gal vence

- Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Bola No Ângulo – Crónica III

O próximo modelo de Juvenis: manifesto contra elitização prematura

Eu não tenho grande paciência para ler regulamentos e comunicados, é literatura que não me atrai. Foi por isso com espanto que recebi via amigo a notícia de que a federação pretende instituir na próxima época uma zona única na primeira divisão nacional de juvenis.

Isto é absolutamente ridículo. Esta ideia preconizada pela federação de que a chave do desenvolvimento do andebol está na elitização da formação (elitização prematura) é uma tremenda falácia. Um embuste. Não há desenvolvimento sem competição e a competição só existe com diversidade e pluralidade. Mais importante do que a elite, é a qualidade da elite. A ideia da federação (responsáveis desportivos) é mais ou menos como sermos os melhores em nossa casa, o problema é quando saímos à rua.

Ora, este modelo serve apenas aos clubes com poder económico para recrutar jogadores a outras equipas. Não me admira que o F.C. do Porto tenha acabado com a sua formação de base e mais admirado estou que o Benfica tenha apostado este ano na formação.

Esta política (arte de regular) é destruidora de clubes e de promessas. Já nem falo, relativamente ao caso prático, nas questões económicas e no investimento de tempo que adolescentes em idade escolar decisiva terão que fazer.

O nosso desenvolvimento depende muito da capacidade de todos os clubes sonharem em ser elite, em chegarem ao topo (através de uma conduta ética, subentenda-se). É neste processo que aparecerão grandes equipas e grandes jogadores. Porque, senhores que mandam, os talentos não nascem todos na mesma cidade.

Renato Miranda

Informação – Clubes - A.A. Espinho

ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE ESPINHO

No dia 01 de Outubro de 2011, Sábado, pelas 14 horas no Pavilhão da Associação Académica de Espinho a Secção de Andebol Feminino vai proceder à apresentação das suas atletas, treinadores e dirigentes para a época 2011/12, numa festa que pretendemos que seja de todos e para todos pelo que convidamos a comparecer.
O Noticias

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A Comunicação Social e as Noticias

Há alguns dias, foi noticiado um acontecimento fatídico na nossa modalidade, e que todos lamentamos, a morte de um atleta dinamarquês em campo (Lars Olsen).

Não sabemos os motivos causais de tal acontecimento, nem sequer avançamos com qualquer informação da acerca da mesma, agora também lamentamos profundamente a forma como os OCS em Portugal (pelo menos), trataram o assunto, pois cada um diz a sua causa, o que se lamenta, vejam estes 4 exemplos.

A Bola

Correio da Manhã
O Jogo
Jornal Noticias
O Noticias

Infromação - Clubes - Diversas

PAÇO ARCOS
SALGUEIROS 08
AC LUSITANOS
O Noticias

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Começou Oficialmente a Época. Mas mais uma vez cheia de Nuvens … III Parte

Hoje vamos dedicar este texto que já vai na sua III Parte, às sanções não cumpridas, e que transitam de uma época para a outra. É tema que está a causar alguma polémica, por falta de esclarecimento da FAP, e que poderá ter levado a situações de falta de verdade desportiva.

Em primeiro lugar deve-se lamentar que a FAP apenas em 6 de Setembro em documento divulgado (lamenta-se que não o tenha feito em Comunicado Oficial), e rectificada em 9 do mesmo mês (mais uma vez a falta de cuidado e de profissionalismo), quando já existiam provas Regionais a decorrer (confirmamos que por ex. a Taça de Honra da AA Leiria teve jornadas com jogos disputados em 31/08 e em 0709)

Agora vamos ao que diz o Regulamento:

As Sanções disciplinares, que transitam de uma época para a outra e que digam respeito a jogos Federativos por exemplo só podem ser cumpridos em provas consideradas Oficiais, conforme se infere do Ponto 4 do artigo 139.º do Regulamento de Disciplina

4. O jogador punido por jogos de suspensão, quer a falta causadora tenha sido praticada em jogo oficial ou jogo particular, cumprirá a pena em jogos oficiais, mas não fica impedido de participar em jogos particulares, salvo se o regulamento o não permitir ou a pena que lhe falte cumprir não seja superior a cinco (5) jogos.”

Analisemos agora o que são provas Oficiais, cuja discriminação se encontra plasmada no ponto 3 do artigo 4.º d0 Titulo 11 do Regulamento Geral da FAP

Artigo 4º (Provas Internacionais, Inter-Regionais e Regionais)
3 - São ainda consideradas provas oficiais os Torneios realizados pela Federação de Andebol de Portugal ou Associações que assinalem o início ou termo de uma época desportiva, designadamente, Torneios de Abertura ou Taça de Honra e Torneio de Encerramento, desde que, estes se encontrem expressamente previstos nos Planeamento de Provas, ou sejam solicitados no início da época às entidades desportivas competentes.

Reforçado com o teor constante do ponto 1.2 do mesmo artigo:

“1.2. O jogador só pode cumprir em Provas Regionais que constem do Planeamento Regional e que a calendarização oficial tenha saído, completa, em Comunicado Oficial.”

Poderemos assim concluir que os atletas com castigos a cumprir de uma época para a outra apenas poderão limpar os mesmos, se as provas oficiais referidas no artigo 4, estiverem previamente planeadas, ora daquilo que constamos e observamos (existem Associações que nem site possuem), e outras que nem comunicados fazem, muito poucas são as Associações que realizaram Assembleias Gerais, para prévia aprovação do seu Planeamento Desportivo, a tempo e horas, e mesmos ainda as que divulgaram a calendarização das provas em CO a tempo e horas. Desta forma sem a prova estar previamente planeada, mesmo sendo designadas por Taças de Honra ou Torneios de Abertura, não servem os propósitos de “limpar” castigos.

