandes, que num encontro facílimo de dirigir, face ao comportamento de todos os intervenientes, tiveram um critério disciplinar completamente desajustado, no que foram ajudados por um uma mesa / ou delegado sem o “bom senso” que deveria presidir a quem exerce estas funções. Devem ainda rever o seu conceito de violação da área de baliza.

Grupo “B”
5.ª Jornada
Xico Andebol 32 - 32 Belenenses
CDE Camões 19 - 24 AA Avanca
AC Fafe 27 - 28 Madeira SAD

Num dos encontros mais importantes da jornada, o AC Fafe / Madeira SAD, que terminou com a vitória da equipa insular pela diferença mínima, e que certamente a colocou a salvo que qualquer acidente que possa envolver uma descida de divisão, ao contrário do seu adversário de ontem que não fica em muito “bons lençóis” como se costuma dizer. Os Madeirenses que se apresentaram apenas com 11 jogadores, chegaram ao fim dos 30 minutos iniciais a perder por 6 golos de diferença (17-11), efetuando uns segundos 30 minutos de garra e determinação, onde a atuação do guarda-redes Luís Carvalho com 44% de eficácia foi determinante, sendo muito bem acompanhado por Leandro Nunes com 10 golos. No AC Fafe, que com este resultado não fica nada bem em termos globais destaca-se pelo número de golos marcados o Luís Nunes com 8 golos. O outro encontro que poderia ter interesse competitivo disputou-se em Guimarães e colocou frente a frente o Xico Andebol e o Belenenses, e que poderia colocar os vimaranenses mais aliviados em relação a uma possível descida de divisão, foi um encontro com a equipa da casa a comandar grande parte do tempo o marcador, embora o maior diferencial registado tenha sido de 4 golos, a favor do Xico aos 16 minutos (14-10). O Belenenses nunca desistiu e foi equilibrando o marcador, de tal forma que aos 38 minutos o marcador registava uma igualdade a 21, até final do encontro o equilíbrio foi a nota dominante, com a equipa do Restelo a estabelecer o resultado final a 30 segundos do fim a através da conversão de um livre de 7 metros por Belone Moreira o seu melhor marcador, sendo muito bem acompanhado por João Paulo Pinto com 7 golos. No Xico Andebol Pedro Correia com 8 golos e Jaime Barreiros com 6 golos foram os seus elementos em destaque. Em Lisboa disputou-se o Camões / Avanca, cujo único interesse era verificar se os liceais conseguiriam repetir a proeza do último encontro entre estas equipas. No entanto o que se verificou foi mais do mesmo com a AA Avanca a confirmar uma esperada vitória diante a equipa mais fraca da prova e que com esta vitória poderá se ter colocado numa posição mais favorável para evitar a descida de divisão. Na AA Avanca grande destaque para o seu guarda-redes Luís Silva com 52 % de eficácia, e para Tiago Cunha com 9 golos, no Camões o “suspeito” do costume, João Oliveira com 7 golos foi o marcador de serviço. Classificação ficou assim ordenada, 1.º Madeira SAD (33 pontos), 2.º Belenenses (31 pontos), 3.º AA Avanca (29 Pontos), 4.º Xico Andebol (26 pontos), 5.ºAC Fafe (25 pontos) e 6.º Camões (19 pontos).

O Banhadas Andebol