Inicio da PO09 - Vamos encher os Pavilhões - mas com dignidade a Modalidade merece
Calendário e Resultados na Barra Direita

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Europeu Sub-17 Feminino – 2017 – I – Em Actualização.

Conforme por nós noticiado em 19-09-14, a EHF, alterou o sistema de disputa dos Europeus dos Escalões jovens, criando duas divisões, deixando de existir Fases de Qualificação.

Também informamos na altura que face ao Ranking divulgado, Portugal ficaria na 1.ª Divisão em Masculinos, mas em Femininos teríamos sérias dúvidas, pois eramos o 17.º País do Ranking ficando nos limites dos indicados para chamada 1.ª Divisão, que vieram a ser conformadas, com as notícias agora divulgados pela EHF, e com os Sorteios realizados em 26 e 27-09-16.

O Novo sistema em termos femininos, começa a ter efeito a partir do Euro Sub-17 em 2017, e Euro Sub-19 em 2019.

Foi criado um sistema de promoção e de despromoção que envolverá sempre os 4 melhores classificados da segunda divisão e os 4 piores classificados da primeira divisão. Envolvendo um esquema de movimento dos mais jovens e dos mais velhos.

Assim após terem terminado as inscrições (36) para as respectivas provas, que se disputaram em 2017, na Eslováquia, na Lituânia, e na Macedónia, as equipas foram distribuídas conforme os seus Rankings, da seguinte Forma

1.ª Divisão - EHF W17 EURO 2017 (16 equipas) – Na Eslováquia de 10 a 20 de Agosto de 2017, que serão divididos em 4 grupos de 4 equipas, numa Fase Preliminar.

Rússia, Dinamarca, Noruega, França, Suécia, Hungria, Holanda, Espanha, Roménia, Alemanha, Croácia, Sérvia, Áustria, Montenegro, Eslováquia, e República Checa.

Resultado do Sorteio Realizado (27-09-16)
A actualizar

2.ª Divisão - EHF W17 Championships 2017 (20 equipas) - Na Lituânia e na Macedónia de 14 a 20 de Agosto de 2017. Será disputado em duas provas de 10 equipas. Sendo dívidas numa 1.ª Fase da Prova, em dois (2) Grupos A e B.

Resultados do Sorteio hoje realizado (26-09-16)

Lituânia (10 equipas) – Portugal, Ucrânia, Lituânia, Bielorrússia, Turquia, Finlândia, Itália, Letónia, Grã-Bretanha, e Geórgia.
Portugal, na nossa opinião ficou situado num Grupo bastante acessível para passar á disputa dos jogos Finais.

Geórgia (10 equipas) – Eslovénia, Polónia, Macedónia, Bulgária, Islândia, Suíça, Grécia, Israel, Ilhas Faroé e Kosovo.
O Noticias

Novas Nomeações da EHF – Carlos Garcia

CARLOS GARCIA
PRESENTE EM NOVA ACÃO DE FORMAÇÃO
NOMEADO PELA EHF 

De 5 a 6 de Novembro de 2016 em Chipre, estará presente num Seminário de Treinadores para jovens dos 10 aos 16 anos.

O Noticias

domingo, 25 de setembro de 2016

Crónica de Fim-de-semana – 01 – 2016 / 2017 – II - A

Disputou-se este fim-de-semana as provas de acesso à 2.ª Divisão de Seniores Masculinos (PO02- Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos). Que esta época e conforme já por nós referido, sofreu fortes alterações no seu número de clubes, e no seu modelo competitivo.

Assim iniciamos nosso regresso às crónicas de fim-de-semana, para esta divisão, em princípio teremos o modelo da época transacta, separando as provas, sempre que se justificar, e criando crónicas intermédias quando se julgar conveniente. No entanto esta crónica terá um caracter único, apenas pelas vicissitudes e originalidades que a nossa modalidade comporta.

Notas

Estranhamente, não existiram delegados nestes encontros porquê?

Repetimos aqui tudo o dissemos na época anterior, pois deveria esclarecer-se quais são as verdadeiras funções destes elementos. Pois até ao momento, nem no sítio da FAP, nem nenhum CO, se publicou, ou foi publicado qualquer texto, onde sejam especificadas as suas funções.

PO02-A – Apuramento para o Campeonato Nacional da 2.ª Divisão Seniores Masculinos.

Zona Norte – Multiusos de Lamego - Resultados
1.ª Jornada
Dia 23-09-16
Boavista FC 32 – 25 Póvoa Lanhoso
2.ª Jornada
Dia 24-09-16
ACD Monte 20 – 24 Boavista FC
3.ª Jornada
Dia 25-09-16
Póvoa Lanhoso 24 – 28 ACD Monte

Classificação final – 1.º Boavista FC, 2.º ACD Monte, 3.º Póvoa Lanhoso.  

Sobem á 2.ª Divisão os dois primeiros classificados e que são – Boavista FC e ACD Monte

Esta prova iniciou-se com o Boavista FC / Póvoa Lanhoso, com a equipa do Bessa a apresentar na sua equipas, verdadeiros “masters” da modalidade como Eduardo Filipe, o seu irmão José Coelho, e ainda o guarda-redes Sérgio Morgado, o que na nossa opinião significa uma verdadeira tentativa de ascensão á 2.ª Divisão, pelo que se acompanhou em termos de andamento do resultado, o jogo apenas foi equilibrado nos segundo 30 minutos, pois ao intervalo o Boavista FC vencia por uns claros 18-5, para no segundo tempo se fazer uma ausência gestão de esforço, e de controlo do resultado final. Na equipa do Boavista FC o seu melhor marcador foi Eduardo Filipe com 9 golos, enquanto Pedro Pando com 5 golos foi o melhor marcador do Póvoa Lanhoso. Na 2.ª Jornada, com a vitória do Boavista FC sobre o ACD Monte, ficou imediatamente definida uma das subidas de divisão. Foi um encontro praticamente sempre comandado pelos homens do Bessa, que desta vez não apresentaram Eduardo Filipe, e já venciam ao intervalo por 14-10, precisamente a mesma diferença que se verificou no final do encontro. Jorge Sousa com 7 golos, foi o melhor marcador do ACD Monte, enquanto no Boavista FC, Daan Garcia com 1º golos e José Coelho com 7 golos foram os seus melhores marcadores. Na terceira jornada realizou-se o encontro Póvoa Lanhoso / ACD Monte que definiu quem acompanha o Boavista FC na subida de divisão. Na terceira jornada definia-se quem seria a segunda equipa a subir de Divisão no jogo entre o Póvoa Lanhoso e o ACD Monte, foi um jogo de algum equilíbrio e de alternâncias no marcador, pois durante os primeiros 30 minutos dominou o Póvoa Lanhoso, que chegou ao intervalo a vencer por 16-13, no segundos 30 minutos excelente reacção da equipa do ACD Monte que depois da igualdade a 18 golos assumiu o comando do jogo e do marcador, chegando ao final do encontro com um diferencial a seu favor de 4 golos, num jogo com 16 exclusões e 1 desqualificação directa, o que diz bem da intensidade com que o mesmo foi disputado. José Castro e Pedro Pando, ambos com 6 golos foram os melhores marcadores do Póvoa Lanhoso, enquanto Tiago Cunha com 10 golos foi o melhor marcador do ACD Monte.