A Federação de Andebol, deveria nestes casos, divulgar as Associações que cumpriram todos os requisitos, em tempo oportuno, para não se criarem situações de suspeição, face á tardia divulgação da lista de sanções, que transitam.

Deve-se ainda esclarecer, que para os jogos contarem para cumprimento da sanção, é necessário serem cumpridos mais dois itens, a saber:

1 - “Artigo 20 do Regulamento de Disciplina, Ponto 3
3. Se o número de jogos de suspensão exceder o número dos jogos que restam para disputar até ao final da temporada, os jogos em falta serão cumpridos pelo agente após a sua reinscrição em qualquer temporada seguinte.

2 – “Ponto 1.3 do artigo 139.º do Regulamento de Disciplina
1.3. O jogador nunca pode cumprir mais de um jogo por semana na soma dos jogos das Provas Regionais e Nacionais.
Exemplo: Um jogador com um jogo de castigo não pode cumpri-lo durante a semana na Prova Regional e jogar no fim de semana para a Prova Nacional (ou vice-versa).”

Donde se infere, apesar de não ser directamente explícito, que o atleta não poderá cumprir mas de um jogo por semana.

Tudo o que se situe fora da abrangência destas matérias, são actuações ilegais, e que conferem legitimidade de actuação e protestos de jogos por falta de qualificação dos jogadores.

O Analista

Informação - Clubes - Diversos

GIL EANES
ZONA AZUL
GINÁSIO SUL
O Noticias

terça-feira, 27 de setembro de 2011

PO03 – Crónica Semanal – 02 – 2011 / 2012

Breve crónica da PO03.

PO03 – Campeonato nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos

2º- Jornada

Zona Sul
AC Sines 27 – 28 NA Redondo
Lagoa AC 17 – 15 GS Loures
Oriental de Lisboa 25 – 30 Zona Azul
Boa Hora 37 – 18 AC Costa Oiro
Almada AC 43 – 23 CN Guadiana
Folga – IFC Torrense

O Neo divisionário NA Redondo, após um empate registado na jorrada anterior, foi a Sines vencer os locais pela diferença mínima, por sua vez os Algarvios de Lagoa, venceram um Loures que esta época se apresenta segundo a nossa opinião bastante debilitado. Merece também destaque a excelente vitória alcançada pelo Zona Azul na sua deslocação ao sempre difícil reduto do Oriental de Lisboa, num encontro marcado com 5 desqualificações, sendo 4 directas. Boa Hora, venceu facilmente a equipa do Costa Oiro, por sua vez o Almada, recebeu e venceu por úmeros completamente esclarecedores o repescado CN Guadiana.

Zona Centro
Juventude Lis 28 – 28 NA Samora Correia
Ílhavo AC 41 - 12 Ass. 20 Km Almeirim
Académico Viseu 26 – 27 SIR 1.º Maio
Batalha AC 24 – 25 Académica Coimbra
Folga – AD Albicastrense

Esta será provavelmente a zona mais desequilibrada, e onde se verificarão os resultados mais díspares, tal como o que se verificou no encontro entre o Ílhavo e o Almeirim, com a equipa de Aveiro a construir um resultado que já não se “usa”, por sua vez o Samora Correia uma das equipas mais fortemente apoiada nesta zona, foi a Leiria obter um excelente empate diante os Leirienses da Juventude Lis. A Académica e Coimbra que esta época tem novo comando foi à Batalha vencer os locais pela margem mínima, num encontro em a vitória foi construída nos segundos 30 minutos. Por último temos mais uma vitória tangencial e fora de portas com a equipa do 1.º Maio a ir a Viseu vencer os locais do Académico.

Zona Norte
Boavista FC 20 - 24 Salgueiros 08
AD Afifense 19 – 28 CCR Fermentões
FC Gaia 26 – 32 ACD Monte
Modicus 21 – 21 SC Espinho
AD Sanjoanense 33 – 17 CA Leça

A confirmação que será provavelmente a zona com maior equilíbrio competitivo, está nos resultados verificados nesta segunda jornada, com um renascido Salgueiros a ir ao Bessa vencer os Axadrezados, obtendo a sua segunda vitória e ambas na condição de visitante. O SC Espinho que se deslocou ao sempre difícil recinto do Modicus, obtendo um excelente empate, num jogou em que comandou durante toda a 1.ª parte (14-9) ao intervalo, depois a Sanjoanenses, como querendo desfazer a imagem menos boa deixada na jornada anterior, cilindraram positivamente o CA Leça num jogo de sentido único. Os Aveirenses do ACD Monte, deslocaram-se a Gaia, infligindo a segunda derrota consecutiva aos derrotando os locais, e por fim o Fermentões foi a Afife derrotar os locais por números que não deixam margem a dúvidas, com os locais a sofrerem também eles, a sua, segunda derrota consecutiva, e na condição de visitados.

Na Zona Norte a crónica foi rectificado por lamentável erro

O Noticias

Nomeações – EHF – 2011 / 2012 – IV

Nomeações:

Árbitros

Eurico Nicolau / Ivan CaçadorForam nomeados para dirigir o encontro entre o, RK Partizan Beograd (Sérvia) e o AG Kobenhavn (Dinamarca), relativo a 1ª Jornada da Liga dos Campeões Masculinos, Grupo “D”, e que será disputado na Sérvia em 01-10-11.