Zona Norte – Pavilhão Fernando Tavares - Resultados
1.ª Jornada
Dia 23-09-16
Ílhavo AC 27 – 34 CCP Serpa
2.ª Jornada
Dia 24-09-16
Vela Tavira 30 – 30 Ílhavo AC
3.ª Jornada
Dia 25-09-16
CCP Serpa 23 – 34 Vela Tavira

Na primeira jornada, tivemos logo um jogo com grande equilíbrio durante grande parte do tempo de jogo, com os 30 minutos iniciais, a proporcionarem alternâncias no marcador e diversas igualdades e que terminou com o Ílhavo AC na frente do marcador pela diferença mínima (17-16). No segundo tempo uma excelente entrada do CCP Serpa levou a que a equipa nos minutos iniciais do período passasse a comandar o marcador por 20-18, e nunca mais perdesse o comando o jogo e do marcador, aumentando progressivamente o diferencial. Jogo com ocorrências disciplinares infelizmente. Tiago Sousa com 7 golos e João Ribeiro com 6 golos foram os melhores marcadores do Ílhavo AC, Miguel Baião com 10 golos e Luis Cortez com 8 foram por sua vez os melhores marcadores do CCP Serpa. Na segunda jornada, tivemos um Vela Tavira / Ílhavo, que foi um jogo de grande equilíbrio embora o Vela Tavira chegasse a estar no comando do marcador por mais ocasiões, e tendo diferenciais favoráveis de 3 golos, como por exemplo 8-5 ainda nos primeiros 30 minutos, chegou ao intervalo a vencer pela diferença mínima (16-15), no segundo tempo voltou a comandar o marcador chegando mais uma vez aos 3 golos de diferença (20-17, por exemplo), para permitir uma excelente reacção do Ílhavo AC, e o encontro terminar numa igualdade. Com este resultado nada ficou definido nesta zona, ficando, tudo para definir no jogo da terceira jornada, que se disputou entre o CCP Serpa e o Vela Tavira, onde praticamente se definia a ordem dos apurados, foi um encontro de total domínio do Vela de Tavira, que após uma igual a 3 golos nos minutos iniciais do encontro passou para a frente do marcador aumentando progressivamente a sua vantagem ao longo do tempo de jogo, de tal foram que chegou ao intervalo a vencer por 20-10, no segundo tempo em que chegou a estar com vantagens de 14 golos (29-15 e 33-19, por exemplo) terminou a fazer a gestão do jogo e do marcador, garantido desta forma juntamente com o CCP Serpa o acesso á 2.ª Divisão Nacional. Miguel Baião com 9 golos, foi o melhor marcador do CCP Serpa, enquanto no Vela Tavira Tiago Gome e Carlos Abraul com 7 golos cada foram os marcadores de serviço.

Classificação final – 1.º Vela Tavira, 2.º CCP Serpa, 3.º Ílhavo AC.  

Sobem á 2.ª Divisão os dois primeiros classificados e que são – Vela Tavira e CCP Serpa.

Nota final – Face a estes resultados, não se torna fácil a constituição das zonas, podendo equipas que provavelmente estariam normalmente na zona centro, passar para a Zona Norte como o SP. Oleiros, assim como o Benfica B, provavelmente terá de passar para a Zona Centro. Digamos desde já que não é tarefa fácil.

O Banhadas Andebol

Crónica Intermédia de Fim-de-semana – 07 – 2016 / 2017 – I - Actualizada

Regresso á normal crónica de fim-de-semana, que felizmente decorreu com toda a normalidade, iremos tratar dos jogos realizados e referentes à 5.ª Jornada.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.º Jornada
Dia 05-11-16
SC Horta - AC Fafe (21H00)
3.ª Jornada – Resultados
Dia 09-11-16
SC Horta – ABC (21H00)
4.ª Jornada
Ismai - SC Horta (S/data - adiado)
Dia 28-09-16
ABC - Sporting (21H00)
5.ª Jornada
Dia 24-09-16
Ismai 27 – 37 Benfica
Belenenses 29 – 32 AA Avanca
FC Porto 36 – 28 Águas Santas
São Mamede 25 – 30 ABC
SC Horta 18 – 27 Sporting
Madeira SAD 35 – 26 Boa Hora
Dia 25-09-16
Arsenal 27 - 29 AC Fafe

Felizmente tivemos uma jornada completa, pois não nos recordamos de um início de prova, tão anárquico como este nas últimas épocas, não incluindo no mesmo a jogo Ismai /SC Horta, por motivos óbvios. Disputou-se uma 5.ª jornada, onde destacamos desde logo (na nossa opinião) dois encontros, o FC Porto / Águas Santas, que por tradicção não costuma ser um jogo de facilidades, e o Arsenal / AC Fafe, por ser um encontro entre duas equipas que ascenderam á 1.ª divisão esta época. Não vale a pena falar de assistências, pois as mesmas não se justificam, foi uma jornada onde ocorreu de tudo jogos interrompidos, protestos de jogo, e ocorrências disciplinares.

Actualização


No Pavilhão Flávio Sá Leite, disputou-se hoje (25-09-16) o último jogo da 5.ª Jornada, o Arsenal / AC Fafe, que colocou frente a frente duas equipas minhotas e que ascenderam esta época á 1.ª Divisão, foi um jogo de alguns equilíbrios se alternâncias no marcador, acabando por vencer a equipa que demonstrou ter mais experiência. Até cerca dos 9 minutos de jogo quando se verificou uma igualdade a 5 golos o AC Fafe comandou o marcador, com os bracarenses a reagirem bem e a chegarem ao intervalo a vencer por 15-12. No segundo tempo o Arsenal chega a comandar o marcador com um diferencial a seu favor de 5 golos (19-14) aos 35 minutos, após uma excelente reentrada no jogo e aos 38 minutos quando vencia por 20-15, mas foi claudicando progressivamente e aos 48 minutos de jogo tínhamos uma igualdade a 23 golos, para se registar nova igualdade agora a 25 golos aos 54 minutos, quando um oportuno Time-Out do AC Fafe, resolve praticamente o jogo, pois de seguida assume o comando do jogo e do marcador, consumando desta forma a sua vitória no jogo. O Arsenal com 11 atletas a concretizarem golos, os seus melhores marcadores não foram além de 4 golos (João Santos – 80% de eficácia, André Caldas – 67% de eficácia, João Afonso - 67% de eficácia e André Azevedo – 50% de eficacia), por sua vez Belmiro Alves 9 golos (75% de eficácia) e Tiago Gonçalves 7 golos (64% de eficácia, com 3 em 5 de 7 metros) foram os melhores marcadores da equipa 

No Pavilhão Eduardo Soares, realizou-se o jogo São Mamede / ABC, e quando se esperava um encontro de total superioridade do Campeão Nacional, eis que o “efeito” Liga dos Campeões, fez efeito, e surpreendentemente a equipa neo divisionária do São Mamede comandou o jogo e o marcador até cerca dos 45 minutos quando vencia por 20-19, depois de ter chegado ao intervalo com uma igualdade a 13 golos, quando chegou a ter uma vantagem de 5 golos ainda nos primeiros 30 minutos, quando aos 9 minutos de jogo vencia por 7-2. O ABC estabelece a igualdade a 20 golos, que coincide com a desqualificação de Filipe Lopes cerca dos 46 minutos para ainda se registar nova igualdade a 23 golos aos 51 minutos, quando o ABC acorda de vez e faz um parcial de 5-0 em 6 minutos passando em definitivo para o comando do jogo e do marcador (28-23), situação que lhe permitiu controlar o resto do tempo de jogo, e terminar como vencedor. Emanuel Ribeiro na baliza do ABC com 36% de eficácia foi um dos esteios da equipa, juntamente com Miguel Sarmento com 9 golos e 100% de eficácia (5 em 5 de 7 metros), numa equipa com 10 jogadores a marcarem golos e onde se continua a verificar a ausência de josé Costa. No São Mamede uma igual referencia ao seu guarda-redes Rui Pereira com 33% de eficácia e para João Baltazar com 9 golos mas somente 64% de eficácia.

No Pavilhão do Funchal tivemos o Madeira SAD / Boa Hora, outro jogo onde estava presente mais neo divisionário, que defrontava uma das equipas que tem fundadas aspirações a discutir os 6 primeiros lugares da 1.ª Fase da Prova, e que durante os primeiros 30 minutos foi uma das grandes surpresas da jornada, pois equilibrou o jogo estando a maior parte do tempo na frente do marcador, consentido a igualdade a 10 golos quando estavam decorridos cerca de 25 minutos, para chegar ao intervalo a perder pela diferença mínima (13-12). Mas o “gaz” para que terminou com o final do primeiro tempo pois o Madeira SAD fazendo uso de todo o seu potencial de jogo, rapidamente chega aos 23-16 cerca dos 43 minutos de jogo, para aos 46 minutos já registar o maior diferencial registado em todo o jogo, que foi igual ao diferencial final (35-26). Uma das grandes diferenças registadas esteve em especial no rendimento dos guarda-redes que no Madeira SAD tiveram Yusnier Giron com 30% de eficácia e Luís Carvalho com 29%, contra os 17 e 16$ de eficácia dos seus colegas na baliza do Boa Hora. NO Madeira SAD com 11 jogadores a marcarem golos, Daniel Santos com 7 golos foi o seu melhor marcador (64% de eficácia, 2 em 5 de 7 metros), no Boa Hora Pedro Sequeira com 6 golos (60% de eficácia), foi o seu melhor marcador.

No Municipal da Maia, disputou-se o Ismai / Benfica, onde a equipa do Benfica era francamente favorita, e confirmou esse favoritismo comandando o jogo e o marcador durante os 60 minutos, de tal forma que foi progressivamente alargando o seu diferencial no marcador, e aos 19 minutos de jogo já vencia por 13-7, para aos 28 ter o maior diferencial registado no primeiro tempo (8 golos) quando vencia por 20-12, para o intervalo chegar com o resultado em 20-14. A Equipa encarnada, como é costume do seu técnico, foi rodando todo o seu plantel e terminou o encontro com uma confortável vantagem (10 golos). Mais uma vez Hugo Figueira na baliza com 44% de eficácia, foi um dos grandes responsáveis por este bom desempenho colectivo, que teve 13 jogadores a marcarem golos, onde Srefan Teerzic com 6 golos e 60% de eficácia e Belone Moreira igualmente com 6 golos mas 100% de eficácia (2 em 2 de 7 metros), foram os seus principais marcadores. Na equipa do Ismai, teremos de destacar mais uma vez Angel Zulueta com 6 golos mas somente uma eficácia de 40%, sendo mesmo assim o melhor marcador da equipa, embora Pedro Vieira com 5 golos e 100% de eficácia, tenha na nossa opinião sido o seu melhor elemento.

No Pavilhão Acácio Rosa, disputou-se o Belenenses / AA Avanca, que foi um encontro onde aconteceu de tudo, interrupção do jogo, que ultrapassou os limites constantes no CO N.º 21 da presente época nomeadamente a matéria que se encontra estabelecida no ponto 19 e suas alíneas (Não realização do jogo por decisão dos árbitros), registou protesto de jogo, vimos uma equipa abandonar o terreno de jogo (Belenenses), é o encontro com registo de ocorrências disciplinares, assistimos a um técnico a pedir o seu último Time-Out a 18 minutos do fim do jogo, não para dar instruções aos seus atletas para pedir ao publico afecto ao Belenenses puxar pela equipa, já que os escassos elementos da AA Avanca presentes conseguiam fazer mais barulho que todos os outros. Assistimos ao lançamento de objectos (pareciam garrafas de água do lado dos sócios do Belenenses para o outro lado, e assistimos a uma tentativa de que a claque afecta a AA Avanca se calasse e retirasse as tarjas de apoio, e depois dizem que os jogos sem policiamento devem continuar, quando tudo se tenta para vencer o encontro, ainda por cima quando se pede este time-Out aos 42 minutos de jogo a equipa do Belenenses recuperava de um diferencial de 6 golos em seu desfavor (26-20) para somente um diferencial de 3 golos (26-23). Estes são os factos reais do que se passou no recinto de jogo. A AA Avanca uma equipa com princípios andebolísticos, comandou o jogo e o marcador durante os 60 minutos de jogo, chegando ao intervalo a vencer por 19-15, no segundo tempo manteve o mesmo ritmo e chegou conforme já relatamos aos 6 golos de diferença, para terminar controlando o jogo e o resultado e com a ”cabeça” fria, vencer o encontro. A equipa da AA Avanca teve no seu guarda-redes Luís Silva um dos grandes responsáveis desta vitória com 37% de eficácia, e em Nuno Carvalho com 8 golos (62% de eficácia, 2 em 3 de 7 metros) e Miguel Batista com 6 golos (67% de eficácia, e na sua coesão defensiva os seus grandes trunfos. Na equipa do Belenenses faltou acima de tudo serenidade, pois Gonçalo Ribeiro (8 golos, 57% de eficácia, 3 em 3 de 7 metros) não esteve mal, mas Carlos Siqueira raramente foi servido em condições.

No pavilhão da Horta, tivemos o SC Horta / Sporting, com os locais a realizarem apenas o seu segundo jogo, apesar de já estarmos na 5.ª Jornada. O Sporting entro com excesso de confiança pois ao chegar facilmente aos 4-1 aos 10 minutos de jogo, “relaxou” e permitiu uma igualdade a 5 golos cerca dos 14 minutos, dando um equilíbrio ao jogo até ao intervalo onde chegou na frente do marcador por 11-9. No segundo tempo uma boa entrada do SC Horta, ainda chegou á diferença mínima aos 33 minutos 12-11, para a partir daqui, o Sporting assumir em definitivo o comado do jogo e aos 55 minutos vencia por 25-16, uma das maiores diferenças registadas no encontro (9 golos), Na equipa sporting com 11 jogadores a marcarem golos o que nos dá uma preciosa indicação da rotação feita no plantel, onde o central Carlos Ruesga com 5 golos (83% de eficácia, 2 em 2 de 7 metros), foi o melhor marcador da equipa, enquanto SC Horta com o mesmo número de golos e como seu melhor marcador tivemos o jovem Hugo Freitas (56% de eficácia). Nuno Silva na baliza do SC Horta com 34% de eficácia cotou-se como um dos seus principais elementos, tal como do outro lado Aljosa Cudic com 48% esteve em grande plano.