Duarte Santos / Ricardo Vieira – Foram nomeados para dirigir o encontro entre o HBC Nantes (França) e o HV KRAS/Volendam (Holanda), relativo à 2.ª Mão da 2.ª Eliminatória da EHF CUP, a ser disputado no dia 15-10-11 em França.

Delegados

Manuel da Conceição – Foi nomeado para o encontro entre o Initia Hasselt (Bélgica) e o FH Hafnarfjardar (Islândia), relativo à 1.ª Mão da 2.ª Eliminatória da EHF CUP, a ser disputado no dia 09-10-11 na Bélgica.

Aos nomeados desejamos as maiores Felicidades.

O Regras

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Crónica de Fim de Semana No Feminino – 01 – 2011 / 2012

Crónica exclusivamente dedicada ao Feminino.

PO09 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Femininos.

Resultados
1.ª Jornada
Zona 1
Almeida Garrett 29 - 24 Maiastars "A"
Madeira SAD 32 - 18 CS Madeira
Zona 2
João Barros 29 - 29 CA Leça
Académico FC 26 - 30 Santa Joana
Zona 3
Juventude Lis 32 - 18 Alpendorada
Juventude Mar 26 - 27 Maiastars "B"
Zona 4
Alavarium 33 - 23 Salgueiros 08
Colégio Gaia 40 - 29 São Bernardo
Zona 5
Gil Eanes 39 - 25 JAC Alcanena
Passos Manuel 29 - 20 Porto Salvo

Arrancou o Campeonato. É tempo de esquecermos o modelo competitivo e todas essas discussões e acompanharmos a par e passo todas as emoções. Como na época passada, não comentaremos arbitragens e apenas analisaremos em detalhe os jogos em que estarão presentes os nossos colaboradores.

O campeonato começou com uma enorme surpresa com o Colégio João de Barros a ceder um empate, no seu reduto, diante do Cale. A primeira parte foi muito equilibrada, mas havia a sensação de que o Colégio João de Barros quando colocasse o pé no acelerador ganharia o jogo. E quando ganhou 5 golos de vantagem já perto do final parecia isso vir a acontecer. Mas as jogadoras de Paulo Félix pareceram sempre encarar o jogo com uma enorme sobranceria e isso veio a revelar-se fatal com a equipa de Leça a empatar mesmo em cima do apito final. O Colégio João de Barros sofre assim um vergonhoso empate e só Eduarda Pinheiro pareceu ao seu nível. Quanto ao Cale, mostrou que pode lutar pelo apuramento. Defendeu de uma forma muito agressiva, conseguindo parar o ataque adversário, teve uma inspirada Catarina Oliveira e Ana Paula Costa que continua a mostrar qualidade. Bela exibição do Cale e o Colégio João de Barros pareceu sempre sem alegria a jogar.

No outro jogo deste grupo 2 (o grupo que parece mais equilibrado da competição) assistiu-se a um jogo equilibrado entre Académico do Porto e Santa Joana. A primeira parte sob o domínio da equipa da casa, com o Santa Joana a dar por completo a volta no segundo período. A equipa do Académico do Porto pareceu fisicamente ter apenas pernas para 30 minutos e sentiu muito a ausência de Isabel Oliveira e Joana Oliveira que não conseguimos apurar se irão ou não jogar esta época. A equipa parece sem ideias e sem organização e não nos parece possível que repitam a fase final da época passada onde apenas Cristina Fernandes e Ana Sampaio estiveram a um bom nível. No Santa Joana, Viviana Rebelo, Marlene Pinto e Maria Domingues mostraram que são as jogadoras que fazem a diferença, numa altura em que Mariana Regadas está uma sombra do que foi. Parece-nos que o Santa Joana irá discutir com o Cale quem irá à fase final mas, pelas aquisições deste ano, a equipa da Maia tem toda a obrigação de o conseguir.

No grupo 3 houve outro dos jogos mais decisivos da competição, entre o Maiastars B e a Juve Mar. Falaremos sobre a questão das duas equipas do Maiastars no último parágrafo desta crónica pela gravidade da situação. A equipa comandada por José Carlos Ribas obteve uma importante vitória perante a equipa que, teoricamente, disputará com o Maiastars a segunda vaga para a próxima fase. Uma vitória arrancada a ferros num jogo muito polémico e em que o ritmo defensivo mais forte do Maiastars lhe garantiu a vitória perante uma Juve Mar que, ao longo de todo o jogo, parece ter sentido a pressão de ter que vencer. Um campeonato com apenas 6 jornadas traz destas contingências e não beneficia em nada a competição, mas a Juve Mar parece uma equipa que parou no tempo e traz um modelo de jogo gasto.

No outro jogo, vitória muito tranquila da Juve Lis que é, sem dúvida, a melhor equipa deste grupo 4, perante um Alpendorada que fez progressos mas está ainda longe de equipas como a Juve Lis

No grupo 4 não houve surpresas. Alavarium e Colégio de Gaia realizaram primeiras partes abaixo do que sabem mas, na segunda parte, facilmente descolaram e asseguraram vitórias perante Salgueiros e São Bernardo, respectivamente. Tal como já tínhamos escrito, parece um grupo com os dois lugares para a fase final completamente definidos.

No grupo 5, curiosidade para ver a estreia da jovem promissora equipa do Alcanena diante das campeãs nacionais do Gil Eanes. Naturalmente que a equipa de Alcanena não tem ainda estofo para competir com equipas deste gabarito e nunca conseguiu parar o ataque adversário onde se notabilizaram as atiradoras Suaré e Vera Lopes. Destaque para a lesão conhecida esta semana de Dulce Pina que a afastará da competição durante alguns meses que é uma baixa muito importante de uma das mais decisivas jogadoras do campeonato. Quanto ao Alcanena, a atiradora Neuza Valente esteve em bom plano, mas o grande destaque vai para a jovem Vanessa Oliveira com uma capacidade de impulsão notável.