FC Porto 36 – 28 Águas Santas

Jogo mais aguardado da jornada disputou-se no Dragão Caixa e colocava frente a frente o FC Porto e a equipa maiata do Águas Santas, foi um jogo de grande equilíbrio até cerca dos 16 minutos de jogo, quando se registava uma igualdade a 8 golos, resultado que derivava especialmente do menor rendimento defensivo da equipa do FC Porto, enquanto do lado dos maiatos, estavam com melhor acerto defensivo e com dois atletas que no ataque estavam um excelente rendimento, estamos a referir-nos ao angolano Elias António (9 golos e 53% de eficácia) e a Pedro Cruz (13 golos e 72% de eficácia), de tal forma, que a partir desta igualdade assumiram o comando do marcador, chegando a ter vantagens de 3 golos por diversas ocasiões (11-8, 12-9, 14-11, como exemplos, “obrigando ainda durante o primeiro tempo a que o FC Porto, procedesse á troca de guarda-redes com a entrada de Hugo Laurentino (41% de eficácia) aos 18 minutos de jogo, e mesmo assim o Águas Santas, ainda chegou ao intervalo a vencer pela diferença mínima 17-16. De assinalar que o técnico do Águas Santas usou sistematicamente durante este período de tempo a possibilidade de atacar com 7 jogadores de campo, sem guarda redes, o que lhe rendeu alguns frutos neste período, ainda neste período de tempo uma referência para a excelente eficácia de José Carrillo ( 8 golos, 80% de eficácia, 5 em 5 de 7 metros) na execução dos livres de 7 metros. Neste 1.º tempo o FC Porto foi pouco assertivo na defesa falhando em especial na execução dos blocos, onde esteve longe da sua habitual eficácia. No segundo tempo, com Hugo Laurentino a fazer três golos quase de seguida, e com Rui Silva (6 golos e 100% de eficácia) a jogar a fazer jogar e a marcar, obrigaram o técnico do Águas Santas a abandonar a sua táctica inicial, que se começou a revelar prejudicial ao jogo da sua equipa, deste modo o FC Porto aos 35 minutos já vencia por 21-18, para atingir os 5 golos de diferença aos 49 minutos, quando passou a vencer por 29-24, verificou-se que a partir deste momento, e como o Águas Santas tinha feito pouca rotação dos seus jogadores, o cansaço se estava a apoderar da equipa, enquanto o FC Porto fazia a total rotação so seu plantel, e terminava o encontro com o maior diferencial que se registou em todo o encontro. Encontro dirigido pela dupla EHF de Braga constituída por Daniel Freitas e César Carvalho, que apesar uma ou outra falhas em especial na Lei da Vantagem e na Sansão Progressiva, onde estiveram mais permissivos do que o costume, teremos de considerar a sua arbitragem como positiva.

A Classificação até ao momento e depois desta jornada é a seguinte: - 1.º FC Porto (15 pontos), 2.º Benfica (13 pontos), 3.º Sporting (12 pontos, -1 jogo), 4.º Madeira SAD, Águas Santas e AA Avanca (11 pontos), 7.º ABC (9 pontos, -2 jogos), 8.º AC Fafe (-1 jogo), Belenenses, e Boa Hora (8 pontos), 11.º Arsenal (6 pontos), 12.º São Mamede (5 pontos), 13.º Ismai (4 pontos, -1 jogo), 14.º SC Horta (3 pontos, -3 jogos) 

O Banhadas Andebol

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Planeamento Desportivo – Época 2016/2017 – XIX

Participantes nas Provas Nacionais Não Fixas - Época 2016/2017

Dando continuidade a anteriores artigos sobre o Planeamento de Provas, na analisar das provas Nacionais Não Fixas, e que foram divulgadas pela FAP, em especial através do Comunicado Oficial n.º 12 da Época 2016/2017, onde é feita uma primeira divulgação da estrutura das 1.ªs Fases. Hoje poderemos fazê-lo mais completa, pois já foram divulgados os CO N.º 24 e 25, já com a indicação das Associações responsáveis por zona, e com a indicação da estrutura das 2.ªs Fases e respetivo modelo competitivo. Continuamos a afirmar, de que se regista na maior parte dos casos um regime de continuidade do verificado na época anterior. Embora se verifique que na sua grande maioria, as Associações ainda não criaram as provas, no sitio da Federação o que torna tudo muito mais difícil, com todas a s datas já ultrapassadas (26-08-16). Salvaguarda-se as saudáveis excepções de que é por exemplo a AA Porto.

Hoje iremos analisar ainda que sumariamente a PO07

PO07 – Campeonato Nacional de Juvenis Masculinos – 2.ª Divisão

Na nossa 1.ª análise tínhamos afirmado conforme se constatava no CO N.º 12, que o número de zonas era o mesmo, afinal estávamos enganados, pois o CO N.º 25, que informa de quais as Associações responsáveis, cria a prova com 9 Zonas. Consideramos mais positivo esta divisão criando autênticos Campeonatos Regionais, que na nossa opinião é o caminho mais correcto a seguir.

Na altura informamos de algumas alterações na constituição das zonas, hoje teremos informar de que ainda existem mais, assim na Zona 4 desapareceu Coimbra, ficando somente Aveiro.

A Zona 5, que era constituída por Santarém, Portalegre, Castelo Branco e leiria, foi e bem na nossa opinião subdividida em duas:

Zona 5 – Leiria e Castelo Branco
Zona 6 – Santarém e Portalegre

A antiga Zona 6, que era constituída por Lisboa e Setúbal, foi igualmente e bem na nossa opinião subdividida em duas:

Zona 7 – Lisboa
Zona 8 – Setúbal

Passando a antiga Zona 7 a designar-se por Zona 9, com Setúbal, a deixar de estar dividida por duas zonas.

Zona 9 – Beja, Évora e Algarve

Em relação ao número de participante, apenas poderemos dizer que em 14/15, tivemos nesta Fase da Prova 51 equipas, e em 15/16, 56 equipas, em 16/17, com apenas 6 Zonas criadas, Braga, Porto, Viseu, Aveiro, Setúbal e Beja, já temos um total de 39 equipas, lamentavelmente não poderemos sequer confrontar os números, pois as outras zonas, não têm a prova sequer criada.