No outro jogo do grupo, o Passos Manuel apesar de todos os problemas com a utilização de pavilhão para treinar e da saída de Fátima Suaré, teve uma vitória tranquila com destaque para a suspeita do costume, Cátia Santos, desta vez muito bem acompanhada por Carolina Santos e Joana Pereira. Paula Malcato regressou ao Porto Salvo mas perdeu com a sua ex-equipa numa equipa que parece estar à espera ainda de algumas jogadoras importantes que bem precisam para reforçar um plantel agora comandado por Sónia Araújo.

Finalmente, o grupo 1. Esperava-se que fosse um dos grupos mais interessantes com um duelo fratricida entre Sports Madeira e Maiastars A pelo segundo lugar do grupo mas a verdade é que José Carlos Ribas, aproveitando os regulamentos optou por colocar todas as melhores jogadoras na equipa B e as piores na equipa A, pois o grupo 3 é mais acessível. Foi inteligente, é verdade. Mas desvirtuou por completo o sorteio perante a complacência da Federação que permitiu que isto acontecesse. Como é possível que, na data do sorteio, não tivesse já que estar definidas as jogadoras que pertenciam a uma ou a outra equipa? O Maiastars aproveitou muito bem isto e, com este expediente, passam de uma equipa que estaria de fora da fase final (pois acreditamos que o Sports Madeira seja superior) para uma equipa que está perto de a conseguir (basta vencer em casa a Juve Mar).

Terá sido por isto que o Maiastars fez duas equipas? É que esta equipa A é tão fraca que desprestigia o nome do clube e perdeu com o Almeida Garrett a quem o Maiastars foi buscar 6 jogadoras este ano e um dos seus treinadores que, no banco adversário, viu a sua nova equipa perder com um Almeida Garrett que todos os anos sofre baixas e todos os anos tem a coragem e a dignidade de dar a volta à situação, com Cristiana Morgado em grande destaque na partida.

Quem ficou muito agradado com esta decisão do Maiastars foi o Sports Madeira que ficou com um grupo ainda mais fácil e que deixou de ter história. Este Sábado, defrontaram-se as duas equipas da Madeira e o destaque foi a excelente réplica que as jovens jogadoras do Sports deram na primeira parte, soçobrando na segunda parte ao ritmo mais forte das vice-campeãs nacionais. Mónica Soares mostrou que é um grande reforço para o Sports Madeira. Na Sad, destaque para a veloz Cláudia Aguiar que faz dos contra-ataques a sua arma mortífera.

O campeonato pára na próxima semana e só regressa a 8 de Outubro. Infelizmente, estas paragens vão ser uma constante durante toda esta primeira fase e não ajudam nada o andebol feminino a evoluir.

Críticos Femininos

domingo, 25 de setembro de 2011

Crónica de Fim de Semana – 05 – 2011 / 2012 - I

Crónica relativa à 5.ª Jornada. Reforçamos os nossos lamentos, de mais uma vez a falta de respeito da FAP, e a total desregulamentação, que permite a existência de transmissões directas, em simultâneo com a realização de jogos da mesma prova.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

5.ª Jornada – Resultados

Xico Andebol 22 – 24 Sporting
Belenenses 27 – 33 FC Porto
São Bernardo 34 – 30 SC Horte
ABC 32 – 20 AC Fafe
Ismai 23 – 34 Águas Santas
Benfica 25 – 27 Madeira SAD

Jornada com alguns jogos interessantes, como o clássico Belenenses / FC Porto, que terminou com a vitória indiscutível dos azuis do norte, e do Benfica / Madeira SAD , qu terminou com a sensacional vitória dos Madeirenses. O ABC, terminou com a sua série negativa (3 derrotas consecutivas), e venceu num Derby Minhoto o AC Fafe ( na nossa opinião uma das formações mais fracas do Campeonato ), num encontro em que comandou do primeiro ao ultimo minuto de jogo, e com o seu contra ataque a funcionar em pleno (10 golos em 12 acções), e onde Fábio Vidrago esteve em dia sim com 100% de eficácia ( 7 golos em 7 acções ), e onde se destaque a boa exibição de Humberto Gomes (49% de eficácia), No Fafe, Luís Nunes apesar de ter sido o melhor marcador da sua equipa com 4 golos, esteve bastante abaixou do pode produzir.  Em Aveiro, o São Bernardo obteve a sua primeira vitória, num jogo sempre equilibrado, onde as sucessivas situações de igualdade se repetiam até aos cinco minutos finais (30-30), onde os Aveirenses fizeram um parcial de 4/0, e construíram o resultado final. A desqualificação de Afonso Almeida aos 58 minutos também foi determinante, pois o Horta na prática jogou os últimos minutos com menos um jogador de campo, destaque no São Bernardo para o seu pivot Gonçalo Carvalho com 9 golos em 10 acções, e no SC Horta mais uma vez Yuriy Kostetsky (11 golos), foi a sua principal figura. Em Guimarães, diante um Xico Andebol, que luta pela “sobrevivência” a equipa do Sporting, fez uma exibição a rondar a “pobreza”, tal a forma como se apresentaram na disputa do mesmo, enquanto de um lado se assistia a uma entrega total, de determinação e garra, do outro a apatia. Assistiu-se em termos de resultado a um jogo sempre equilibrado, de tal forma que ao intervalo a equipa de Lisboa vencia por um golo de diferença (10-9), mas com 0% de eficácia na 1.ª linha, isto é um dado relevante do que se estava a passar em campo. Nos segundos 30 minutos não se alterou grande coisa, estando o Sporting, sem marcar 7 minutos (desde o minuto 41 até ao minuto 48), chagando o Xico a assumir o comando do marcador aos 49 minutos (18-17), sendo o Time Out solicitado pela equipa de Lisboa, providencial, no entanto a vitória só seria concretizada nos últimos 3 minutos. No Sporting o único destaque pela positiva vai para o Romeno Daniel Muresan (9 golos). No Xico Andebol além de André Caldas (8 golos), destaca-se o comportamento colectivo. No duelo Maiato, o equilíbrio durou apenas 5 minutos (3-3), a partir daqui a equipa do Águas Santas instalou-se na frente do marcador, para não mais o largar e ir dilatando a vantagem, atingindo o intervalo na frente do marcador por 18-11. Foi um jogo em que o número de falhas técnicas atingiu números impensáveis (25 para o Ismai e 19 para o Águas Santas). O Águas Santas comanda isolado a classificação, com 14 pontos, e é a única sem equipa que ainda não averbou nenhuma derrota.