O modelo competitivo divulgado, quer através do Regulamento Especifico da prova, quer através do CO N.º 24 da presente época, embora seja um modelo semelhante ao aplicado na época passada, sofreu alguns ajustamentos interessantes, embora preveja que o número de apurados nesta fase, seja precisamente o mesmo 24 equipas:

Os clubes apurados na 1.ª Fase serão agrupados na 2.ª Fase em três (3) zonas, que será disputado no sistema de TXT a 2 voltas. O 1.º Classificado de cada Zona fica apurado para a Fase Final e sobem á 1.ª Divisão. Informa ainda de que os representantes da Madeira e dos Açores participam na Fase Final, a novidade e bem vinda é a inclusão da equipa da Madeira, agora programar uma Fase final em concentração com um numero equipas impar é que não estamos de acordo (5 equipa). A Fase final é disputada em concentração no sistema de TxT a 1 volta. Disputa-se ainda uma Fase de Apuramento, entre os 2.º’s classificados de cada Zona, em concentração no sistema de TxT a uma volta, para na prática apurar a 4.ª equipa que sobe de divisão. O que significa que nem o representante da Madeira, nem o representante dos Açores têm direito a ascender de Divisão.

Distribuição das Associações por Zona, conforme CO N.º 25

Zona 1 (4 equipas) – Braga e Vila Rela – Apura previsivelmente 2 equipas  
Zona 2 (13 equipas) – Porto – Apura previsivelmente 5 equipas  
Zona 3 (6 equipas) -Viseu e Guarda - Apura previsivelmente 3 equipas
Zona 4 (7) – Aveiro - Apura previsivelmente 3 equipas  
Zona 5 (???) – Leiria e Castelo Branco – Apura previsivelmente 2 equipas  
Zona 5 (???) – Santarém e Portalegre - Apura previsivelmente 2 equipas  
Zona 7 (???) – Lisboa - Apura previsivelmente 3 equipas  
Zona 8 (4) – Setúbal - Apura previsivelmente 2 equipas  
Zona 9 (5 equipas) – Beja, Évora e Algarve - Apura previsivelmente 2 equipas

O número de apurados em cada zona, segundo informa a FAP, poderá ainda sofrer alguns ajustamentos até 30-11-16, e face ao cumprimento ao não dos requisitos para participar.

Em próximo texto continuaremos a falar e a escrever sobre estas provas, e a aguardar pelo cumprimento das datas limite, para uma análise mais concreta.

O Analista

Nomeações – EHF – 2016 / 2017 – IV

A EHF procedeu a diversas nomeações, para algumas das provas Europeias, tendo Portugal sido contemplado com novas nomeações.

Árbitros
Daniel Martins / Roberto Martins – Foram nomeados para dirigir o encontro da 2.ª Mão, da Qualificação 2 da EHF CUP Masculina, que se disputa entre o Gornik Zabrze (Polónia) e o AAC Filippos Verias (Grácia), na Grécia no dia 15/16-10-16.

Delegados 

António Goulão - Foi nomeado, para o encontro da 2.ª Jornada do Grupo C da Liga dos Campeões Masculina, que se disputa entre o Naturhouse La Rioja (Espanha) e o Montpellier HB (Espanha), em Espanha no dia 01-10-16.
José Jorge - Foi nomeado, para o encontro da 2.ª Mão, da Qualificação 2 da EHF Masculina, que se disputa entre o Maccabi Srugo Rishon Lezion (Israel) e o Red Boys Differdange (Luxemburgo), no Luxemburgo em 09-10-16.

Aos nomeados os nossos parabéns, e as maiores felicidades.

O Regras

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A Presença de Médicos…

INCIDENTES RELACIONADOS COM A SAÚDE DOS INTERVENIENTES NUM JOGO.

A propósito do incidente verificado como atleta João Sousa do SC Horta, num jogo da PO01, no pavilhão do Ismai, questionámos diversas situações e obrigatoriedades dos clubes na principal prova do calendário nacional.

Mas antes de entramos em qualquer questão e como a saúde do atleta está em primeiro lugar, desejamos ao mesmo que o restabelecimento seja rápido, e o seu regresso em plenas condições de saúde seja o mais breve possível.

Depois temos de lamentar, que até ao momento, não exista da parte da entidade organizadora da prova, qualquer informação, no mínimo para evitar especulações por vezes indesejáveis.

Agora sim questionamos, perguntando sempre:

Será que os exames de medicina desportiva, estão a ser cumpridos com o rigor exigido para uma prova deste tipo?

Porque será que apenas é obrigatória a existência de uma DEA (desfibrilador externo automático), em recintos desportivos com lotação superior a 5000 lugares, (Dec./Lei 184/2012 de 08-08-12)?

Por que será que não é obrigatório a presença de uma equipa de Paramédicos habilitados para trabalhar com o mesmo aparelho, juntamente com uma ambulância, seja ela de que entidade for, para situações de emergência, evitando-se esperas por vezes indesejáveis do INEM, que não têm qualquer obrigação de estar presente, em permanência nos recintos desportivos?

Porque será que nos jogos da PO01 e outros porventura, não é obrigatória a presença de um médico?

Muitas destas situações poderiam e deveriam ser devidamente normalizadas pela Federação de Andebol de Portugal? Nós afirmamos Poderiam e deveriam.

Nos “malfadados” tempos da Liga de Andebol, a mesma de que muitos dos actuais dirigentes gostam pouco de falar, mas que na realidade lhes criou algumas das condicções que actualmente têm, já possuía nos seus Regulamentos a obrigatoriedade da existência de um Médico em todos os jogos, dizendo nas suas normas nomeadamente, e passamos a transcrever porque fomos á sua procura, “ Um médico com licença em vigor deverá permanecer no banco de suplentes durante todos os jogos que o seu clube ou Sociedade desportiva realize na condicção de visitado, atender às solicitações de todos os Praticantes Desportivos intervenientes no jogo, caso o clube ou Sociedade Desportivo não se faça acompanhar por um médico, sendo ainda responsável pela assistência médica aos Árbitros”. Porque será que a Federação que é tão prodiga em normas técnicas, que alteram regulamentos indevidamente, não adapta algo semelhante, e mais actual?

Porque será que a Federação não torna obrigatório a presença de uma ambulância devidamente equipada nos jogos, prevenindo estas e outras situações?

Pois a seguir dizem e os custos, e nós contrapomos e os acordos para que servem, ou só existem acordos com quem interessa, e para a fotografia, e a saúde da modalidade, que até como já noticiamos, têm os árbitros a “fazer anos todos no mesmo dia”, pois os seus exames médicos são feitos nas acções de formação.

O Reticências

Campeonato do Mundo Alemanha 2017 – Femininos - V

23.º MUNDIAL DE SENIORES FEMININOS
(ALEMANHA)
PORTUGAL INICIA PREPARAÇÃO PARA O APURAMENTO
(DE ACESSO AO PLAY OFF)

Após a divulgação dos torneios das Qualificações Europeias de acesso ao Play Off do Mundial de 2017 em Femininos que se disputará na Alemanha de 1 a 17 de Dezembro de 2017, e de Portugal ter aceite efetuar os seus jogos em Torneios de Apuramento em vez de disputarem as respectivas jornadas casa e fora. Portugal disputará o seu (Grupo 4) na Itália de 25 a 27-11-2016.

Grupos da Qualificação Europeia 1

Grupo 1 – Ucrânia, Eslováquia, Lituânia e Grécia.
Grupo 2 – Bielorrússia, Turquia, Suíça e Kosovo.
Grupo 3 – Áustria, Islândia. Macedónia, e Ilhas Faroé.
Grupo 4 – Itália, Portugal e Israel.