Belenenses 27 – 33 FC Porto

Jogo disputado num pavilhão que normalmente se encontra bem composto de público, em especial no apoio á equipa da casa, mas que desta vez não tinha a moldura humana esperada. Foi equilibrado durante os 30 minutos iniciais, com a equipa de Belém a cometer poucos erros defensivos, e com o FC Porto a cometer erros defensivos que normalmente não comete, chagando-se ao intervalo com os azuis do norte na frente do marcador pela diferença mínima (14-13). O FC Porto entrou nos segundos 30 minutos com outra atitude e rapidamente alargou a sua vantagem, para 4 golos (17-13) aos 34 minutos, com Tiago Rocha e Pedro Spínola em grande destaque, a equipa de Belém falha livres de 7 metros em momentos cruciais do jogo (3 no total). O jovem Davide Carvalho, ainda coloca o resultado em apenas 3 golos de diferença as 56 minutos (28-25) a favor do FC Porto), com 3 golos de ataque rápido, mas aqui acabou a réplica do Belenenses, com falhas técnicas imperdoáveis nos minutos finais. Na equipa de Belém, excelentes actuações de Ruben Pacheco (8 golos) e de Tiago Fonseca (5 golos), este não só pelo que marcou mas pelo que defendeu e pela garra e determinação com que jogou. No FC Porto, que nos minutos finais fez uma completa gestão do jogo, a grande figura da equipa, e também do jogo foi sem dúvida nenhuma Tiago Rocha (10 golos), bem acompanhado pelo já referido Pedro Spínola e por Gilberto Duarte, ambos com 6 golos. Encontro dirigido pela dupla Lisboeta Tiago Monteiro / António Trinca, que estiveram bem melhor do que esperávamos, com um critério bem definido nos 7 metros, na aplicação da Sansão Progressiva.

Uma última palavra, para o excesso de intervencionismo do delegado ao jogo, que apenas prejudicam as equipas de arbitragem, quando na realidade as suas funções é precisamente o contrário, facilitar o trabalho dos árbitros.

Os OCS de hoje, fazem menção a um possível erro técnico, que terá sido protagonizado pela mesa de cronometragem a ordens do delegado ao jogo, efectivamente existe uma intervenção do delegado que dá origem a uma exclusão, mas a quem está na bancada do lado dos bancos, como foi o nosso caso é impossível, estabelecer um juízo de valor, pelo que não faremos qualquer comentário sobre esta situação.

Benfica 25 – 27 Madeira SAD

Jogo disputado no pavilhão da Luz, com pouco publico, e que começou e terminou mal para a equipa da casa que aos 4 minutos já perdia por 3-1, e que nunca se recompôs, notando-se nitidamente a falta e Cláudio Pedroso, já que em termos de guarda-redes Ricardo Candeias, vai correspondendo, mas necessita de uma alternativa válida, para manter a total concentração. O Madeira SAD comandou quase sempre o marcador, com o Benfica, apenas uma vez a passar pelo comando do marcador, estavam decorridos cerca de 50 minutos de jogo (22-21), para imediatamente a situação ser revertida, e os Madeirenses regressarem ao comando do marcador até final, com tempo ainda para Carlos Carneiro falhar a execução de um livre de 7 metros a 25 segundos do fim. O Benfica iniciou o jogo a defender mal, e com graves falhas de ataque, com sucessivos maus passes e percas de bola, melhorando com o decorrer do encontro, mas sem nunca atingir os níveis exibicionistas a que o seu plantel obriga, nunca se entendendo com sistema defensivo da equipa adversária, sistema em duas linhas e suficientemente agressivo, foi um sistema que obrigou a grande concentração, e a uma boa condição física. Carlos Carneiro apesar de ter marcado 7 golos foi demasiado individualista, cometendo demasiado falhas técnicas ao ataque, por sua vez David Tavares (7 golos), foi o atleta benfiquista mais consistente e mais eficaz. O Madeira SAD, que mais uma vez funcionou muito bem como equipa, com grande eficácia no contra ataque (12 golos em 15 acções), mas Bosko Bjelanovic e João Ferraz estão longe do que podem e devem produzir, falhando em demasia, tanto em termos de passe como de remate, enquanto Gonçalo Vieira e Luís Marques, ambos com 5 golos, estiveram com uma produção bem acima dos seus colegas. Dirigiu o encontro a dupla internacional de Leiria Eurico Nicolau / Ivan Caçador, onde apenas discordamos do critério disciplinar, que por vezes foi incompressível.