Infelizmente no Grupo de Portugal apenas o primeiro classificado será apurado para os jogos de Play OFF, que se disputam em 09 a 11-06-17 e 09 a 11-06-17.

Recordamos o Calendário do Grupo de Portugal
Dia 25-11-16
Israel – Itália (18H00)
Dia 26-11-16
Portugal – Israel (20H00)
Dia 27-11-16
Itália - Portugal (16H30)

Nota – Os nove (9) lugares Europeus, serão disputados através de Fases de Qualificação (Fase 1 e Fase 2), para o Play OFF, serão apurados 11 das seguintes 14 equipas – Croácia, República Checa, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Montenegro, Holanda, Polónia, Roménia, Rússia, Eslovénia, Sérvia e Suécia.

Portugal inicia a sua preparação efetuando, um estágio de 3 a 8-10-16, que decorrerá em Lamego e será utilizado o pavilhão Multiusos da cidade. Este estágio, engloba a realização de dois (2) jogos com a Seleção da Argélia, dá origem a uma ligeira paragem da PO09, e será supervisionado pelo selecionador Nacional Ulisses Miguel Pereira.

Convocatória sem comentários:
Calendário dos jogos com a Argélia
Dia 06-10-16
Portugal – Argélia (18H30)
Dia 08-10-16
Portugal – Argélia (17H00)

O Noticias

Crónica Intermédia de Fim-de-semana – 06 – 2016 / 2017 – I

Nesta crónica intermédia de fim-de-semana, nos iremos tratar dos jogos realizados e referentes à 4.ª Jornada.

PO01 – Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Seniores Masculinos.

1.º Jornada
Dia 05-11-16
SC Horta - AC Fafe (21H00)
3.ª Jornada – Resultados
Dia 09-11-16
SC Horta – ABC (21H00)
4.ª Jornada
Dia 21-09-16
Ismai - SC Horta (adiado)
Benfica 35 – 29 Belenenses
AA Avanca 18 – 30 FC Porto
Boa Hora 26 – 26 Arsenal
AC Fafe 28 – 26 São Mamede
Águas Santas 27 – 22 Madeira SAD
Dia 28-09-16
ABC - Sporting (21H00)

Uma jornada das várias jornadas disputadas á 4.ª Feira, e que por motivos da participação nas provas europeia de clubes teve um jogo adiado, e logo o jogo (na nossa opinião), o mais importante da jornada (ABC / Sporting), e que teve dois jogos entre os neo divisionários que provocavam algum interesse (Boa Hora / Arsenal, e AC Fafe / São Mamede), bem com um antigo clássico da modalidade (Benfica / Belenenses). Continuam as fracas assistências, para a principal prova do calendário nacional, com a jornada a ser mais uma sem ocorrências disciplinaresTivemos um jogo adiado por motivos de saúde um atleta que se encontra em estado preocupante, o centra João Sousa do SC Horta, que caiu inanimado logo aos 2 minutos de jogo, quando o resultado era favorável ao SC Horta por 1-0, Desejamos o rápido restabelecimento do jovem atleta cujo estado de saúde é preocupante (Ismai / SC Horta)

No pavilhão Fernando Tavares, defrontaram-se as duas equipas que subiram de divisão, Boa Hora / Arsenal, num jogo de fraca qualidade andebolística, com um número falhas técnicas, exagerado, e onde por vezes as equipas pareciam que não estavam em campo e praticavam um andebol sem nexo, tudo isto não invalida o grande equilíbrio com que foi disputado, embora o Arsenal, a saber aproveitar a precipitação atacante da equipa visitada e chegar ao intervalo a vencer por 16-13. No segundo tempo, continuou tudo na mesma embora os guarda-redes das duas equipas tenham estado em evidência, Henrique Carlota no Boa Hora (32% de eficácia) e Ricardo Castro no Arsenal (26% de eficácia), a equipa bracarense chegou a ter uma vantagem de 4 golos, 19-15, quando estavam decorridos cerca de 38 minutos de jogo, para o Boa Hora encetar uma recuperação e igualar o encontro a 20 golos aos 46 minutos, para assumir o comando do marcador aos 54 minutos (23-22), e comando o jogo até aos 26-25 quando faltava cerca de 1 minutos para o encontro terminar, quando Pedro Sequeira resolve fazer um remate que nem acertou na baliza e desta forma deu todas as possibilidades de os bracarenses igualarem o encontro a 4 segundos do fim. Destaque para os 15 golos de Pedro Sequeira (68% de eficácia) no Boa Hora, e para os 5 golos de João Afonso (100% de eficácia) e de André Caldas (71% de eficácia) do Arsenal.

No Municipal de Fafe, tivemos mais um encontro duas das equipas que subiram de divisão o AC Fafe / São Mamede, que foi mais um jogo de grande equilíbrio. Que sofreu diversas mutações no marcador no decorrer dos 60 minutos, embora a equipa do AC Fafe chegasse a ter uma vantagem de 4 golos cerca dos 11 minutos, quando vencia por 8-4, mas uma excelente reação da equipa visitante levou a que aos 25 minutos de jogo, se registasse uma igualdade a 12 golos, com o intervalo a chegar com os minhotos na frente do marcador pela diferença mínima (14-13). No segundo tempo a equipa do São Mamede assume por diversas vezes o comando do marcador, chegando agora a sua vez de ter 4 golos de vantagem quando estavam decorridos cerca de 44 minutos de jogo e vencia por 22-18, nova reacção dos minhotos e aos 55 minutos temos nova igualdade agora a 24 golos, para o AC Fafe construir então o resultado que lhe deu a vitória, com o último golos a ser marcador em coma dos 60 minutos. Tiago Gonçalves no AC Fafe com 8 golos e 73% de eficácia, foi o melhor marcador, João Baltazar igualmente com 8 golos e uma eficácia de 67% foi marcador de serviço da são Mamede, teve ainda o seu guarda-redes Rui Ferreira com 32% de eficácia em grande evidência.

Na Maia, no pavilhão do Águas Santas, tivemos um dos jogos que se previa mais equilibrado e com maior interesse, pois realiza-se o Águas Santas / Madeira SAD, duas equipas que se prevê lutem claramente para os 6 primeiros lugares da classificação final da prova. E estivemos em presença de mais um jogo de grandes alternâncias, e onde o Madeira SAD, mais uma vez começou muito bem para vir a claudicar posteriormente, pois comandou o marcador até cerca dos 17 minutos, quando a equipa maiata igualou a 9 golos, o equilíbrio continuou a ser a dominante do encontro até ao intervalo que chegou já com o Águas Santas na frente do marcador por 13-11. No segundo tempo a equipa insular ainda conseguiu equilibrar até aos 37 minutos quando se registava nova igualdade agora a 15 golos, no entanto um parcial de 9-0 do Águas santas entre o minutos 35 e o minutos 44 coloca a equipa maiata a vencer pelo maior diferencial registado em todo o encontro (22-15), daqui até final do encontro os maiatos limitaram-se a controlar o jogo e o marcador. No Águas Santas, mais uma vez António Campos na Baliza com 46% de eficácia foi uma das grandes figuras, juntamente com Pedro Cruz e os seus 9 golos (75% de eficácia), no Madeira SAD relevo para Luís Carvalho na baliza com 41% de eficácia, e para Nuno Silva com 7 golos (64% de eficácia), com Fábio Magalhães a regressar ao seu normal (2 golos e 29% de eficácia).