Chama-se a tenção para a “rabula” da bola, onde a sua substituição ou pedido de substituição para limpeza, não se pode transformar em time out’s, para nenhuma das equipas e com o Delegado a assistir.
 
O Banhadas Andebol

Crónica de Fim de Semana – 01 – 2011 / 2012 - III

Crónica de fim-de-semana dedicada à PO04.

PO04 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Juniores Masculinos.

1. ª Jornada – Resultados
Marítimo 25 - 28 ABC
Sporting 36 - 19 Ginásio Sul
Benfica 20 - 19 FC Porto
Xico Andebol 26 – 31 Belenenses
São Mamede 24 – 22 São Bernardo
Águas Santas 29 – 25 SC Espinho

Primeira jornada, com um resultado menos esperado, a vitória do neo divisionário Benfica sobre um dos teóricos favoritos ao apuramento para a Fase Final, de salientar ainda a vitória do outro neo divisionário a São Mamede sobe o São Bernardo, que se encontrava na frente do marcador ao intervalo (14-12), o ABC deslocou-se à Madeira onde jogou e venceu o Marítimo com alguma dificuldade, conforme o resultado final o aparenta. Nos outros encontros vitórias mais ou menos folgadas das equipas consideradas favoritas.   

O Noticias

Crónica de Fim de Semana – 02 – 2011 / 2012 - II

Crónicas dedicada á PO02. Que como sabemos é caricatamente disputada, por uma equipa que é um “simulacro” de Selecção na zona norte, chamada de “Resende Andebol”, sem ninguém saber os motivos ou a legalidade da sua presença, na forma actual.

PO02 – Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.

2.ª Jornada – Resultados
Zona Norte
Resende Andebol 22 – 23 CDC Santana
Santo Tirso 25 – 24 AC Sismaria
SP. Oleiros 22 – 24 Avanca
FC Infesta 28 – 31 Académico FC
São Mamede 35 – 30 Alavarium

No jogo de Resende, verificou-se o equilíbrio no resultado, com a vitória da equipa mais forte, pela diferença mínima, perante uns ridículos 60 espectadores, num dia em que estava presente toda a “gente”, pois havia “almoço”, destaque para o jovem Belmiro Alves com 11 golos, e para número de 7 metros de que beneficiou a equipa do Resende Andebol (9), o Santo Tirso, venceu a equipa Leiriense pela diferença mínima. O Avanca num derby da Região, foi a Oleiros vencer os locais, num jogo em que construiu o resultado nos primeiros 30 minutos. O Académico foi a Infesta vencer os locais num jogo sempre equilibrado, onde se estranha o número de exclusões verificado (17 no total), e onde Nuno Farelo (8 golos) e António Ferreira (10 golos) foram os marcadores de serviço respectivamente do Infesta e do Académico. Por último a equipa de São Mamede venceu a equipa do Alavarium, por um diferencial que espelha o equilíbrio verificado durante o encontro.

Zona Sul
Alto Moinho 27 – 25 CDE Camões
CD Marienses 29 – 30 Marítimo
Vitória FC 26 – 25 ADC Benavente
Vela Tavira 29 – 25 Paço Arcos
Ginásio Sul 25 – 24 Passos Manuel

O equilíbrio nos resultados foi a nota dominante nesta jornada, de onde se deverá realçar a vitória do Marítimo, no jogo que opôs as equipas Insulares na sua deslocação a Santa Maria, vitória pela diferença mínima, num encontro de alternâncias no marcador. O Alto do Moinho venceu o Camões que inicia a sua campanha tal como nas épocas anteriores alternando o bom com o menos e bom, caracterizando-se por uma instabilidade competitiva, as suas prestações. Num jogo cujo resultado foi a vitória da equipa de Setúbal, pela diferença mínima, diante o Benavente, também num encontro de alternâncias no marcador e onde o “veterano” Francisco Bacalhau (9 golos), fez a diferença. Em Tavira a equipa do Paço Arcos, apesar de derrotada por um diferencial de 4 golos, causou enormes problemas aos locais, chegando ao intervalo a vencer por 15-14, também neste jogo o “veterano” Vladimir Bolotskikh (10 golos) e João Pinho (14 golos), foram os marcadores de serviço. Por fim O Ginásio Sul / Passos Manuel, que foi mais um jogo a terminar pela diferença mínima, e com vitória da equipa local o Ginásio, num jogo em que ao intervalo se verificava um resultado favorável ao Passos Manuel por 14-9, e onde a desqualificação de David Santos foi um facto a ter em conta.

O Banhadas Andebol

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Competições Europeias 2011 / 2012 – VII

CHALLENGE CUP - FEMININA

O Alavarium, que era a segunda prioridade na organização do seu grupo, no entanto, acabou por ser o organizador do mesmo, que decorrerá de 30-09-11 a 02-10-11, em Oliveira do Bairro, no Pavilhão Municipal.

O Alavarium, participa na 2.ª Eliminatória, incluído no Grupo “B”, juntamente com o RK Zelina (Croácia), Panetolikos AC (Grécia) e o Olympia HC (Inglaterra). O Grupo será disputado no sistema de TXT a uma volta.

Calendário
Dia 30-09-11
Alavarium – Panetolikos AC
RK Zeina – Olympia HC (21H30)
Dia 01-10-11
Olympia HC – Alavarium (17H30)
Panetolikos AC - RK Zeina
Dia 02-10-11
Alavarium - RK Zeina (17H30)
Panetolikos AC - Olympia HC

Apenas a equipa vencedora do Grupo passará á 3.ª Eliminatória onde irá defrontar o ABU Baku (Azerbaijão).