Em Avanca, realizou-se o AA Avanca / FC Porto, que em princípio seria um jogo sem grande história, tal a diferença de valores entre as duas equipas, mas o excesso de confiança, e a rotatividade dos jogadores deu origem a que a AA Avanca, durante os primeiros 30 minutos desse, passe a expressão “cabo dos miolos” ao FC Porto, chegando a comandar o marcador por diversas vezes, e atingindo o intervalo perdendo apenas pela diferença mínima (15-14), Mas a história do jogo terminou aqui, pois nos segundos 30 minutos o FC Porto, jogou com o seu arsenal todo e apenas sofreu 4 golos contra so 15 que voltou a marcar. Grandes figuras do encontro Hugo Laurentino na baliza do FC Porto com 45% de eficácia e Alejandro Carreras na baliza do AA Avanca com 45% de eficácia, apesar do pouco tempo que teve em jogo, ainda na equipa visitante Pedro Veitia com 7 golos e 64% de eficácia foi o seu melhor marcador, no FC Porto com 12 jogadores a marcarem golos, Miguel Martins (83% de eficácia), e José Carrillo (71% de eficácia), ambos com 5 golos cada foram os melhores marcadores da equipa.

Benfica 35 – 29 Belenenses

No reviver de um dos antigos clássicos da modalidade, o Belenense parecia que iria dar “luta” e proporcionar um resultado de grande equilíbrio, diante um Benfica que sentiu (na mossa opinião) em demasiado a derrota sofrida jornada anterior. e começou o jogo com excelente ritmo e rapidamente chegou a um surpreendente 4-0, perante um publico escasso que se encontrava a presenciar o jogo., mas depois de uma forte melhoria no ataque da equipa do Benfica que faz um parcial de 9-0, e coloca o resultado em 9-4 a seu favor aos 12 minutos, num jogo em que não existiam preocupações táticas, e onde por veze as preocupações defensivas pareciam estar arredadas das duas equipas, e a precipitação nas acções ataques eram confrangedoras, o Benfica chega ao intervalo a vencer por 18-13, chegando ainda nos primeiros 30 minutos a ter diferencias a seu favor de 7 golos (17-10 e 18-11). No segundo tempo a equipa do Belenenses continuou a fazer o seu jogo e chegou a estar a apenas 2 golos de diferença quando estavam decorridos cerca de 47 minutos (27-25), mas rapidamente regressa ao seu normal e aos 51 minutos já vence por 31.25, para o encontro decorrer até final sem qualquer problema. NO Belenenses deve-se destacar a boa exibição de João Moniz, que foi atingido por duas vezes na face, com 23% de eficácia, e para Carlos Siqueira que com 8 golos (89% de eficácia), foi um quebra-cabeças nos 6 metros para a defesa do Benfica, e ainda para os 8 golos de Nuno Roque que comandou e bem o jogo da sua equipa com 53% de eficácia. No Benfica Hugo Figueira foi mais uma vez uma das suas principais figuras com 36% de eficácia), numa equipa onde Belone Moreira com 5 golos (56% de eficácia), e Tiago Pereira com 6 golos (100% de eficácia) foram juntamente com Fábio Vidrago 3 golos (100% de eficácia), os seus principais elementos. O jogo foi dirigido pela dupla IHF de Leiria constituída por Eurico Nicou e Ivan Caçador, que estiveram á altura do seu estatuto realizando uma arbitragem bastante positiva.

O Banhadas Andebol

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Competições Europeias 2016 / 2017 – XXVII – Liga dos Campeões Masculinos

O ABC iniciou a sua participação na Liga dos Campeões Europeus, integrado no Grupo D, na sua nova fórmula de disputa.
ABC  PERDE COM
BESIKTAS MOGAS HT

Nesta 1.ª Jornada a equipa portuguesa, que jogou no Pavilhão da equipa Turca onde foi recebida por um público devera entusiasta, para não dizer “fanático”, embora em escasso número o que nos surpreendeu, e não nos podemos esquecer que esta equipa tirca tem no seu plantel 7 estrangeiros (2 croatas, 3 sérvios, 1 macedónio e 1 bósnio). Saiu derrotado neste seu primeiro jogo por uma equipa em nada superior aos bracarenses, mas com muito mais “manha” que os portugueses. O ABC que iniciou muito bem o encontro esteve no comando do marcador, e os 30 minutos iniciais, foram de grande equilíbrio até aos 26 minutos em que se verificou a última igualdade no marcador, desta vez a 16 golos, com Pedro Spínola (6 golos e 67% de eficácia) em bom plano, marcando neste período 5 golos, mas que permitiu que a equipa turca assumisse o comando do marcador aos 17-16, quando estavam decorridos cerca de 27 minutos, para chegar ao intervalo a vencer por 21-18, maior diferencial registado neste período, onde o ABC começou bem na defesa, mas os ataques precipitados e por vezes demasiado turcos, a que se junta a pouca eficácia de Humberto Gomes neste encontro, e em especial nunca soube lidar com as superioridades numéricas. De destacar ainda neste período os 8 golos do turco Ramazan Done (9 golos e 75% de eficácia). No segundp tempo uma péssima entrada em jogo dos bracarenses, “foram empurrados” para um resultado de 38-22 aos 39 minutos, maior diferencial registado durante os 60 minutos, de seguida faz um parcial de 4-0 e reduz para 28-26, aos 44 minutos de jogo, obrigando o técnico turco a solicitar um Time-Out, os turcos regressam novamente ao jogo onde sobressai o seu guarda-redes Yunus Ozumusul, com intervenções importantes, assim como a entrada de Emanuel Ribeiro para a baliza do ABC foi determinante com dois livres de 7 metros defendidos de seguida (dos 9 nove que foram assinalados ao ABC, contra os 5 a seu favor), com o resultado em 32-30, cerca dos 57 minutos André Gomes, perde uma bola no ataque, por má recepção, e para nós é um dos momentos determinantes do encontro, pois de seguida os turcos fazem o 33-30, e pouco mais haveria a fazer, diante uma equipa que na nossa opinião em nada é superior aos bracarenses. Uma rferencia final para o macedónio Nemanja Pribak, o grande manobrador do jogo da sua equipa com 7 golos (88% de eficácia), e ainda para o seu pivot o turco TolgaOzabahar com 6 golos e 75% de eficácia, No ABC excelente prestação de Diogo Branquinho com 6 golos e 86% de eficácia e ainda para Hugo Rocha igualmente com 6 golos, alguns de 7 metros e 75% de eficácia. Dirigiu e mal o encontro uma dupla de arbitragem norueguesa constituída por Rune Kristiansen e Oistein Pettersen, que realizaram uma actuação a podemos apelidar de demasiado inteligente e má como já dissemos em especial nos livres de 7 metros, que foram marcados, quando  era falta do atacante ou quando bastava cair para dentro da área de baliza, para não falar nas faltas do atacante onde não existiu sequer um principio de equidades.  