CUP Winner’s CUP - FEMININA

Gil Eanes – A equipa Algarvia, que veio da Liga dos Campeões, disputa a 2.ª Eliminatória desta prova, com o Westfriesland SEW (Holanda)

Calendário
1.ª Mão
Dia 01-10-11
Gil Eanes - Westfriesland SEW (19H00)
2.ª Mão
Dia 08-10-11
Westfriesland SEW – Gil Eanes (18H00)

Madeira SAD – As Madeirenses defrontam na 2.ª Eliminatória desta prova, o Rostov-Don (Rússia)

Calendário
1.ª Mão
Dia 01-10-11
Madeira SAD - Rostov-Don (18H00)
2.ª Mão
Dia 08-10-11
Rostov-Don – Madeira SAD (17H00)

Êxitos desportivos são os nossos desejos para todas as equipas.

O Noticias

Informação - Clubes - Diversos

ABC
ISMAI
SALGUEIROS 08
O Noticias

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Começou Oficialmente a Época. Mas mais uma vez cheia de Nuvens … II Parte

Esperámos intencionalmente, que passassem mais alguns dias, para continuar a descrever as autenticas “diabruras”, que se continuam a praticar nesta FAP e nos seus serviços, algumas certamente executadas por funcionários, mas a mando dos seus dirigentes. È uma pena ninguém meter mão nesta verdadeira desregulamentação, de que, quem tem o poder, ou quem mais consegue influenciar, retira vantagens. A Modalidade não merece isto, pelo menos os seus verdadeiros adeptos e todos aqueles que a servem. Parece-nos uma modalidade gerida por interesses circunstânciais.

Vamos agora falar dos clubes com duas equipas, na mesma prova.

Pomposamente a FAP, emite um comunicado oficial (n.º 27 de 12-09-11), informando de que os clubes com mais de uma equipa “ … terão que enviar para a Federação (via fax ou email) as listagens de cada uma das equipas (nome dos atletas e cipas) obrigatoriamente até 20 de Setembro de 2011dizendo ainda que esta obrigatoriedade deriva da aplicação do conteúdo do Artª. 1º, do Subtítulo 4 do Titulo 11 do Regulamento Geral da Federação de Andebol de Portugal e Associações. Tudo isto estaria certo, se a Federação ao evocar este artigo 1.º, não o fizesse de forma demasiado simplista, pois escamoteou o verdadeiro problema, que se encontra no conteúdo do seu ponto 2 que diz:

2 - O clube que tenha uma equipa A e B a participar no mesmo escalão terá, no momento da inscrição, que vincular os respectivos atletas à equipa.”

Ou seja a Federação com este comunicado, está a informar toda a gente, que as inscrições dos clubes com mais de uma equipa no mesmo escalão foram permissivas, e anti-regulamentares, tudo foi feito numa verdadeira promiscuidade e sem respeito pelos próprios regulamentos, permitindo por exemplo, que depois dos sorteios efectuados, sejam escolhidos os atletas que irão formar as equipas “A” e “B”, consoante as conveniências, num verdadeiro atropelo pela verdade desportiva. Assim não meus senhores.

Resende Andebol

Estamos mais um caso de verdadeira adulteração dos regulamentos e dos dados pessoais de cada interveniente, até ao momento não existiu por parte da entidade gestora da modalidade uma informação plausível e credível do que se pretende obter com este projecto, e é uma pena, parece que dia 24, será assinado mais um protocolo (são tantos, que já temos fortes duvidas das validades dos mesmos)

Mas depois de vermos que este projecto que começou por ser informado, que era uma Selecção de Andebol, basta ver por exemplo o CO n.º 2 desta época, ou o documento apresentado às Associações em 21-05-11, onde se diz claramente, que será a Selecção de Juniores “B” (nascidos em 94/95). Surge depois “mascarado de “Resende Andebol”, porquê? Qual o número de pessoa colectiva desta entidade? Cumpriu os preceitos regulamentares para estar inscrito na FAP? Adquiriu os direitos desportivos de quem? Muitas mais questões poderão ser colocadas, mas por ora chegam estas.

No Entanto mais uma autêntica adulteração dos Regulamentos e esta é uma “barbaridade”, então não é que os atletas que formam esta entidade, foram todos reinscritos, pois possuem todos números CIPA seguidos (na ordem dos 200105 a 200119 – pelo menos). Porquê? O que se pretende com mais esta infracção Regulamentar? O histórico destes atletas deixou de existir? Ou serve para aumentar o número de praticantes no relatório final para o IDP? Mas mais grave, para se puder fazer isto, adulterou-se os nomes dos atletas, conforme alguns comentários já feitos, e por nós confirmado no boletim de jogo, não sabemos se havemos de rir ou de chorar, pelo estado a isto chegou. É uma Pena. Só uma ultima questão, quando acabar a 1.ª fase da PO02 (prevista para 10-03-12), e estes atletas, presumimos nós regressarem aos clubes, que numero CIPA, terão nos jogos pelo Clubes naturais? E uma última questão na realidade quantos clubes representarão na mesma época?

Planeamento Desportivo

Por agora, só lamentamos, que um planeamento que está aprovado, desde a Assembleia Geral de 13-11-10, onde no orçamento que acompanha o planeamento desportivo, está prevista uma verba de 410.000,00 Euros para um PROJECTO INOVADOR DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA JUVENIL, que se presume seja este do “Resende Andebol”, e que é verba a despender pela FAP só em 20111,mas só seja divulgado, passados 10 meses. E se olharmos para os seus anexos, perguntamos, quem são os Juniores “B”, que representarão Portugal no SandIbérico em Outubro, no Torneio de Mediterrâneo em Fevereiro, e nos estágios de Maio, Junho e Julho? E técnico quem será? Pois em Resende apenas existem 10 Juniores “B”, num total de apenas 15 atletas. Onde é que estão os outros?

Reforçamos o que dissemos no último texto, depois não digam que a FAP, não se coloca jeito, para ser criticada pela negativa.

O Analista

Informação - Clubes - Diversas

SÃO BERNARDO
BELENENSES
O Noticias

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Crónica Intermédia – 04 – 2011 / 2012 - I

Como habitualmente e sempre que exista jornada em dia semanal, efectuaremos a nossa crónica. Mais uma vez FAP com a permissividade do costume, permite duas transmissões exactamente à mesma hora

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

4.ª Jornada – Resultados

Madeira SAD 34 – 23 Xico Andebol
AC Fafe 16 – 32 Benfica
SC Horta 28 – 27 ABC
FC Porto 34 – 23 Ismai
Sporting 27 – 20 Belenenses
Águas Santas 39 – 19 São Bernardo

Uma jornada disputada com apenas uma “meia surpresa”, se assim se pode dizer em relação à dificílima vitória do SC Horta frente ao ABC, num jogo disputadíssimo, durante os 60 minutos, tantas foram as situações de igualdade, embora o SC Horta tenha comandado o marcador entre os 39 minutos e os 55 minutos mas nunca teve uma vantagem, superior a 3 golos, para o ABC recuperar e chegar a uma igualdade aos 56 minutos a 26 golos, através de um livre de 7 metros, o SC Horta terminou o encontro em inferioridade numérica por exclusão aos 58 minutos e 45 segundos, que foi acompanhada da marcação de um livre de 7 metros. No SC Horta Nelson Pina (8 golos) e Yuriy Kostetsky (7 golos), são os destaques nos Açorianos, enquanto no ABC, onde se continua verificar uma total carência da 1.ª linha (3 golos em 15 acções), José Ricardo Costa (9 golos) e José Pedro Coelho (8 golos), foram os marcadores de serviço. No Funchal, vitória clara da equipa local, perante um Xico Andebol, que se não tem tido uns cerca de quinze minutos iniciais completamente desastrosos, aos 12 minutos perdia por 8-1, e o resultado final poderia ter sido mais equilibrado, mesmo assim os Insulares atingiram o intervalo a vencer por 18-9, margem que deu para tudo, até para uma reacção da equipa Vimaranense, que aos 45 minutos de jogo apenas perdia por 7 golos de diferença (24-17). No Madeira SAD, Nuno Silva não esteve nos seus dias, ao contrário de Hugo Rosário que com 7 golos em 8 remates foi o melhor marcador da equipa, Luís Carvalho na baliza, mais uma vez com uma excelente eficácia. De destacar a eficácia da 2.ª linha do Madeira SAD, com 83%, na equipa do Xico Andebol apenas a espaços André Caldas (4 golos) e Gustavo Castro (6 golos) estiveram próximos do seu valor. No FC Porto / Ismai, surpresa nos primeiros 15 minutos, com a equipa da Maia a vencer por 10-7, obrigando o técnico do FC Porto a um time out, que se revelou oportuníssimo, pois aos 24 minutos já o FC Porto se encontrava na frente do marcador (13-11), chegando ao intervalo a vencer por 15-12. Segundos 30 minutos sem história. No FC Porto o contra ataque mais uma vez esteve com um grande nível de eficácia (8 golos em 9 acções), onde Ricardo Moreira e Pedro Spínola, ambos com 8 golos estiveram com boa eficácia. O Ismai cometeu um excessivo número de falhas técnicas (20). Benfica e Águas Santas venceram sem quaisquer dificuldades e por números que não deixam dúvidas.

Sporting 27 – 20 Belenenses

Um dos chamados clássicos do Andebol Português, disputado num pavilhão quase vazio, situação que deveria fazer com que os responsáveis pela modalidade, pensassem na origem das causas destas situações. Assistiu-se a um encontro mal jogado, com total supremacia das defesas durante os primeiros 5 minutos (1 golo do encontro cerca dos 6 minutos), para depois se entrara numa fase de sucessivas falhas técnicas por parte da equipa do Sporting, que permitiu que a equipa de Belém, aos 22 minutos de jogo comandasse o marcador (8-7), a partir daqui e fruto de mais uma bela exibição de Hugo Figueira, o Sporting assumiu o comando até final do encontro. O Belenenses foi uma equipa, que cometeu menos falhas técnicas, mas no nosso entender acabou por falhar em termos físicos, de salientar a exibição e Tiago Miranda (6 golos), bem acompanhado pelo “veterano” Vasco Ribeiro na baliza. O Sporting, continua ser uma equipa que comete demasiado falhas técnicas, e onde os seus estrangeiros mais uma vez não justificaram o investimento feito, sendo o jovem Rui Silva (5 golos) a marcar e a assistir, e ainda João Pinto, que com a sua habitual entrega permitiram aos verdes construir a diferença, além claro de Hugo Figueira, para nós o melhor jogador do jogo. Dirigiu o encontro a dupla Internacional Eurico Nicolau / Ivan Caçador, que efectuou um bom trabalho tanto tecnicamente como disciplinar.

Nota – O Comentador convidado Ricardo Andorinho, mais uma vez comete, erros de avaliação das situações relacionadas com a arbitragem, pois a experiencia como atleta, não lhe permite dizer que as regras de andebol são dúbias, as mesmas são claras, as interpretações é que podem ser duvidosas.

O Banhadas Andebol