Grupo D Constituição – HBC Nantes (França), TTH Holstebro (Dinamarca), HC Motor Zaporozhye (Ucrânia), Besiktas Mogas HT (Turquia), Dinamo Bucaresti (Roménia) e ABC (Portugal)  

Resultados
1.ª Jornada
Dia 21-09-16
Besiktas Mogas HT 33 – 31 ABC
Dia 22-09-16
HC Motor Zaporozhye 26 - 26 HBC Nantes
Dia 25-09-16
TTH Holstebro - Dinamo Bucaresti

Próxima Jornada
2.ª Jornada
Dia 01-10-16
ABC - TTH Holstebro (17H00)

O ABC, disputará os seus jogos em casa, na Grande Nave do Parque de Exposições de Braga.

O Banhadas Andebol

Planeamento Desportivo – Época 2016/2017 - XX

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ÉPOCA 2016 / 2017 - V

Dando continuidade aos textos por nós já publicados, relacionados com o conteúdo do Comunicado Oficial N.º21 de 02-09-16, esclarecendo aquilo que foi dito nas acções de formação da arbitragem, e estabelecendo algumas normas que ultrapassam no nosso entender o que se encontra Regulamentado, nomeadamente no Regulamento Geral da Federação conforme já o demonstramos em textos anteriores, e que foram agora completadas com a publicação do CO N.º 28 de 20-09-16.

Assim Hoje iremos escrever sobre mais algumas das Orientações Publicadas nos referidos CO’s.

Não foi publicada qualquer orientação técnica sobre as desqualificações com relatório nos últimos 30 segundos, provavelmente por se entender que está tudo enquadrado na decisão de que todas as desqualificações, se deve mostrar cartão azul e consequente relatório, e que já comentámos anteriormente. Pois todas estas situações se encontram devidamente clarificadas na Regra 8 actual (na nossa opinião).

Cartão Branco / Fair Play

Na prática é igual ao descrito na época anterior com a inclusão de duas novas alíneas:

a)      O Cartão Branco visa reconhecer e premiar as acções de respeito e fair play que os diversos agentes desportivos tenham no decorrer de um jogo;
b)     Os árbitros devem mostrar um cartão branco em todas as situações de respeito e de fair play que sejam evidenciadas por um jogador, oficial de equipa ou publico afecto a uma equipa. É importante que a imagem da nossa modalidade seja de respeito e do fair play entre todos os intervenientes pelo que é fundamental que os árbitros valorizem a amostragem do cartão branco;

Embora estejamos de acordo com as mesmas, elas refletem o conteúdo das normas do Cartão Branco / Fair Play, que foram publicadas no CO N.30 da época transacta, e que ainda não foram publicadas as normas que estarão em vigor na corrente época.

Existe no entanto uma alteração, com qual concordamos, apenas desejamos é que seja cumprida e relatada por quem de direito em devido tempo, é que as normas passam a ser aplicadas aos mesmos escalões (Até iniciados, Masculinos e Femininos), mas em todas as provas, e não só nas 2.ª’s Fase das Provas Nacionais, aqui verificamos um saudável avanço.

 É pela positiva para a modalidade, que vemos esta norma, e temos fundadas esperanças de que a sua aplicação, em especial nestes escalões, traga mais disciplina, e atitudes de verdadeiro Fair Play, esperando deste modo que esta novidade, também sirva para contribuir para uma mudança positiva da figura do árbitros, assim todos cumpra.

Regras Técnicas Especiais – (PO08, PO13, PO14, PO15, PO37, e PO38)

Este é um novo ponto que consagra o que se encontra definido nos Regulamentos Específicos das provas mencionadas. Mas que a Federação entendeu prestar novos esclarecimentos face ás alterações verificadas nas Regras da Modalidade.

Assim, emitiu o CO N.º 29 em 20-09-16, onde clarifica e bem o conteúdo a aplicar nas Regras técnicas especiais, agora se os técnicos da modalidade em especial os ligados á formação estão ou não acordo é outro tema,

Diz a Federação:

Durante a época 2016/2017 as Regras Técnicas especiais estabelecidas nos Regulamentos das provas em referência (Escalões de iniciados, Infantis e Minis), não sofrerão alterações tendo em conta as novas Regras, pelo que a Federação de Andebol de Portugal, esclarece que ao ser só permitida a substituição com a equipa em posse de bola, a regra dos 7 jogadores no ataque fica sem efeito, pelo que nestas provas não é aplicada.

Terá que haver sempre em campo um atleta com funções de guarda-redes,

Coordenador de Segurança / Director de Campo

A inserção deste novo ponto, não tem qualquer justificação pois toda a sua matéria se encontra devidamente Regulamentada, não só nos Regulamentos de Específicos de diversas provas, Como no Regulamento Geral da Federação, com especial relevo no Subtítulo 2 do Titulo 8 (dos jogos em geral).

SMS

Envio de SMS após o términus do jogo

a)      Todas as duplas de arbitragem (responsabilidade do árbitro nomeado em primeiro lugar), têm obrigatoriamente de enviar um SMS com o resultado do jogo imediatamente após o seu términus.

Continuamos apenas a transcrever esta alínea, pois as restantes dizem respeito ao formato e aos n.ºs de telefone a ser usados, embora exista uma obrigatoriedade, Mantemos no entanto as nossas fortes dúvidas que a mesma venha a ser cumprida.

Terminamos assim a analise a um dos mais polémicos documento já emitidos sobre esta matéria, e que se no Comunicado Oficial já referido e publicado somente em (02-09-16). No entanto poderemos voltar ao tema face a alguns comentários acerca de dois dos pontos que analisamos em devido tempo.

O Analista

IHF – Duplas para 2016/2017

A IHF, divulgou a Lista das Duplas Internacionais IHF, para a época 2016 / 2017 (em 15-09-16), mais uma veze e como é normal em Portugal ainda nada foi noticiado. Saúda-se a continuação de Portugal, ao continuar a possuir duas duplas no quadro de Elite da IHF, os Madeirenses Duarte Santos / Ricardo Vieira e os Leirienses Eurico Nicolau / Ivan Caçador. Ainda não foi desta que aumentamos as nossas duplas, em especial colocando uma dupla Feminina.
Às duplas portuguesas, endereçamos os nossos parabéns.

Notas:

Verificou-se um número de duplas, igual ao verificado na época de 2015/2016, depois do aumento das duplas ocorrido de 2014/2015, para 2015/2019, que passaram de 85 sendo 012 Femininas, para 93 sendo 13 Femininas, actualmnte o número total é exctamente o mesmo, mas com 15 duplas Femininas. Assim distribuídas:

EuropaPassou a ter 56, depois das 60 duplas em 2016/2016, das 59 em 2013 /2014, e das 53 em 2014 /2015, uma diminuição de 4 duplas.
África – Manteve 12 duplas.
Ásia – Passou 12 duplas, para 15.
América – Passou de 9 duplas, para 10.

Deixaram de haver Países com 4 duplas- Os Países com três (3) duplas, são em número significativo, sendo exemplo da situação – Argentina, Brasil, China, Espanha, França, Alemanha, Japão, Roménia, Rússia, Sérvia, e Tunísia.

O Regras